compaixao1

Acontece a muitos praticantes de Reiki, durante o seu percurso, estarem uns tempos longe desta terapia. Nalguns casos, o afastamento pode até durar anos. A boa notícia é que podem voltar à prática a qualquer momento. O Reiki continua lá. Só precisa de ser “acordado”.


Porque o Reiki é aquilo que o praticante desejar e permitir que seja, é possível que, em determinado momento da vida, a sua prática possa ser atenuada ou até interrompida por completo. Tal pode acontecer por diversos motivos, na maior parte quase sempre relacionados com a predisposição da pessoa para continuar a praticar. Por vezes, alguns aspetos da rotina do praticante foram alterados, tornando difícil encontrar aquele tempo livre de que antes dispunha para o auto-tratamento. Por exemplo, quando nasce um filho pode ser complicado integrar a prática diária com as novas e exigentes tarefas. Pode também acontecer que uma alteração no círculo de amigos tenha motivado uma mudança nas atividades diárias e até, eventualmente, na forma de se pensar e estar no mundo. Outras pessoas descobrem outras ferramentas de autoconhecimento que, no momento, as preenchem de forma mais adequada e melhor respondem às suas necessidades.

Outro motivo que também pode estar na origem da interrupção é o Reiki mostrar ao praticante as suas zonas de sombra, isto é, aquelas áreas do seu Ser que devem ser trabalhadas no sentido de se progredir e elevar a consciência em sintonia com os Cinco Princípios. Por vezes, acontece que o praticante não se sente ainda preparado para integrar mudanças a esse nível na sua vida e acaba por se afastar do Reiki.

 

Ainda assim, são muitos os praticantes que ao fim de algum tempo acabam por querer voltar. E nessa altura as dúvidas que surgem são muitas:

– Ainda estarei iniciado ou o Reiki “perdeu-se”?

– Como é que volto a praticar?

– Ainda serei capaz de voltar a sentir?

 

Desde logo, importa esclarecer que uma vez iniciado em Reiki, nunca ninguém deixa de o ser. A pessoa ainda é canal de energia vital universal. Mas precisa de voltar a praticar para que o Reiki flua pelos canais energéticos, desbloqueando-os, limpando-os das impurezas acumuladas durante a pausa.

Considero que a melhor forma de voltar ao Reiki é… praticando Reiki. De forma simples e completamente despretensiosa. Começando por pequenos passos, um de cada vez. E sim, será capaz de voltar a sentir. Poderá até acontecer que, agora, sinta mais ou de maneira diferente. Porque, de alguma forma, o praticante cresceu entretanto. No período em que esteve afastado do Reiki teve outras experiências de vida que, eventualmente, podem até ajudá-lo agora a compreender melhor o Reiki e a senti-lo mais forte, sem bloqueios provenientes da razão ou da mente.

 

Voltar a meditar

Mas ainda antes de regressar ao Reiki, é altura de voltar a ouvir a voz interior, de retomar hábitos de introspeção e de apaziguamento. Por exemplo através da meditação.

Para que o regresso não seja brusco (e de difícil cumprimento), é melhor começar a meditar por períodos curtos, de 5 a 10 minutos, numa altura do dia que seja mais favorável e num espaço calmo, sem solicitações exteriores. Pode ajudar tentar meditar em questões como estas que aqui ficam em jeito de sugestão, escrevendo no final, numa folha de papel, as respostas encontradas:

– Que objetivos pretendo atingir com o regresso ao Reiki?

– O que quero para mim próprio?

– Por que razão interrompi o meu caminho com o Reiki?

– Espero que o Reiki me dê soluções imediatas para os problemas da minha vida?

 

Voltar a praticar

Quando tiver as respostas às questões sugeridas, permita-se voltar a praticar Reiki, sem nenhum tipo de expectativas. O que vier será com certeza bom, será energia vital universal. Assim:

– Experimente ligar-se ao Reiki sem preconceitos, sem uma ideia prévia daquilo que deverá sentir. Não se apegue aos pensamentos nem às sensações, limite-se apenas a ligar-se ao Reiki como fazia antes. Caso não se lembre de como fazia, pode proceder da seguinte forma:

– Coloque-se em posição Gassho (as duas mãos juntas com os polegares a tocar o chacra cardíaco), concentre-se na energia Reiki no topo da sua cabeça (chacra da coroa);

– Visualize a energia a entrar pelo topo da sua cabeça;

– Com a inspiração traga o Reiki até ao coração;

– Leve a energia do coração para as mãos;

– Deixe-se estar assim durante pelo menos 5 minutos, deixando a energia fluir do topo da cabeça para o coração e depois para as mãos.

 

21 dias de auto-tratamento

Quando voltar a sentir-se à vontade nesta prática, pondere a hipótese de fazer um ciclo de 21 dias de auto-tratamento, à semelhança do que fez quando foi iniciado. Verá que, no final, estará de novo no caminho do Reiki. Ajudará também se incluir no auto-tratamento uma meditação com os Cinco Princípios, como forma de integrar novamente a filosofia de vida do Reiki no dia dia a dia.

Acima de tudo, lembre-se de praticar com simplicidade, sem expectativas nem ideias pré-concebidas. O mais provável é que o Reiki o surpreenda de repente, mostrando-lhe que, afinal, esteve sempre ali, à espera de ser novamente “acordado”.

 

Artigo publicado em BeYou Reiki

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 5.962 times, 1 visits today)