Friday, October 30, 2020

O equilíbrio emocional

O equilíbrio emocional é um desafio diário para quem tem um olhar atento em si mesmo. É como se estivéssemos num mar que por vezes é tranquilo e muitas vezes fustigante.

Equilíbrio emocional

“O que se opõe ao descuido e ao descaso é o cuidado.
Cuidar é mais que um ato; é uma atitude.
Representa uma atitude de ocupação, preocupação, de responsabilização
e de envolvimento afectivo com o outro.” – Leonardo Boff

Muitos praticantes de Reiki encontram nesta prática as ferramentas para o desenvolvimento da atitude de cuidado e assim, criam o espaço e tempo necessários a compreenderem o que causa o seu desequilíbrio emocional e de que forma o podem restabelecer. Praticam Reiki em si e nos outros, sentem-se realizados.

Outros, procuram a pílula milagrosa – irão falhar nesse intento.

Outros, encontram na capacidade de dar equilíbrio aos outros o mote para se esquecerem dos seus problemas e desequilíbrios. Apenas estão a adiar o inevitável e possivelmente a piorar a sua condição. Sendo este último caso algo de bastante importante na prática de Reiki, desenvolverei um pouco mais o assunto.

Cuidar do outro sem cuidar de mim, a receita para o fracasso

Desprezar a necessidade de equilíbrio emocional para lidar com o dia-a-dia pode levar ao esgotamento do próprio e mesmo ao esgotamento daqueles que o rodeiam. Se cada um de nós aceitasse a responsabilidade pelo seu próprio equilíbrio, criaríamos um ecosistema humano mais saudável.

O método de Reiki permite aprender a cuidar do outros. Muitas pessoas têm esse impulso, o que é um acto humano muito bonito. Doar. Dar ao próximo incondicionalmente. Por isso se diz que Reiki é uma prática de amor incondicional. É preciso estar-se predisposto para doar. O Mestre Usui, dizia que com a prática dos cinco princípios e do auto-tratamento, atingiríamos o Satori, a iluminação e o Anshin Ritsumei, a plena paz e felicidade.

Naturalmente, nos dias que correm, de tantas solicitações exigências, o equilíbrio é mais periclitante e assim, mais necessário. O praticante de Reiki não é um Ser Perfeito, é alguém que caminha para a sua paz e felicidade, para o seu equilíbrio emocional, mental, espiritual e físico.

Como não existem pessoas perfeitas, alguém que faça Reiki a outro, possivelmente não estará no seu total estado de equilíbrio emocional mas, deve estar no ponto de equilíbrio suficiente para se desapegar, desenvolver a sua prática correctamente e verificar que a mesma não levou ao seu desequilíbrio.

Por isso, o praticante, o terapeuta, deve sempre realizar o seu auto-tratamento. Sem esta consciência, esta atitude de cuidado, é melhor não praticar nos outros.

Porque não praticar nos outros quando não estamos equilibrados emocionalmente?

O Reiki flui quando é necessário. É uma energia sem polaridade, passiva. Reiki é uma energia vital, nunca trará aspectos negativos. Ao passar pelo praticante, um pouco dessa energia permanece com ele. É por isso que quando a prática é bem realizada, o praticante nunca se sente cansado. Reiki é mesmo excepcional!

Por isso, nunca está em causa a passagem de Reiki. A questão está é do lado de quem a está a passar. O praticante ou terapeuta, caso tenha questões emocionais e não tenha a atenção do seu auto-cuidado, irá ver os seus canais energéticos debilitados e mais estreitos. A sua aura não estará fortalecida e o contacto com a aura do seu utente/paciente, poderá levar a restimulações, efeitos espelho da sua própria condição. Assim, o utente/paciente irá satisfeito com a sua sessão mas, o praticante, irá encontrar as consequências do seu descuido.

Se realmente queremos ajudar o próximo e praticarmos a bondade, devemos em primeiro lugar direccionar essa força para nós.

O treino para o equilíbrio emocional

“A realidade existe onde a nossa mente se focar”

Para conhecermos o nosso equilíbrio temos que reservar tempo para nós mesmos. Esse é o primeiro passo.

O segundo passo é a prática constante do auto-tratamento, identificando a origem das questões.

O terceiro passo é procurar um colega, para receber tratamento. A perspectiva de terceiros apenas nos enriquece.

Constantemente devemos procurar praticar os cinco princípios, são eles que nos levam à mudança.

Cinco princípios para o equilíbrio emocional

Só por hoje, sou calmo

“Faço o auto-tratamento, cuido de mim, gosto de mim, crio um lago de serenidade no meu interior e esvazio-me de todos os preconceitos. Antes de escutar ou cuidar do outro, sei que devo estar oco como um bambu”

Só por hoje, confio

“Acredito em mim mesmo e nas minhas capacidades. Confio no universo e sinto o fluir da energia. Sei que o meu caminho o faço para atingir a felicidade. Não me vou preocupar pois confio em mim.”

Só por hoje, sou grato

“Agradeço por todas as situações, incluindo o meu desequilíbrio emocional. Sei que tudo o que possa considerar mau, será bom para o meu crescimento. Irá permitir-me parar e crescer mais. Serei mais feliz.”

Só por hoje, trabalho honestamente

“Sou verdadeiro comigo mesmo. Sou verdadeiro com os outros. Aceito parar quando devo. Aceito continuar quando devo. Compreendo o equilíbrio de todas as coisas.”

Só por hoje, sou bondoso

“Sou bondoso comigo mesmo, por isso trato-me. Sei que com este trabalho irei mudar por mim.”

10 – A Onda
Num momento tempestuosa
No outro, calma
A onda do oceano
É na verdade
Tal qual a existência humana
Imperador Meiji

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 1.658 times, 1 visits today)