reiki1

Dois interessantes projetos de Reiki estão a ser desenvolvidos no Norte, graças à iniciativa de Joaquim Antas, sócio da Associação Portuguesa de Reiki. Um dos projetos leva, há um ano, Reiki  ao Hospital de Santo António, no Porto. O outro permite que crianças de oito escolas do concelho de Vila Nova de Gaia contactem com esta terapia complementar, desde 2011.  Joaquim Antas fala-nos um pouco sobre os dois projetos.


Há quanto tempo está o projeto a ser desenvolvido no Hospital de Santo António, no Porto?

Está a ser desenvolvido há cerca de 1 ano.

Quem coordena o projeto?

Este projeto foi elaborado pelo nosso Centro [Escola de Reiki Essencial “Discípulos de Luz”] e apresentado à Direção Hospitalar pela nossa terapeuta e enfermeira daquele mesmo Hospital, Alexandra Fernandes, o qual foi aceite e está a ser coordenado pela mesma.

Todos os doentes que desejem podem receber Reiki?

Os doentes que estão a receber Reiki pertencem aos Serviços de Consulta Externa de Cirurgia, local onde a referida terapeuta Alexandra, que pertence à nossa Escola, trabalha. Posteriormente será alargado a outros doentes do Hospital.

E qual tem sido a recetividade dos doentes?

Os doentes têm uma grande recetividade a esta terapia complementar, dado que têm melhoras mais rápidas nas feridas a cicatrizar e sentem menos dores e ansiedade. As sessões são diárias e semanais, sendo reservados cerca de 10 a 15 minutos para cada doente e são mais aplicadas no local da ferida ou dor. Os doentes que apresentavam dores agudas ou crónicas e bastante ansiedade, após terem começado a receber a terapia de Reiki, relatam que tais sintomas abrandam ou até desaparecem por completo.

Como pondera a continuidade deste projeto?

Com o decorrer do tempo, esta terapia tem dado cada vez mais resultados satisfatórios aos doentes e a Administração do Hospital, face a esses resultados, está a ponderar alargar a terapia a outros doentes. A nossa Escola de Reiki tem iniciado muitas enfermeiras e enfermeiros e até alguns médicos, quer daquele Hospital, quer de outros hospitais das redondezas. Temos já uma das nossas terapeutas e também enfermeira, Catarina Miranda, a transmitir Reiki uma vez por semana no Centro de Saúde de Valadares, Vila Nova de Gaia, das 15 horas até às 19 horas, projeto este também aceite pela Administração do referido Centro de Saúde.

 

reiki_criancasREIKI NAS ESCOLAS

E em relação ao projeto de Reiki nas escolas, onde está a ser desenvolvido e desde quando?
Estamos a desenvolver este projeto em oito escolas repartidas pelo concelho de Vila Nova de Gaia desde 2011.

Quantas crianças estão a ser abrangidas?

Estão a ser abrangidas 45 crianças na totalidade, sendo que cada escola ou unidade especial tem em média cinco a sete crianças.

Qual a frequência das sessões?

As sessões são da parte da manhã, das 10 às 12h30, e abrangem todas as manhãs, semanalmente.

Qual tem sido a recetividade dos alunos?

No início os alunos, e dadas as suas características, estavam um pouco receosos, mas depois com a continuidade mostraram-se muito recetivos. Mais calmos e relaxados, interagindo uns com os outros com mais harmonia e disciplina, bem como para com as professoras e auxiliares educativas. Antes de iniciarem este projeto Reiki, as crianças eram agressivas umas com as outras e indisciplinadas para com os docentes e auxiliares.

E os pais, como tem sido a sua recetividade? Mostram abertura em relação a esta terapia complementar?

Tudo isto começou precisamente com a abertura de alguns pais que iam ao nosso Centro receber Reiki e verificavam que se tornavam mais relaxados e harmonizados e que os seus filhos poderiam ser também beneficiados com esta terapia. E assim propuseram nas unidades escolares a implementação desta terapia. Claro que nem todos os pais no princípio foram recetivos, bem como as Direções Escolares. O ano de 2011 foi assim um ano experimental nas escolas e, dado os resultados positivos obtidos, as Direções Escolares em convergência com o Ministério da Educação, decidiram a continuidade desta terapia complementar.

Como contornaram a relutância inicial que sentiram?

Quando iniciámos a terapia de Reiki nas escolas, houve a princípio uma certa relutância entre alguns professores, auxiliares e pais. As crianças a princípio também estavam receosas. O grupo de Reiki transporta marquesa portátil, t-shirts alusivas ao Reiki e música de relaxamento. Perante o quadro inicial optámos primeiro por dar Reiki aos professores e auxiliares das escolas para sentirem o que era esta terapia, bem como para que as crianças observassem. E a pouco e pouco fomos também introduzindo os alunos. Após o primeiro mês tudo mudou. Quer os docentes, quer os auxiliares e, por tabela, as crianças estavam recetivos a esta terapia. Os professores e auxiliares ficaram mais pacientes e as crianças mais calmas, mais harmonizadas e disciplinadas. As crianças que se agrediam umas às outras tornaram-se amigas e em vez de se agredirem passaram a abraçar-se e a beijar-se.
Os pais dessas crianças começaram também a notar uma melhoria comportamental delas em casa. Mais meigas e mais obedientes.
Quando iniciámos o ano letivo de 2012 nas escolas, as crianças manifestaram-se alegres com a nossa presença e os professores e auxiliares afirmaram “ainda bem que já chegaram pois eles (as crianças) estavam um pouco impacientes e nós com saudades vossas”.
Alguns professores e auxiliares foram iniciados no nosso Centro como reikianos, bem como alguns dos pais, o que muito nos alegrou e entusiasmou. Por último, informo que tudo isto é feito com caráter de voluntariado, sem quaisquer proveitos financeiros.
Das oito escolas, sete são estatais e são dirigidas pelo agrupamento CERCIGAIA, sendo a outra particular.

 

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 1.846 times, 1 visits today)