Código de Ética Reiki

Código de Ética Profissional para Terapeutas

A Associação Portuguesa de Reiki, tem os seguintes princípios éticos, os quais os seus membros se esforçarão para aplicar. Cada uma das alíneas abaixo está descriminada nos Códigos da Prática Profissional. Todos os seus associados estão comprometidos e empenhados a cumprir o código de ética.

  1. A integridade, imparcialidade e respeito para com todos os seres vivos é obrigatória.
  2. Todos os relacionamentos e interacções profissionais deverão ser éticos e objectivos.
  3. A terapia deve ter sempre os padrões mais elevados de prática, pelo que cada terapeuta de Reiki deve ter em atenção os seus conhecimentos teóricos e a experiência prática.
  4. O terapeuta deve ter os seus níveis energéticos em boas condições para que possa exercer correctamente a veiculação da Energia Universal.
  5. O terapeuta deve fazer uso do segredo profissional explicando-o ao paciente.

O código de ética disponível é uma base para discussão entre os membros associados.

Ler o Código de Ética Profissional

 

Código de Ética para Mestres Formadores

A Associação Portuguesa de Reiki. está a publicar para os seus associados e futuros associados, o Código de Ética para Mestres Formadores de Reiki.

Este código deontológico não pretende interferir com os conteúdos dos cursos mas sim com a qualidade dos mesmos, garantindo aos alunos as melhores bases para o seu ensino. No esforço de tornar o Reiki uma prática de terapia complementar, reconhecida oficialmente, não devemos descurar o seu ensino, pois este terá bastante influência na forma como os praticantes o aplicarão.

Um Mestre Formador de Reiki, deve assumir a responsabilidade do que ensina, como ensina, de forma ética, competente e eficiente, guarantindo aos seus alunos a possibilidade de virem a ser bons praticantes/terapeutas.

Este Código de Ética é complementar ao Código de Ética Profissional, ou seja, o primeiro é para ensino e o segundo para a prática na terapia. O Código está em discussão aberta para alterações. Esta revisão de 18 de Fevereiro de 2012 vem ao encontro de vários estudos, inquéritos feitos em 2011 e do projecto de “2012 Ano da Formação e Profissionalização em Reiki”.

Ler o Código de Ética para Mestres

 

 NPTCR-01 Norma Portuguesa da Terapia Complementar Reiki

Com a apresentação da proposta da Terapia Complementar Reiki inserida no Serviço Nacional de Saúde, dia 29 de Abril de 2011, a Associação Portuguesa de Reiki firmou a necessidade de além da existência de um código deontológico para terapeutas, deve também coexistir e ser aplicada uma Norma Portuguesa da Terapia Complementar Reiki, à qual foi dada a designação NPTCR-01.

Apesar deste primeiro passo ter sido dado pela Associação Portuguesa de Reiki, esta norma não deve ficar colada a uma Associação  pois a sua importância é abrangente a qualquer profissional terapeuta complementar de Reiki. Nessa perspectiva, a imagem criada é isenta do logotipo da Associação Portuguesa de Reiki e pode ser usada por qualquer profissional que adote esta Norma, não estando obrigado a ser associado.

Ler a NPTCR-01 de 2013

 

Visão Geral

A prática terapêutica de Reiki é um método tratamento, desenvolvido por Mikao Usui no Japão, no início do século 20. Reiki é uma energia de cura natural que funciona em todos os níveis, não apenas o físico, e é entendido como auxiliador da capacidade auto regenerativa do organismo, redutor da dor, indutor de bem-estar e acelerador da cicatrização, entre outros benefícios já identificados.
Reiki é uma técnica não-invasiva e é usado holisticamente para restaurar o equilíbrio de toda a dimensão da pessoa – físico, mental e emocional.
Os praticantes desta terapia terão de assegurar que a prática reflete o código deontológico, a informação técnica actualizada e políticas de segurança para o utente e praticante.

A Norma NPTCR-01 é composta por dois critérios, o Critérios de Conhecimento e Comportamento (competências cognitivas e afectivas), constituidos por 28 pontos e o Critérios de Desempenho (competências psicomotoras), constituidos por 10 pontos.

Com a NPTCR-01 pretende-se auxiliar os terapêutas de Reiki a aplicarem ou procurarem competências em todos os critérios identificados para a sua prática profissional.

Debates realizados

A NPTCR-01 foi apresentada no 3º Fórum Reiki e Medicina, em 2011, esteve aberta para discussão pública, através de um formulário online até Setembro do mesmo ano, tendo sido debatida no 2º Congresso Nacional de Reiki a 16 de Outubro de 2011.

O resultado dessa consulta pública e debate é a versão presente 1.5, reeditada em 2013.

Podem ainda fazer o download dos logos da nptcr-01 aqui…

Vantagens para o Terapeuta

  • A norma é auxiliadora da auto-regulamentação;
  • Motivadora de boas prática profissionais;
  • Guia indicador de competências a adquir nos campos cognitivos, afectivos e psicomotores;
  • Auxiliar de uma boa imagem sobre os terapeutas profissionais de Reiki;
  • É um instrumento necessário para a credibilização da prática de Reiki, num âmbito profissional, na perspectiva da sociedade e dos profissionais de saúde.

Vantagens para o utente/cliente

  • Dados indicadores das competências do terapeuta, as quais poderá validar ou questionar;
  • Esclarecimento sucinto quanto á prática à qual o terapeuta se compromete;
  • Percepção geral do âmbito da terapêutica complementar Reiki.

Regulamentação da prática de Reiki

Uma das questões que ainda está pendente na terapêutica Reiki é a regulamentação da mesma e devida inspecção de actividade. Como é parte da nossa missão social, fomos pedir elucidações à Inspecção-Geral das Actividades em Saúde. Colocamos três questões, que a nosso ver são essenciais para a nossa prática profissional:

  1. Que entidades podem-nos regular e acompanhar a actividade?
  2. Se alguém quiser fazer queixa de um terapeuta, pela má realização do seu acto profissional, à Associação, a que entidade depois devemos enviar essa queixa? E de que forma?
  3. Se alguém quiser fazer queixa de um professor de Reiki, pela má qualidade do seu ensino ou se sinta defraudado monetariamente, a quem devemos enviar essa queixa? E de que forma?

Poderão ler na íntegra o email de resposta que nos foi, atenciosamente, enviado por parte da IGAS:

Poderão consultar o site da IGAS para mais informações sobre a mesma:

É importante este esclarecimento pois torna-se cada vez mais urgente assumir o compromisso profissional com o brio e ética que esta terapêutica merece. Quer se seja um terapeuta que faz o seu trabalho gratuito, quer o faça por honorários, a prática terapêutica deve ser feita com a maior seriedade e respeito.

Os Associados da Associação Portuguesa de Reiki, estão obrigados à auto-regulamentação, pelo Código de Ética Profissional. É pela auto-regulamentação que garantimos os nossos direitos e deveres, explicitamente.

Mesmo que um terapeuta não pertença e não pretenda pertencer à Associação Portuguesa de Reiki, deve fazer os possíveis para ter um código de ética que possa mostrar aos seus pacientes, garantindo os direitos e deveres de ambos.

Acesso para associados