post-psicologia-do-reiki
“Psicologia do Reiki” é o título do livro que Sara Cardoso, psicóloga e mestre de Reiki, publicou no ano passado. Em entrevista, a autora explica que teve como intenção “ajudar o maior número possível de pessoas”, bem como “divulgar o Reiki”. O livro assenta nos Cinco Princípios, já que estes “constituem poderosas orientações a nível psicológico, que, quando postas em prática na nossa vida diária, têm potencial para produzir enormes mudanças positivas”.

Quais foram os objectivos que pretendeu atingir com a publicação deste livro?

Escrevi o livro com a intenção de ajudar o maior número possível de pessoas e de divulgar o Reiki junto daqueles que ainda não o conhecem. Apercebi-me, através das pessoas que me contactavam, que há muita gente que se encontra fora dos grandes centros urbanos que não tem acesso fácil a cursos ou a tratamentos de Reiki e que este ainda não está muito difundido em Portugal. Eu própria, mesmo estando no Porto, que dizem ser a segunda cidade do país, tive que viajar bastante para fazer a minha formação. Então pensei em escrever este livro para levar um pouco do que é o Reiki e do que são as suas bases a todos os que o lerem. Na verdade, este é um livro de desenvolvimento pessoal, que foi construído a partir dos princípios do Reiki como princípios de vida universais, que nos orientam para a felicidade.

Que tipo de retorno tem obtido por parte dos leitores?

Procurei escrever de forma simples, para que o conteúdo fosse acessível a todos, reikianos ou (ainda) não. Incluí sugestões e exercícios que ajudam a reflectir e a pôr em prática os princípios do Reiki na nossa vida diária, de forma simples e prática, ajudando a lidar com as emoções e a trazer alegria e felicidade à vida. Estas técnicas podem ser usadas por todos, quer sejam praticantes de Reiki ou não, pois não requerem conhecimentos prévios sobre Reiki ou sintonização com a energia. Penso que de alguma forma o livro atingiu o seu objectivo e estou muito contente com o feedback que tenho tido, tanto de reikianos como de não reikianos, pois todos me dizem que o livro é muito fácil de entender, que conseguiram de alguma forma sentir a beleza e a energia do Reiki e que o livro os ajudou muito.

Que diferenças observa entre as pessoas que procuram a sua ajuda e aceitam trabalhar interiormente com os Cinco Princípios e aquelas pessoas que não o fazem?

Nos cursos de Reiki sugere-se aos alunos que leiam os Princípios regularmente, de preferência em voz alta, para que possam gravar essas afirmações positivas no seu interior. Mas é igualmente importante, talvez ainda mais, meditar sobre o seu significado e no modo como os podemos aplicar e integrar na nossa vida. Costumo dizer que o Reiki vai actuar na nossa vida até ao ponto em que nós o deixamos, ou seja, nós podemos praticar o Reiki como uma técnica, para relaxar e obter alívio de problemas físicos, ou podemos escolher viver o Reiki na nossa vida, procurando viver de acordo com os Princípios. Os Princípios do Reiki encerram uma sabedoria profunda e intemporal, e constituem poderosas orientações a nível psicológico, que, quando postas em prática na nossa vida diária, têm potencial para produzir enormes mudanças positivas, ajudando-nos a integrar o amor e a compaixão e a assumirmos a responsabilidade pela nossa vida. Claro que, ao vivermos os Princípios, vivemos o Reiki em pleno e os resultados são muito maiores. Na verdade, não basta curarmos apenas o corpo. A verdadeira cura vem da transformação interior. É preciso mudar os pensamentos, os sentimentos, as crenças e as atitudes que possibilitaram o desenvolvimento de uma doença. É fundamental que a mudança de comportamentos e padrões de pensamento acompanhe o tratamento, para que este seja eficaz a longo prazo.
Muito mais que uma técnica de tratamento, o Reiki pode ser um caminho de transformação interior e evolução espiritual que aumenta a nossa energia a todos os níveis e nos torna mais sensíveis, percetivos, amorosos, compreensivos e saudáveis.

Vivem-se momentos muito conturbados, em virtude da crise que nos atinge. Imagino que isso se reflecte também no padrão de pessoas que hoje procuram a sua ajuda. Qual é a sua estratégia para lidar com esta situação, face ao que ensina no seu livro?

Prefiro não falar sobre a crise, pois sei que quanto mais atenção lhe damos, mais energia lhe damos também. Energeticamente, dar atenção é o mesmo que dar energia. Penso que era a Santa Madre Teresa de Calcutá que dizia que não participaria numa manifestação contra a guerra, mas participaria numa manifestação pela paz. Ela queria dar atenção e energia à paz e não à guerra.

O que pensa do reconhecimento legal do Reiki como terapia complementar em Portugal?

Todas as coisas têm aspectos positivos e negativos, o reconhecimento legal do Reiki também. Penso que as pessoas estão apenas a ver o lado bom dessa questão e não estão atentas às implicações menos boas que esse processo poderá ter: o Governo passa a ter poder de controlar todos os aspectos ligados à prática através da legislação: quem pode ser terapeuta por exemplo, criando critérios de acesso à profissão mais ou menos favoráveis para os praticantes. Já vi e senti isso a acontecer noutras áreas, em que, de repente, pessoas que até determinada altura eram profissionais diplomados e certificados deixaram de o ser, fruto de critérios limitadores do reconhecimento profissional. Por isso, vejo essa questão com apreensão e recordo a posição de alguns mestres internacionais, que tendo já vivido esse tipo de situações dizem que o melhor é manter o Reiki separado dos poderes políticos e governamentais.

Gostaria de deixar alguma mensagem final aos nossos leitores?

Gostaria de dizer às pessoas que nunca percam a esperança e a fé em dias melhores. A vida é feita de altos e baixos e todos nós passamos por situações difíceis na nossa vida em que nos podemos sentir perdidos, tristes ou desorientados: perdas emocionais ou materiais, doenças graves, desemprego… Mas, por muito mal que as coisas pareçam, há sempre uma luz ao fundo do túnel. Tudo o que é preciso é manter a fé, procurar, encontrar essa luz e avançar para ela com determinação.

Os associados da APR podem adquirir este livro nas livrarias Bookhouse com desconto.

[box type=”info”]

Sara Cardoso

Sara Cardoso é Mestre de Reiki Tradicional – Usui Reiki Ryoho – e Mestre de Karuna Reiki. Diplomada em Psicologia pela Universidade do Porto, tem-se dedicado desde há alguns anos ao trabalho nas modalidades de consulta individual e formação, privilegiando neste âmbito as áreas do Reiki, desenvolvimento pessoal e terapias alternativas. É Licenciada e Mestre na área de Música, com experiência de docência no ensino vocacional, genérico e superior.
[/box]  


 
associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com
 
(Visited 4.068 times, 1 visits today)