Reiki tem estado cada vez mais próximo das comunidades, das escolas, dos que mais necessitam. Cada vez mais há praticantes de Reiki, a nossa filosofia de vida e prática terapêutica pode ter um impacto positivo na cidadania. Fica aqui um artigo de opinião de Fátima Velho sobre Reiki e a sua influência na Cidadania.
 
A Cidadania é o exercício dos direitos e deveres estabelecidos na Constituição de um país.
Os direitos e deveres estão interligados, e respeitando e cumprindo uns e outros é possível uma sociedade com menos desequilíbrios e injustiças.
Haveria muito a desenvolver relativamente a como o Reiki influencia a Cidadania, no entanto, neste texto refiro apenas o Voluntariado e a aplicação dos 5 Princípios.
O Reiki é uma prática que nos permite evoluir espiritualmente, e por essa razão dá-nos uma maior consciência do que acontece à nossa volta, manifestando o praticante de Reiki vontade em fazer Voluntariado.
Reiki é amor !
E é um tipo de amor incondicional colocar à disposição da comunidade as nossas capacidades e o nosso tempo, aliada à intenção de querer fazer algo positivo, por quem normalmente nem conhecemos.
Existem, em Portugal fantásticos projetos de Voluntariado Reiki, que envolvem várias áreas da sociedade. Estes projetos,  promovem não só a divulgação do Reiki, como também uma participação na sociedade, com o objetivo de melhorar algo.
A aplicação prática dos 5 princípios ajuda também a que o praticante de Reiki contribua para o exercício da cidadania.
Estando calmo consegue ouvir o outro com o coração, percebendo muitas vezes que o facto de o ouvir e lhe dar uma palavra amiga, por vezes em situações inusitadas, faz toda a diferença naquele momento, podendo inclusivamente evitar um possível conflito;
Tendo confiança em si próprio, nos outros e no Universo, percebe que determinadas situações na comunidade, se tornam mais fáceis de resolver;
Sendo agradecido, percebe que muitas injustiças no meio onde está inserido,  contribuem para que a sua intervenção possa fazer a diferença e lhe permita crescer como cidadão, colocando-se com maior facilidade no lugar do outro, criando empatia;
Trabalhando de forma honesta, respeitando a verdade dos seus próprios princípios e não passando por cima de ninguém, influencia certamente, mais tarde ou mais cedo, o meio onde está inserido;
Sendo gentil, a abordagem de determinados assuntos será mais facilitada, pois o impacto é atenuado, mesmo quando se tratam de assuntos mais melindrosos, dentro da própria comunidade.
Assim, o Reiki influencia de diversas formas o exercício da Cidadania, sendo o praticante de Reiki, uma peça fundamental para que isso se verifique.