Ana Barreto é apaixonada pelas pessoas e acreditando na construção de um mundo mais humano, formou-se em animação sociocultural e em reabilitação social, tendo trabalhado vários anos na prevenção primária com adolescentes e no tratamento da toxicodependência.

Desde cedo que a vertente mais holística das pessoas a despertou, tendo iniciado este percurso pela meditação.

Sentiu sempre uma enorme curiosidade na compreensão da energia das pessoas, pelo que desde 2006, ano em que realizou o seu primeiro curso de Reiki, que tem vindo a apostar no seu desenvolvimento pessoal em diversas terapias complementares.

É mestre de Reiki e tem o 2º nível de Reiki Karuna, sendo associada na Associação Portuguesa de Reiki.

Atualmente dá consultas de Reiki em gabinete próprio e em empresas.

Dedica-se de coração ao seu trabalho e a cada pessoa.

Entrevista a Ana Barreto sobre a Terapia Reiki no meio empresarial

Como tem sido, para ti, trabalhar com a Terapia de Reiki no meio empresarial?

Tem sido uma experiência fantástica, emotiva e muito humana. Tenho experienciado, de forma efetiva, como o Reiki pode ajudar as pessoas.

No final de 2018 a Galp realizou uma semana de wellbeing, na qual participei. Desde logo a adesão superou as expetativas e o que começou por ser uma semana transformou-se em duas. Apesar do Reiki não ser muito conhecido em contexto empresarial, foi uma das atividades mais procuradas e melhor avaliadas pelos participantes.

Atualmente e fruto do que anteriormente referi, estou a realizar consultas de Reiki no Centro Médico da empresa nas Torres de Lisboa. A forma como fui recebida excedeu largamente as minhas expetativas. Todas as pessoas me têm apoiado muito, até na gestão das marcações.

A curiosidade e a procura têm sido bastante positivas, com uma lista de espera significativa e um número de faltas quase residual, o que espelha bem a forma como tudo está a decorrer.

Os níveis de empatia e de confiança que têm vindo a ser criados enchem-me de satisfação e, ao mesmo tempo, de um enorme sentimento de responsabilidade.

Trabalhar no meio empresarial, tem sido muito gratificante e um grande desafio. Encaro este trabalho como uma nova aprendizagem na minha vida mas também como uma nova visão para as pessoas que trabalham neste âmbito.

Posso afirmar, sem qualquer dúvida, que sou muito feliz a fazer o que faço!

Achas que faz sentido as empresas terem este tipo de serviço, para os seus colaboradores?

Sim, sem dúvida, e os testemunhos das pessoas que têm realizado as consultas corroboram esse facto.

Vários autores classificam o nosso mundo com sendo VICA – volátil, incerto, complexo e ambíguo. Todos estes adjetivos reforçam a necessidade de nos focarmos e de nos equilibrarmos.

Nos dias que correm, as pessoas caminham a uma velocidade e a sua mente a outra, tipo piloto automático. O problema é que essa velocidade é, por vezes, estonteante.

Estamos todos cientes que devemos trabalhar o nosso corpo, ir ao ginásio, comer bem, mas nem sempre isso é acompanhado pela mesma consciência no que diz respeito a trabalharmos a mente e a equilibrarmos a nossa energia. Sinto que não existe um equilíbrio entre a mente, o físico e a energia.

Por outro lado, os pensamentos que nos inundam ao longo dos dias são muitos e, com alguma predominância, focam-se mais nos aspetos negativos em detrimento do que é benéfico e positivo.

Assim, as empresas podem ganhar muito com este tipo de terapias, proporcionando um maior bem-estar e uma maior qualidade de vida aos seus colaboradores. Tal como o João Magalhães referiu num artigo, os benefícios do Reiki são muitos e diferem de pessoa para pessoa: “Para uns sente-se uma grande serenidade, alívio da dor, para outros, uma grande força interior que ajuda a ultrapassar a debilidade emocional de uma doença ou de um momento de vida.”

No aspeto da responsabilidade social esta é também uma grande aposta, pois as pessoas são a alma e o corpo de qualquer empresa.

Em termos de saúde mental, de que forma achas que o Reiki pode auxiliar?

Em termos de saúde mental, o Reiki, pode ajudar a atenuar e a acalmar as emoções mais negativas. Estrategicamente, pode potenciar o foco positivo a nível mental.

Eu acredito que o Reiki pode ajudar a encontrar o equilíbrio, bem como a orientar e a disciplinar a mente para o bem-estar, dependendo obviamente da situação e da envolvente de cada pessoa.

Hoje em dia, já vão surgindo alguns estudos que demonstram que até poucos minutos de prática de Reiki podem fazer a diferença ao nível do cérebro.

Várias investigações apontam para o facto dos padrões das ondas cerebrais dos praticantes de Reiki proporcionarem estados profundos de relaxamento e de meditação, inclusive de forma harmonizada com o campo magnético do nosso planeta.

Além disso, parte da popularidade crescente do Reiki parte do princípio de não serem impostas quaisquer crenças, podendo ser utilizado por pessoas de todas as crenças religiosas e filosofias. Esta neutralidade torna-o especificamente adequado como complemento em vários domínios.

Sendo a prática de Reiki exclusivamente de âmbito energético, como a vês a complementar e integrar o tratamento médico?

A terapia de Reiki pode e deve posicionar-se lado a lado com os tratamentos da medicina convencional, uma vez que ajuda a aumentar o bem-estar e a tranquilizar as pessoas.

Quanto maior equilíbrio existir, mais benefícios poderão resultar para um tratamento. O importante é melhorar a predisposição para o tratamento e nunca desistir dele. O objetivo é potenciar o tratamento, nunca abdicar dele.

O Reiki pode ajudar, principalmente, em casos de depressão, necessidade de equilíbrio emocional, ansiedade, stress, dor crónica, insónias e perturbações do sono, redução de toxinas no corpo, diminuição de comportamentos impulsivos, fortalecimento do sistema imunitário, renovação celular, reposição de níveis energéticos, entre outros.

A verdade é que a nível organizacional são cada vez mais as pessoas que sofrem de depressões, stress e mesmo dores crónicas, por vezes tendo mesmo a necessidade de recorrer a baixas mais ou menos prolongadas. Acredito que o Reiki pode ajudar, de forma significativa e complementar, a minimizar estes impactos.

Conta-nos um sonho que tenhas para a prática de Reiki:

Um dos meus maiores sonhos é conseguir que o Reiki seja cada vez mais conhecido e aceite.

Eu tenho o sonho de ver esta terapia a crescer em centros médicos e em hospitais, sendo acessível a toda a população.

Quero continuar a apostar no bem-estar dos colaboradores nas empresas, pois acredito que posso ajudar a potenciar o talento, a aumentar a produtividade e a diminuir o desalento.

Por fim, mas talvez ainda mais importante, tenho também o sonho de divulgar e desenvolver o Reiki nas escolas, quer para os alunos quer para os professores.

 

 

 
 
associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com
 
(Visited 219 times, 131 visits today)