Saturday, October 24, 2020

Mãos são a chave para o tratamento Reiki

Reiki é uma terapia complementar integrada no Allegheny General Hospital. Com 13 voluntários e 1284 pacientes que receberam tratamento Reiki, o Hospital vê esta prática como uma mais valia no cuidado dos seus pacientes, na gestão da dor e do stress.

post-reiki-allegheny-general
por Pohla Smith / Pittsburgh Post-Gazette
Para Martin Brennan e Faye Silver, praticantes de Reiki de voluntariado em Allegheny General Hospital, este dia no final de junho (2010), começa no 12 º andar, onde os pacientes aguardam cirurgia.

Reiki é uma técnica de cura natural centenária, utilizada em muitas culturas; é dito que toca em todos os níveis da mente, corpo e espírito. Em Allegheny General Hospital, voluntários certificados têm vindo a prestar Reiki como um complemento à medicina ocidental tradicional desde 2002. É parte do departamento de medicina integrada.

No dia 12, uma enfermeira recomendou ao Sr. Brennan e a Sra. Silver para verem um homem que, segundo a sua esposa, teve uma hemorragia craniana. Parte de seu crânio foi removido para aliviar a pressão, e cirurgia de hoje é para fechar a abertura agora coberta com um capacete de proteção. Apesar de não falar, o homem é, obviamente, agitado, com as mãos e os braços a tremer violentamente. Ele parece confuso sobre onde está mas a esposa diz que está tudo bem para eles irem em frente e tentarem a sua prática.

Os dois voluntários colocaram suas mãos sobre ele, com os olhos fechados. Eles mantêm as posições por vários minutos e, em seguida, sem qualquer padrão discernível, mudam de posição para outros pontos na parte superior do corpo.

Eles mantêm as suas posições por vários minutos e, em seguida, sem qualquer padrão discernível, mudar de posição para outros pontos em sua parte superior do corpo.

A respiração do acamado parece diminuir assim como a sua agitação física.

Mais tarde, depois de ver vários mais pacientes, os voluntários fazem uma pausa, e o Sr. Brennan, 68, de Pittsburgh, diz que há sempre um que se destaca acima dos outros como alguém que ele ajudou. Para ele, até hoje, é o homem não identificado no capacete.

Para ele, hoje, até agora, é o homem não identificado no capacete.

Mas outros pacientes capazes de falar sobre a sua experiência com o Reiki também o relatam com evidente prazer.

Voluntárias Jeanne Weideman, à esquerda, e Liz Tafel-Hurley aplicam as mãos em Harriet Krystopolski como parte do tratamento Reiki para a dor no Allegheny General Hospital.

Brennan tem usado a imagem visual (visualização) com os pacientes para levá-los a relaxar e serem mais abertos à experiência.

“Pode sentir um calor, um frescor, uma sensação de formigueiro – ou pode não sentir alguma dessas coisas”, diz a pacientes. Então, ele os instruí a respirar profundamente, a pensar num lugar especial e numa música suave para levá-los lá. Como fizeram com o homem de capacete, Brennan e Silver, 48 anos, de Mt. Lebanon, colocam as suas mãos sobre os pacientes. Às vezes, uma das suas mãos pairam acima do corpo de um paciente. A mão de Brennan faz, por vezes, um movimento de ondas suaves.

Mais tarde, ele explica que aas suas mãos movem-se por conta própria durante a prática.

Mateus Lubbert, 49, de Emsworth, que teve duas cirurgias abdominais no mês passado, diz que o Reiki, que ele nunca tinha ouvido falar antes, o fez sentir melhor fisicamente.

“Eu senti todos os músculos relaxar – foi a primeira vez em muito tempo”, disse ele. “Quando você faz a cirurgia abdominal tende a criar tensão em todos os seus músculos … você fica tenso”.

Como o Sr. Lubbert, muitos pacientes e alguns funcionários não sabem exatamente o que é Reiki, diz o Dr. W. Betsy Blazek-O’Neill, diretor médico do programa de medicina integrada.

Tal não parece importar. O que importa é o resultado.

“Quando os pacientes estão a ter problemas com o controle da dor ou ansiedade, as enfermeiras aprenderam que podem chamar os voluntários e eles virão ver os pacientes”, diz o Dr. O’Neill.

“Eles não sabem o que estão a fazer [ao paciente], mas eles não os estão a prejudicar, e que o paciente não está a chegar à luz de chamada a cada cinco minutos. Eles não estão a reclamar tanto. Eles sentem-se melhor. ”

Como resultado, o Dr. O’Neill disse, os funcionários tem sido muito recetivo do programa holística.

Em 2006, o hospital tinha quatro voluntários de Reiki e teve 471 pacientes que beneficiaram de uma sessão, disse a psicóloga clínica Barbara Jean Nagrant, que coordena os Voluntários de Reiki. Agora, há 13 voluntários, e em 2009, 1.284 pacientes beneficiaram de uma sessão. “Então você pode ver que ele realmente cresceu”, disse ela.

A Dr. Nagrant disse que o Hospital AGH gostaria de ter o suficiente de voluntários certificados para fazer Reiki em cada paciente. Para se tornar um voluntário Reiki, ligue para 412-359-8209.

West Penn Allegheny Health System home page

320 E North Ave  Pittsburgh, PA 15212, United States
+1 412-359-3131

[box type=”info”]Publicado em  Post Gazette.com

Pohla Smith: psmith@post-gazette.com tel. 412-263-1228.
Publicado a 7 de Julho, 2010 12:00 am

[/box]

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 1.369 times, 1 visits today)