Saturday, October 24, 2020

Seja bondoso consigo mesmo

No mundo do Reiki encontramos com alguma frequência pessoas que são terapeutas naturais e estão muito centradas em ajudar os outros. É muito positivo querer ajudar, o problema é que estas pessoas frequentemente não se ajudam a si mesmas… Colocam-se sempre em último lugar, fazem tudo pelos outros mas nada por si. O seu lema parece ser “Os outros são mais importantes de que eu”.

bondoso

Esta é uma questão que também é cultural, sobretudo quando falamos com mulheres, que foram educadas a tratar dos irmãos mais novos, do marido, dos filhos, e por fim, se sobrar tempo, tratam delas. Claro que isto acaba por lhes trazer um enorme desgaste (para além de não ser justo, pois todos somos igualmente importantes).

Para estas pessoas, que naturalmente sentem desejo de ajudar, aprender Reiki pode ser uma bênção maravilhosa, pois descobrem uma forma saudável de prestar auxílio aos outros e ao mesmo tempo aprendem a tratar de si mesmas, do seu equilíbrio e da sua energia. Então as duas coisas são necessárias: tratar bem dos outros mas também tratar bem de si! Não se pode esquecer de ser bondoso consigo mesmo. É mesmo muito importante, para o seu equilíbrio e até para poder ajudar outras pessoas, lembrar-se de ser bondoso consigo mesmo.

É bom dedicar regularmente algum tempo a si mesmo, para fazer coisas de que gosta: ler um livro ou uma revista, tomar um banho de imersão, ir ao cinema… Ou até mesmo de vez em quando comprar um pequeno presente para si, afinal, se compra presentes para os outros, porque não comprar para si também?

 Actualmente, vivemos num mundo muito competitivo: a competição começa na escola e continua pela vida fora. Neste cenário, podemos constatar que muitas pessoas desenvolvem fortes traços perfeccionistas e, por consequência, transformam-se nos maiores carrascos de si mesmas, castigando-se mentalmente (auto-crítica e auto-desvalorização) quando não conseguem os resultados que pretendiam. Esta auto-punição acontece mesmo que tenham trabalhado muito e existam factores externos que elas não podiam controlar, pois a determinada altura é quase um mecanismo automático.

Isto tem alguma lógica? Não.

Qualquer que seja o resultado dos seus esforços, mesmo quando não é tão bom como desejava, a partir do momento em que se empenhou e fez a sua parte o melhor que podia não se deve castigar, nem recriminar. Lembre-se que muitas vezes há factores externos que não pode controlar. Pense por exemplo num concurso para uma vaga com centenas de candidatos: não se pode considerar incompetente por não ter ficado com o lugar. Há certamente muitas pessoas competentes que também ficaram de fora…

Sempre que se empenhar num projecto, valorize o seu esforço e diga para si mesmo, independentemente do resultado:

Eu fiz o melhor que podia. Estou contente comigo.

Não é isto que diria a um amigo na mesma situação? Comece hoje mesmo a ser bondoso também consigo mesmo e não apenas com os outros. Aprenda a ser tão tolerante consigo como é com as pessoas que lhe são próximas, valorize os seus esforços, concentre-se no que tem de bom e cuide de si.

Veja-se como a pessoa maravilhosa que é e goste de si.

Sara Cardoso, Mestre de Reiki e Psicóloga

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 1.210 times, 1 visits today)