A 2 de Outubro de 2017 realizamos as Eleições para novos Órgãos Sociais que estarão em mandato de 2 de Outubro de 2017 a 2 de Outubro de 2019.

A escolha desta data prendeu-se a várias razões como a saída por opção de alguns membros dos órgãos, a coincidência com os 9 anos de Associação e assim a possibilidade de se encontrarem mais associados disponíveis e motivados para participar. Desta forma conseguimos mesmo ter a Assembleia Geral com mais participação de todos estes 9 anos em conjunto. Assim, uma profunda gratidão a todos aqueles que puderam estar connosco e assim participaram ativamente nos desígnios da Associação Portuguesa de Reiki.

O nosso profundo agradecimento a todos os órgãos sociais que nos precederam e uma especial gratidão ao trabalho desenvolvido por Fernando Eduardo no Algarve.

Informações aos associados

O difícil não é criar uma associação, o difícil é saber construir e manter uma associação que apesar de não conseguir agradar a todos, faz o seu trabalho pelo bem de todos. Muita da percepção pública que hoje há sobre Reiki deve-se a muito do esforço que a Associação tem realizado, em conjunto com os coordenadores, voluntários e associados. Muito desse trabalho passa despercebido, porque não se escreve sobre ele, porque no momento não se documenta ou se tiram fotografias.

Depois, existe a dor de cada pessoa e a sua motivação. Sabemos que cada pessoa é um universo e se está em sofrimento, se tem uma insatisfação, nada mais existe a não esse esse sofrimento. Para se resolver o sofrimento é necessário haver vontade para tal, comunicação e entendimento. Mas será que ser quer resolver uma questão ou apenas achar que se tem razão? Ao longo de 9 anos encontramos muitas situações e compreende-se que os praticantes de Reiki são em primeiro lugar seres humanos, que apesar de advogarem valores bonitos, nem sempre conseguem resolver as suas questões. Abraçam o próximo, mas têm uma questão com ele e não o comunicam, apenas cultivam rancor. Precisamos crescer em relação a isto.

A Associação é nacional, a sua missão é aberta a todos, a sua sede é na Amadora, o propósito de chegar aos associados localmente é através dos núcleos. Há núcleos que funcionam bem, outros que funcionaram mal. Novamente, os praticantes de Reiki são seres humanos. No entanto os Coordenadores não se podem esquecer que o seu dever é ainda maior, assim como a responsabilidade. Algo que não é fácil de lidar pois todos pretendemos trabalhar em regime de voluntariado. A grande lição é saber integrar, escutar e delegar corretamente.

A gestão da associação é sempre vista como um oportunismo, um aproveitamento e o movimento de interesses particulares. Ao longo destes 9 anos sempre foram pedidas listas para concorrerem, assim como directamente foi indicado aos coordenadores para que criassem uma lista ao encontro dos seus propósitos, porque o que significa realmente a gestão da Associação? Ao presidente da direção não cabe ir passear ou visitar os núcleos, ele está a fazer secretariado, está a organizar, esclarecer e desenvolver muitas situações que a ele surgem, está a dar apoio à administração associativa, a incentivar a prática e quase diariamente a lidar com as quezílias entre praticantes. É gerir os vários sites da Associação, publicações e não só. É saber perder noites de sono, aguentar a sua desmotivação e a dos outros, tentar cumprir não só os orçamentos estipulados, mas seguir sempre aquilo que é a missão da Associação Portuguesa de Reiki, declarada em estatutos em 2008. Ao longo destes anos já tivemos a cópia integral do nosso trabalho, a proposta de lobbies partidários, a pressão de grupos de interesse de praticantes de Reiki. Sacrificar o tempo de trabalho e familiar para ir a reuniões de comissão social ou outras, é também necessário. Saber gerir isto em modo de voluntariado é uma experiência interessante que deve ser passada a outros.

O associativismo nem sempre é presente, isto por três razões:

  1. Estão em locais onde não conseguimos ter representação;
  2. Têm uma vida própria e ocupação exigente que não permite participar, mas que no entanto dão todo o seu apoio à associação e ao rumo que tem estado a levar;
  3. Porque observam as práticas de outros que não concordam e pensam que são essas as da associação.

Sem associados não existe associação. Precisamos de ti, genuinamente. Pedimos a todos os associados que preencham o seguinte inquérito de avaliação e sugestões para futuras assembleias gerais e termos dos mandatos de órgãos sociais e coordenadores.

Achamos que também devemos esclarecer mais sobre o associativismo, por isso mesmo ao longo deste tempo iremos desenvolver um manual do associado.

Órgãos Sociais de 2017 a 2019

Assembleia Geral

  • Margarida Pereira – Ética / Presidente da Assembleia Geral
  • Vera Batista – Voluntariado / Vice Presidente da Assembleia Geral
  • Fábio Bazílio – Desenvolvimento Regional – Alentejo / Vogal
  • Ana Cristina Ramos – Conselho integrativo / Vogal

Conselho Fiscal

  • Raquel Correia – Voluntariado / Presidente do Conselho Fiscal
  • Diogo Dias – Voluntariado / Vice Presidente do Conselho Fiscal
  • Paula Duarte – Conselho integrativo / Vogal

Direção

  • João Magalhães – Desenvolvimento Associativo / Presidente da Direção
  • Cristina Belém – Desenvolvimento Associativo / Vice Presidente da Direção
  • Rosário Machado – Voluntariado / Vogal

Ata da Assembleia Geral de 2 de Outubro de 2017

Aos dois dias do mês de Outubro do ano dois mil e dezassete, pelas dezanove horas, teve lugar a assembleia-geral do Monte Kurama – Associação Portuguesa de Reiki, na sua sede na Rua Comandante Ramiro Correia, 6, 2700 Amadora, com a seguinte ordem de trabalho: 1. Eleição dos Órgãos Sociais; 2. Outros pontos de interesse.

Por não estarem presentes a maioria dos associados, procedeu-se a segunda convocatória aos dois dias do mês de Outubro do ano dois mil e dezassete, pelas dezanove horas e trinta minutos, teve lugar a assembleia-geral do Monte Kurama – Associação Portuguesa de Reiki, na sua sede na Rua Comandante Ramiro Correia, 6, 2700 Amadora, com a mesma ordem de trabalhos.

No ponto um foi apresentada a Lista A, sendo eleita por unanimidade, com ovação dos associados.

No ponto dois são indicadas três situações: A) As duas assinaturas necessárias para movimentação bancária são do presidente da direção – João Magalhães e do presidente do conselho fiscal – Raquel Correia. O ponto dois A é votado favoravelmente por unanimidade.B) É indicado que será realizado um inquérito de avaliação, opinião, aos associados sobre como se devem proceder as eleições de órgãos sociais, devendo haver um limite de mandatos ou não. O ponto B é votado favoravelmente por unanimidade.

C) Também a CNETR avaliará a forma de serem realizados votos à distância, de forma legal e sem prejuízo para o bom funcionamento da Assembleia Geral. O ponto C foi votado favoravelmente por unanimidade.

Relembram-se os associados que qualquer associado pode pedir ao presidente da Assembleia Geral para convocar eleições ou qualquer tipo de assembleia para esclarecimentos.

Nada mais havendo a tratar deu-se por encerrada a assembleia a qual foi lavrada a presente ata. Que vai ser assinada pelo Presidente da Assembleia Geral e pelo Presidente da Direção.