Pelo segundo ano consecutivo, a Associação Portuguesa de Reiki (APR) participa no programa Recriar a Vida, da responsabilidade da Câmara Municipal da Amadora. Actualmente, dois grupos de seniores estão a receber formação em Reiki e os seus testemunhos revelam o enorme progresso que têm feito desde que iniciaram a caminhada.


Este é o Ano Europeu do Envelhecimento Activo e da Solidariedade entre Gerações, mas há muito tempo que a APR desenvolve projectos que visam exactamente contribuir para a promoção do bem-estar dos seniores e a sua inclusão na sociedade. Como é que o faz? Ensinando-lhes Reiki.

Um desses projectos integra-se no programa Recriar a Vida, promovido pela Câmara Municipal da Amadora em parceria com instituições locais. O objectivo é, desde 2005, ajudar os residentes com mais de 50 anos a combater o isolamento social, ocupar os tempos livres de forma útil e saudável, valorizar a auto-estima, e adquirir novos conhecimentos e aprendizagens.

Carlos Silva é o responsável pelos cursos de Reiki da APR integrados no Recriar a Vida. Estes realizam-se na Junta de Freguesia de São Brás desde 2010 e, no presente ano lectivo, contam já com 17 alunos, 11 no nível I e seis no nível II.

Em entrevista ao Reiki em Portugal, Carlos Silva fala sobre o projecto e partilha alguns testemunhos de alunos:

Reiki em Portugal — Qual tem sido a receptividade dos seniores ao Reiki?
Carlos Silva —
A receptividade tem sido ou muito boa ou nula. Há uns alunos que começam e continuam, adoram e só perdem uma aula por força maior. Fazem normalmente muitas perguntas associadas ao seu dia-a-dia e pretendem alargar o conhecimento para saber lidar com situações que possam surgir. Por outro lado, também aparecem algumas pessoas que, não sabendo o que é, vêm apenas para experimentar e não se interessam. Mas tenho vindo a descobrir que fizeram o mesmo noutras actividades, ou seja, começam e nunca continuam ou não acabam nada.

RP – Estes alunos precisam de ser conquistados para o Reiki ou vêm a estas aulas espontaneamente?
CS —
Penso que os seniores precisam de ser conquistados para o Reiki. Este ano houve intercâmbio de alunos dos vários cursos e conseguimos mais três inscrições em Março, depois de os visitantes se aperceberem do que se tratava e de trocarem impressões comigo e com os outros alunos. Só não houve mais inscrições tardias por se tratar de uma turma muito grande e algumas pessoas já estarem a frequentar diversos cursos. Mas ficou a promessa de se inscreverem no próximo ano lectivo. Já pedi à assistente social para que, antes de iniciarem as inscrições do próximo ano, se marquem algumas sessões de esclarecimento a fim de informar mais e melhor.

RP — Que tipo de feedback lhe vão dando, nomeadamente em termos de benefícios para a sua saúde?
CS —
Nota-se uma resposta muito positiva. Relatam que estão mais calmos, lidam melhor com os problemas e com as mais diversas situações. Referem também ajuda na resolução de assuntos que estavam parados ou emperrados há muito tempo e que agora caminham para a resolução. Muitos notam diferenças grandes no humor e no modo de se relacionarem após o auto-tratamento diário, durante o qual percebem muitas coisas acerca de si próprios e que conseguem alterar positivamente.

RP — Os alunos usam o Reiki sobretudo em auto-tratamento ou também o fazem a outras pessoas?
CS –
A utilização que fazem é diversa. Há pessoas que usam exclusivamente em si próprias e estão satisfeitas com as mudanças positivas e ficam-se por aí. Outras pessoas apenas usam em familiares e amigos, sempre que solicitadas ou oferecendo os seus serviços, reservando para si muito pouco tempo de tratamento. Há ainda outros que, além do auto-tratamento que consideram indispensável para o seu bem-estar, usam o Reiki para tratar familiares e amigos sempre que são solicitados. Nas aulas, há quem seja muito reservado e quem seja o oposto. Isto deve-se muito às solicitações que eu ou os colegas fazemos.
No geral nota-se que as pessoas estão abertas para dar e receber mas, por vezes, não sabem como fazê-lo ou têm medo das reacções dos outros, pelo que se retraem. Há casos de alunos que adoram que lhes peçam um tratamento, pois o feedback é óptimo e sentem-se muito úteis, o que lhes eleva imenso a auto estima.

RP — Haverá nível III para os alunos que pretenderem continuar a aprendizagem do Reiki?
CS –
Quanto a isso, tudo está em aberto e depende do orçamento da Junta de Freguesia de São Brás para o próximo ano, mas há alunos interessados. Eu e a assistente social vamos propor que haja continuidade. Como referi, vamos tentar realizar algumas sessões de esclarecimento antes das inscrições para conquistar mais pessoas e dar a conhecer o Reiki a um número maior de residentes na área. Estou também a solicitar aos actuais alunos que passem palavra.

Testemunhos de alunos a frequentar o nível II

Francisca Pires
“O Reiki proporcionou-me alegria e optimismo. Passei a dar, dar, dar. Desenvolvi a capacidade de uma grande percepção à distância de problemas emocionais e físicos de outras pessoas, oferecendo ajuda com aplicação de Reiki, nomeadamente através de tratamentos à distância por falta de oportunidade de o fazer presencialmente. O Reiki trouxe-me maior abertura para lidar com os problemas, enfrentando-os e resolvendo-os. Estou muito virada para ajudar os outros, o que tem sido muito gratificante.”

Vitor Fernandez

“O Reiki trouxe-me benefícios, nomeadamente no aumento de autoconfiança e auto-estima. Comecei a acreditar que conseguia ajudar os outros e ajudar-me a mim próprio, confiando nas minhas capacidades. O maior benefício foi na parte psicológica.”

Anabela Anselmo
“O Reiki ajudou-me a encontrar o meu Eu, ou seja, a encontrar-me verdadeiramente como Ser. Ajudou-me também no alinhamento de ideias e pensamentos.”

Mariana Romano
“O Reiki trouxe-me o discernimento necessário para confirmar as convicções que possuía, mas que só agora consegui força para as compreender, assimilar e, algumas, ultrapassar. Comecei a enfrentar os problemas sem medo e ultrapasso-os afirmando-me cada vez mais. O Reiki trouxe-me a sabedoria necessária para, apesar de algum sofrimento, chegar a uma fase de auto-conhecimento e consciencialização pessoal muito importante para reencontrar o meu caminho de vida, desperta para tudo e todos.”


Turma de nível I — 2010/2011


Turma de nível I — 2011/2012


Turma de nível II — 2011/2012

Para saber mais sobre Reiki para seniores, consulte o site da Associação Portuguesa de Reiki.

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 241 times, 1 visits today)