reiki-mudou-a-minha-vida

Mais um bonito e profundo testemunho do poder transformador do Reiki.  Hoje partilhamos o relato de Carla Sousa, que agradece ao Reiki todas as mudanças que lhe trouxe, nomeadamente a qualidade de vida que agora tem. Além de manter a sua atividade profissional, Carla Sousa é também terapeuta de Reiki e voluntária da APR no Núcleo de Santo Tirso.

Fez no passado dia 8 de Novembro dois anos que fui iniciada no Reiki.

Depois de praticamente três anos a dormir muito mal porque o meu filho estava sempre doente, um ano com otites, expectorações no ano seguinte e acordava constantemente a meio da noite, cheguei a um ponto em que dormia menos de quatro horas por dia. Tinha regressado de férias e acordava todos os dias esgotada. Mesmo nas noites em que o menino dormia bem (que eram raras), eu acordava sempre, praticamente à mesma hora e nunca mais voltava a dormir.

O cansaço estava a tomar conta de mim e achei que a minha vida não podia ser isto: tentar sobreviver a mais um dia. Trabalhar, cuidar da casa, do filho, do marido e ainda me aguentar em pé já pareciam tarefas completamente desgastantes só de pensar nelas.

Cheguei a pensar que iria entrar numa depressão ou algo parecido, pois o desgaste era enorme.

Um dia decidi contactar uma colega da faculdade que era Mestre de Reiki e fiz algumas terapias.

Senti que mudei de uma semana para a outra. Estava descansada e muito feliz.

Ela propôs-me ser iniciada no Reiki. Também me tinha dito que poderia, só com o nível I, tratar o meu filho e obter melhorias. Mas como sempre, a desculpa foi que estava cheia de trabalho. Sou tradutora e o desgaste psicológico e mental é enorme. A concentração tem de ser sempre a mais elevada, mas ainda assim continuava a trabalhar muito bem. Nunca me tinha apercebido, mas todo o meu cansaço mental era transferido para o físico e a cada dia que passava, lá me desgastava mais um pouco.

No entanto, no espaço de pouco mais de um mês, o meu filho adoeceu novamente e percebi que iria voltar tudo ao mesmo. Mais cansaço, mais noites sem dormir, mais otites, mais expectorações, mais vómitos, mais de tudo aquilo que estava farta e sabia que não teria de ser assim.

Então, o coração de mãe fala mais alto e dei um passo em frente. Ia ser iniciada no Reiki. Não sabia como seria capaz de o fazer. O que a minha mestre ia fazer? Ligar-me um botão? Seria capaz de conseguir tratar-me a mim própria e ao meu filho? Parecia tudo tão fácil e ao mesmo tempo ainda tão longe.

Depois do curso, chegou o momento da iniciação. A minha mestre disse-me: “estás preparada para mudar a tua vida? A partir daqui nada será como dantes”.

Sinceramente, naquele momento fiquei assustada e pensei “no que me vim meter?”. Não era porque não acreditava no Reiki, apenas porque estava longe de perceber todas as potencialidades benéficas. Naquele preciso momento foi como que repentinamente me abrissem as portas de mundo completamente novo que sabia ser maravilhoso e sentia-me tão pequena perante tal situação. Acho que foi sentir cá dentro uma enormidade avassaladora, boa, mas que não conseguia saber o que era.

Claro, o momento da iniciação é um momento mágico e nunca será esquecido. Aliás, cada iniciação é um momento mágico e todas elas farão parte de todos os momentos especiais da minha vida. E neste momento sou terapeuta, tendo concluído o nível II.

E durante estes dois últimos anos ganhei qualidade de vida, vi o problema do meu filho ser resolvido. As otites, as expectorações e o acordar de noite parecem coisas do passado e tão distantes. Sou uma pessoa mais calma, não me deixo vencer pelo stress, trabalho mais e melhor e aprendi a equilibrar tudo aquilo que me prejudica, tirando mais tempo para mim e fazendo mais do que gosto. E afinal tenho tempo para tudo. Afinal não estava assim tão ocupada com o trabalho, é apenas uma questão de gerir as prioridades.

E nestes dois anos já conquistei tanta coisa que se indicasse tudo até pareceria mentira, mas é verdade. Agora sei que há dois anos cheguei quase a um ponto de exaustão. Agora percebo o desgaste energético que a minha profissão envolve e agora, mais importante de tudo, sei que tenho o Reiki a meu lado para me ajudar e tenho tanto para agradecer todos os dias.

Agora tenho um novo Mestre, pois assim a vida o ditou.

Obrigado Mestre B por me ter iniciado no Reiki.

Obrigado Mestre A. por tudo aquilo que me tem ensinado, por estar sempre presente, por ser uma pessoa dedicada.

Obrigado ao Reiki por tudo aquilo que me tem proporcionado e todo o crescimento que me tem possibilitado.

Obrigado aos Mestres de Reiki por nos guiarem e estarem sempre presentes.

Obrigado à Associação Portuguesa de Reiki por estabelecer programas de voluntariado. Hoje sou voluntária pela Associação e pelo Núcleo de Santo Tirso, e esta situação possibilitou-me um crescimento ainda maior, como pessoa e como terapeuta. Espero continuar a ajudar mais pessoas com Reiki, tal como eu fui ajudada.

Obrigado a mim por me ter permitido abraçar este caminho. Já conquistei tanto e sei que muito mais ainda estará para vir.

Muito mais haveria por dizer, talvez de uma outra forma, mas estas são as palavras (para mim emotivas) que me foram saindo. Uma última mensagem: sempre fui muito pragmática, mas no que diz respeito ao Reiki, só posso dizer que há coisas que não se explicam, que se sentem. Permitam-se sentir… fará toda a diferença!

Carla Sousa

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 1.441 times, 1 visits today)