Sunday, October 25, 2020

Os três "R" do Reiki - Responsabilidade, Respeito, Resiliência

Reiki é algo de tão fantástico que é simples. Desde o seu conceito à aplicação – o fluir de energia apenas nos pede predisposição e amor incondicional, saber dar independentemente de quem está à nossa frente.
Mas será que a sua aplicação não requer esforço da nossa parte?
Aqui entram os três “R” do Reiki – Responsabilidade, Respeito e Resiliência.

Responsabilidade

Praticar Reiki é como respirar, como viver, é algo que se interioriza e vivencia mas, neste acto, não nos devemos desresponsabilizar, antes pelo contrário, devemos aceitar, afirmar, construir a responsabilidade sobre os nossos actos. Ao aplicar Reiki nos outros devemos deixar fluir, a energia é inteligente, saberá indicar e ir para onde é mais necessária mas, assim como um bom jardineiro deve saber e deve tratar correctamente o seu jardim, assim o praticante de Reiki deve adquirir o seu saber e aplicá-lo correctamente.
Essa responsabilidade vem de actos simples como se vamos tratar de alguém, ter cuidado com a higiene corporal, lavar as mãos, estar limpo;
colocar a intenção no que se vai fazer, não fazer por fazer;
Ser tão profissional no tratamento a um amigo, familiar, a alguém que não paga como a alguém que paga pelo serviço;
Realizar sempre a sua verificação energética, avaliar se está capaz, física, mental, emocional e energeticamente para realizar este trabalho.

Ser responsável é saber ser consciente.

Respeito

Respeitar é saber quem se é, o que se faz, porque se faz, para quem se faz. É saber quem é o outro, o que é a situação, compreendendo que todos somos um, que vivemos em sociedade e dificilmente alcançaremos sucesso enquanto humanidade se não nos predisposermos a respeitar os limites individuais, as fronteiras de cada ser. Respeitar é ter presente na mente e no coração o nosso limite e o limite do outro.
Pensemos na prática de Reiki a nós próprios, o amor que é preciso para aceitar as mudanças que devem ser feitas, os hábitos que devem ser mudados. O Reiki traz-nos a auto-suficiência no cuidado básico do nosso bem-estar e isso ajuda a “mudar o mundo” pois, a mudança começa em nós, no respeito e cuidado a nós próprios. O próprio amor incondicional, ensinado na prática de Reiki é também um espelho do Respeito, não se conseguem amar incondicionalmente sem respeitar, assim como não se consegue respeitar na totalidade sem amar incondicionalmente.
Esta é uma virtude essencial para quem quer ser um cuidador.

Resiliência

Ao longo da prática de Reiki, pretendemos ser como o Bambu – ocos, flexíveis, resilientes. A nossa capacidade de ultrapassar questões, obstáculos, de resistir às intempéries do dia-a-dia e aos desafios das relações interpessoais aumenta, sem dúvida, com a auto-aplicação de Reiki e, mais ainda, com a prática dos cinco princípios – os Gokai.
Se o Reiki nos traz o tempo e o espaço para atingirmos o equilíbrio, os cinco princípios auxiliam-nos a moldar a consciência, a transmutar, a elevar a mesma na direcção da iluminação – o satori, como o Mestre Usui indicava.
Esta prática permite-nos caminhar pelos sete factores da resiliência – gestão das emoções, controlo dos impulsos, perspectiva optimista sobre uma situação, análise do ambiente, empatia, autoeficácia e alcance do outro.
Numa breve perspectiva ser resiliente, ser como o bambu, é estar equilibrado, em uníssono com tudo o que é, em uníssono com tudo o que os outros são, orientado para um objectivo, com resoluções positivas, abrangentes, com os pés bem assentes na terra, com o coração predisposto e com a mente elevada

Ser praticante de Reiki é ter estes três “R” dentro de si, aplicando-os na sua acção quotidiana, exprimindo-os com verdade. Reiki é simples, sim, basta cumprir-nos.

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 4.372 times, 1 visits today)