Saturday, October 31, 2020

Zelar e trabalhar para que os associados sejam (bem) acolhidos

Teresa Mendes

Quando alguém decide inscrever-se na Associação Portuguesa de Reiki (APR), há uma pessoa fundamental para que todo o processo se desenrole correctamente. É ela que, do lado de cá, trata de tudo para que nada falhe. A escriturária Teresa Mendes é a pessoa que, corajosamente, assumiu uma das pastas mais trabalhosas dentro da APR: Gestão e Apoio Associativo. Além disso, ainda consegue encontrar tempo para se dedicar ao trabalho como terapeuta voluntária na Casa Coração.

Há quanto tempo estás ligada ao Reiki e à APR?

Fiz o 1.º nível em Janeiro de 2010 e em Novembro do mesmo ano comecei o voluntariado na Casa Coração, bem como noutros projectos onde a Associação está presente.

O que é que te motivou a aceitar o convite para integrares os Órgãos Sociais da APR?

O facto de me rever nos objectivos da Associação foi o que me levou a aceitar o desafio. Acima de tudo, porque defendo que deve haver uma entidade que represente todos os praticantes de Reiki a nível nacional. Acredito que só desta forma conseguimos unir esforços no sentido da divulgação e credibilização do Reiki.

A tua área de trabalho na APR é das mais exigentes e fundamentais para que tudo funcione correctamente em termos administrativos. Queres explicar quais são as tuas tarefas e tudo o que dependente de ti?

O meu trabalho consiste em inscrever os novos associados, depois de verificar que enviaram toda a documentação necessária, por exemplo, o certificado do nível de Reiki que possuem. Posteriormente, envio ao novo associado um e-mail com a senha de acesso às áreas reservadas do site da APR e cabe-me também o envio dos cartões dos associados por correio. Faço os mesmos procedimentos em relação ao pagamento das quotas por parte dos associados já inscritos.

Há quem diga que não se deve fazer voluntariado numa área em que trabalhamos diariamente, mas tu fazes isso. Qual é a tua motivação para o conseguires?

A minha motivação é acreditar que estou a contribuir para uma causa maior, que é o Reiki. E quando as coisas acontecem desta forma, torna-se um pouco mais fácil darmos do nosso tempo e até, nalgumas circunstâncias, superarmo-nos.

Além de seres responsável pela área da Gestão e Apoio Associativo, és também um elemento muito activo no voluntariado realizado na Casa Coração. Como consegues conciliar tudo isto com a tua vida pessoal e profissional?

Nem sempre é fácil, mas faço o que melhor que posso e, tal como diz o poeta, “tudo vale a pena se a alma não é pequena”. Se, por um lado, o trabalho no Apoio Associativo é, antes de mais, uma necessidade da Associação que tem de ser suprida por alguém; já o facto de eu ser terapeuta voluntária é uma necessidade minha.

Entre os diversos projectos da APR, qual é o que destacas como mais relevante?

Creio que o Grupo de Debate para a Formação em Reiki (GDFR), a par com o voluntariado em várias instituições, é dos projectos mais importantes da APR. Acredito que todos devemos contribuir para este objectivo, partilhando conhecimentos e experiências no sentido de encontramos um ponto convergente. Isto não significa que um mestre deixe de ter a sua própria forma de transmitir conhecimentos. O que se pretende é uma maior uniformização no ensino do Reiki, por exemplo, no que diz respeito ao mínimo de horas que um curso deve ter, entre outros aspectos. Acima de tudo, é importante que se consiga uma maior união entre todos os mestres para que possamos ser mais fortes e o caminho em direcção ao reconhecimento seja mais rápido e eficaz. Não duvido que este é o interesse de todos.

Para João Magalhães, presidente da Associação Portuguesa de Reiki, esta é uma das funções mais desgastantes e exigentes, de entre todas na Associação. O facto de envolver a grande responsabilidade de apoiar os associados e corresponder às suas expectativas, aliada à conciliação e report das entradas e saídas de dinheiro, leva a um enorme esforço mental e a uma exigente prática dos Cinco Princípios de Reiki. Tudo isto realizado após um dia de duro trabalho e aos fins-de-semana. Estamos muito agradecidos à Teresa por se empenhar de corpo e alma neste projecto e nesta função.

[box type=”info”]

Teresa Mendes

Função na APR: Gestão e Apoio Associativo

Cargo nos Órgãos Sociais: Vogal da Direcção

Tarefas:
— Registo de associados
— Apoio aos associados no esclarecimento de dúvidas sobre registo
— Envio da informação e cartão de associado
— Gestão financeira

Contacto: gestãoassociativa@montekurama.org

Podem ver as funções de cada Órgão Social no nosso site…
[/box]

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 224 times, 1 visits today)