A prática profissional de Reiki em Portugal – um guia de apoio
A prática profissional de Reiki em Portugal – um guia de apoio

A prática profissional de Reiki em Portugal – um guia de apoio

O método de Reiki, principalmente com a vertente do Reiki Usui e de Reiki Essencial, chegaram a Portugal pelos anos 80. Ao longo do tempo várias perspetivas foram sendo assumidas, mas mantendo uma linha muito próxima ao ensino que foi levado para os Estados Unidos pela Mestre Hawayo Takata nos anos 70.

Em 2008, a 2 de Outubro, foi fundada a Associação Portuguesa de Reiki, com o objetivo de apoiar no esclarecimento, unificar as escolas num entendimento comum, assim como promover a prática do voluntariado.

Ao longo dos 13 anos da sua existência, a Associação foi estabelecendo motivações para praticar Reiki e um apoio em vários pontos de Portugal Continental e Ilhas.

Sendo a prática de Reiki também cada vez mais presente como profissão, ou segunda profissão para alguns terapeutas e Mestres de Reiki, a Associação Portuguesa de Reiki pretende auxiliar no esclarecimento da sua legalidade. Neste documento, abordaremos alguns requerimentos para o ato profissional, sendo que devem ser pedir informações específicas, caso a caso, às finanças, segurança social e município.

Querendo reforçar a importância da nossa prática a nível nacional e para que nos possamos enquadrar corretamente, foi também feito um pedido ao INE de esclarecimento sobre a possibilidade de uma revisão do CAE onde pudéssemos ser contemplados, ao que só será possível perante o reconhecimento da prática:

Agradecemos o seu pedido n.º PED-354917499.

Em resposta ao solicitado informa-se o seguinte:

A Classificação Portuguesa das Atividades Económicas, é uma classificação para fins estatísticos, está harmonizada com a NACE (Nomenclatura da Atividades da União Europeia) e CITA/ISIC (Classificação de Atividades das Nações Unidas), a revisão/atualização da CAE só ocorrem quando as ocorrem revisões/atualizações da NACE e/ou CITA/ISIC., está decorrer a nível do EUROSTAT estudo sobre a necessidade de atualização/revisão da NACE;
– Informa-se que a comparticipação de terapias não convencionais não está dependente da existência de uma subclasse especifica, mas sim do reconhecimento dessas terapias pelas entidades competentes, como foi o caso das terapias reconhecidas pela Lei 71/2013 e poderá obter informações sobre este assunto junto da ACSS (Administração Central do Sistema de Saúde, IP).

INE

Assim, quanto mais nos responsabilizarmos e credibilizarmos a prática, seguindo os códigos de ética e um profissionalismo exemplar, mais possibilidades teremos de um justo reconhecimento futuro para todos.

Queremos agradecer o constante apoio dos nossos associados para que estes objetivos sejam cumpridos, assim como pela sua prática, mantendo a missão que o Mestre Usui nos legou “A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa”.

Para os que ainda não são associados, podem fazê-lo através do nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com preenchendo o formulário de inscrição e seguindo todos os passos indicados.

A todos, votos de dias felizes, com harmonia e sabedoria em toda a prática.

João Magalhães

Podes ler o PDF de “A Prática Profissional de Reiki em Portugal – Um Guia de Apoio” aqui…

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.