Celebramos o Dia Internacional do Reiki com a publicação de um trabalho da Enf. Paula Duarte. Paula Duarte é órgão social da Associação Portuguesa de Reiki e enfermeira, tendo realizado no âmbito do seu Mestrado, o projeto “O Reiki para Cuidar de Quem Cuida”.

“O Reiki para Cuidar de Quem Cuida” surge de vivências hospitalares de profissionais de saúde que solicitam e recorrem a sessões do Projeto “Terapia de Reiki/Shiatsu aos profissionais de Saúde do serviço de obstetrícia e bloco de partos”, referindo dores, stress, ansiedade e mal-estar. Objetivos: dar visibilidade ao Reiki como técnica terapêutica no cuidar e avaliar o Burnout dos profissionais de saúde antes e após sessão de Reiki. Metodologia: sensibilização para Reiki e Burnout, aplicação de questionários, tratamento de dados, pesquisa bibliográfica. Resultados: os profissionais de saúde necessitam de mais informação e de mais sessões de Reiki que referem ser muito úteis e promotoras de bem-estar; encontram-se em nível Médio de Burnout, reduzindo os valores após o Reiki. Conclusões: o Reiki reduz o Burnout, a sua inclusão na prática de enfermagem traduz-se em ganhos em saúde para si e para os utentes.

Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Toque terapêutico/Reiki; Esgotamento profissional; Pessoal de Saúde.

No âmbito do Mestrado em Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia, Escola Superior de Enfermagem São João de Deus, Universidade de Évora, foi proposta a elaboração de um relatório referente ao estágio efetuado no Serviço de Urgência de Obstetrícia e Ginecologia (SUOG) do Centro Hospitalar Barreiro Montijo, entidade pública empresarial (CHBM, EPE), que decorreu de Janeiro a Setembro de 2016. A realidade vivida em ambiente hospitalar pelos profissionais de saúde do SUOG e do Serviço de Obstetrícia do CHBM, EPE, faz com que solicitem e recorram com frequência à utilização das sessões decorrentes do Projeto implementado desde 2012, “Terapia de Reiki/Shiatsu aos profissionais de Saúde do serviço de obstetrícia e bloco de partos”. Os profissionais de saúde do Serviço de Ginecologia e Consultas de Obstetrícia, também frequentam o projeto desde Maio de 2015, a quando da sua integração no 5º piso junto ao serviço de Obstetrícia. É frequente a referência a dores, stress, ansiedade e mal-estar. Sabendo que os profissionais de saúde estão sujeitos a elevados níveis de stress e Burnout (Matos et al., 2015) e que o CHBM, EPE tem como objetivo prosseguir e implementar metodologias de gestão que proporcionem a realização pessoal e profissional dos seus colaboradores (Regulamento Interno do CHBM, EPE, 2013), torna-se pertinente melhorar o bem-estar dos profissionais de saúde. Desta forma surge o projeto intitulado “O Reiki para cuidar de quem cuida”, desenvolvido no âmbito deste mestrado.

O Reiki, energia do universo, transmitida pelas mãos através de canais energéticos (praticantes de Reiki), proporciona relaxamento, harmonia, alívio de dores, equilíbrio de energia vital e libertação de energias bloqueadas no corpo físico, mental, emocional e espiritual (Associação Portuguesa de Reiki, 2016a). Reiki é também uma filosofia de vida e um método de cura natural que promove o equilíbrio da pessoa (Magalhães, 2014). A cura através das mãos com o objetivo de restabelecer o equilíbrio do corpo, é um dos métodos mais antigos que a humanidade tem conhecimento, com origem no Tibete e na Índia tendo sido encontrados relatos em sânscrito que datam de há 2500 anos (Freitag, Andrade & Badke, 2015). A palavra Reiki decompõe-se em Rei que é a energia do universo e ki, energia vital, o que significa trazer a energia Universal para o homem. Em relação à filosofia de vida no Reiki, Mikao Usui, o seu fundador, instituiu cinco princípios orientadores para o desenvolvimento interior dos praticantes de Reiki: Só por hoje, sou calmo, confio, sou grato, trabalho arduamente, sou bondoso (Associação Portuguesa de Reiki, 2013). Quando temos a mente limpa e o coração predisposto, o Reiki flui através da pessoa, com a simplicidade da água num ribeiro (Magalhães, 2014). A energia Reiki é holística, energia vital do universo, afeta todas as energias que compõem o corpo humano, os animais ou qualquer outra coisa do mundo natural (Quest, 2015), preenche todos os órgãos, alinha todos os chakras e é ativada pelo chakra cardíaco, pelo que é denominada energia de amor incondicional (Magalhães, 2014). Os efeitos do Reiki são diversos, aumentam a capacidade auto curativa do indivíduo e pode ocorrer: relaxamento profundo que alivia o stress, redução de estados de depressão, ansiedade e cansaço, aumento das defesas orgânicas por estimulação do sistema imunitário, eliminação ou redução de efeitos secundários de fármacos, aumento potencial do efeito benéfico terapêutico, aceleração e eliminação de toxinas, aumento da capacidade de recuperação no pós-operatório (Associação Portuguesa de Reiki, 2016a). O contributo do Reiki para o crescimento humano e melhoria da qualidade de vida, de quem pratica e recebe Reiki, é inegável e inspirador (Magalhães, 2014) de forma a prevenir situações de Burnout. A síndrome de Burnout, definida como uma resposta emocional, a situações de stress crónico devido a relações intensas no trabalho com pessoas ou profissionais (Matos et al., 2015), é constituída por três dimensões: exaustão emocional, despersonalização, e realização pessoal. A exaustão emocional é a sensação de esgotamento simultaneamente física e psíquica, sentida como grande cansaço, vazio e dificuldade em lidar com as emoções do outro. Na despersonalização, existe distanciamento emocional, fazendo com que o profissional se torne desprovido de afetividade e por vezes com desumanização (Barreto et al., 2012) e discurso irónico. A realização pessoal mostra uma autoavaliação negativa, com sentimentos de frustração e dúvida em relação a si e às suas capacidades de trabalho, surgindo auto desvalorização, culpa e desmotivação (Oficina de Psicologia, 2016). A síndrome de Burnout pode surgir em qualquer profissão mas as mais predispostas são as que possuem atividades dirigidas a pessoas, com contacto próximo e principalmente emocional, como é o caso dos professores, médicos, psicólogos e enfermeiros (Matos et al., 2015). O Burnout é considerado na atualidade, um problema de saúde pública e ocupacional, de caráter psicossocial, determinante da qualidade de vida do trabalhador, tendo em vista as implicações para a saúde física e mental (Barreto et al., 2012).

 

Poderás ler mais sobre este trabalho no site da Associação Portuguesa de Reiki.

 
 
associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com
 
(Visited 318 times, 1 visits today)