Infelizmente, nos dias de hoje, ainda se ouvem histórias sobre a mistificação que algumas pessoas criam em torno do Reiki. Neste caso, quero abordar uma que deturpa bastante a prática, a filosofia de vida e a lógica do que é Reiki – a ligação energética, a corrente energética, o contrato energético entre Mestre e Aluno de Reiki.

Acredito que este tipo de ligações, correntes, contratos, possam existir em práticas de baixa frequência ou que envolvam situações bem além de nós, seres vivos. Mas, no Reiki, é um perfeito disparate criar uma associação deste género. Para comprovar tal, observa os seguintes pressupostos:

  1. Reiki é energia universal, vital, que nos permeia e está disponível em todo o lado;
  2. Mestre de Reiki é apenas a pessoa que auxilia o canal energético da pessoa a ficar sintonizado com a energia;
  3. Reiki é passivo, não passa se o emissor não tiver um coração predisposto e o seu receptor não recebe se não estiver predisposto a tal (é uma das razões pelas quais gosto tanto do Reiki);
  4. Reiki é amor incondicional, é um acto de doação e como tal, não há coisas como ligações, correntes ou contratos que em tudo têm a vontade de controlo de uma pessoa sobre a outra;
  5. Reiki é para a melhoria da Mente e do Corpo. O Mestre Usui dizia «Shin Shin Kaizen». Como pode ser uma prática para a melhoria da Mente e do Corpo ser utilizada com propósitos que nada têm a ver com ela?
  6. Reiki é a arte secreta de convidar a felicidade. Novamente, como podem colocar vontades egoístas e negativas perante uma prática positiva;
  7. Reiki é uma filosofia de vida assente em cinco princípios que levam à elevação da consciência e à melhoria da pessoa, para uma vida mais feliz.

Tendo em conta estes sete pontos, terás já bastante material para uma reflexão ajuizada. Mas, quero debruçar-me ainda sobre o que é isto de um contrato energético e desmistificar as relações entre Mestre e Aluno.

O que é um contrato energético

Fazemos contratos com tudo, portanto não julgues que apenas no Reiki ou nas terapias energéticas e espirituais é que existe tal situação. Se faltas à tua palavra, estás a quebrar um contrato, em primeiro contigo, depois para com os outros. Se passas a não gostar de determinada comida e não comunicas a quem costuma cozinhar para ti, estás a quebrar um contrato sem comunicar as suas mudanças. Então, um contrato é algo que nós fazemos muito interiormente, em todos os campos da nossa vida. Ora se alguém diz que quer quebrar um contrato, é uma opção dessa pessoa. A única coisa que terá a fazer para o melhor na sua vida é que mantenha as águas limpas, ou seja, que se torne muito claro o que quer fazer e, sendo praticante de Reiki, aplique os cinco princípios. Agradeça por todas as situações de aprendizagem, seja bondoso e não tenha medo. Estas três questões são mesmo muito importantes e não te esqueças que é o medo que te dá origem a tantas situações desconfortáveis. Pensa nessas situações com amor, com Reiki.

Um contrato energético existe entre todos os seres vivos, são as ligações que até por vezes nos levam a lembrar de alguém e a ligar-lhe e essa pessoa a dizer que estava a pensar em nós. Nunca leves tudo para o campo negativo nem infundas medo. Os contratos existem naturalmente e também naturalmente se extinguem ou mudam.

Desmistificar as relações entre Mestre e aluno

Um Mestre de Reiki dizer que tem «poder» sobre o aluno, sobre o Reiki que ele transmite é dos maiores absurdos que pode haver. Se acha tal, então não deve ser Reiki que pratica. Onde o Mestre Usui, Hayashi ou Takata disseram tamanha barbaridade? Nunca o disseram. Sempre nos ensinaram sim a ser como um bambu, flexível, oco e predisposto para que a energia flua. Recitar os cinco princípios de manhã e à noite, para nos transformarmos. O que tem isso a ver com o poder de alguém sobre outrem?

Se um Mestre de Reiki considera que tem esse «poder», onde ele encaixa amor incondicional aí? Como pode estar, sabendo que os seus alunos têm medo de «poderes»?

Então, é caso para dizer, se queres ser Mestre para ter poder sobre outros, não é no Reiki que tal se encontra. Há muitas outras disciplinas, procura-as e faz aí o teu caminho, não vale a pena desvirtuar o Reiki com isso. Pensa que o que dás, é-te dado mas, o que retiras, também te é retirado.

Aluno e o que queres tu do Reiki? Para que o procuras? É para teres poder? Impressionar os outros? Uma forma que achas fácil de ganhar dinheiro?

A tua intenção para com o Reiki irá ditar muito do que o universo tem para te oferecer.

Pratica Reiki, pratica os princípios. Aí encontrarás a resposta para estas questões. Como se pode praticar amor incondicional e compaixão se se disse que se tem poder sobre?

Ser Mestre de Reiki é um trabalho incrivelmente árduo se estivessemos a criar assim ligações com alunos, a vida seria insuportável. Reiki é um caminho para a felicidade. Faz o banho seco, a chuva de Reiki, o Joshin Kokyu Ho e preenche-te de Reiki. Aí encontrarás as respostas, a iluminação e compreensão contra o medo e a mistificação. Que há muitas coisas más na vida, há. Mas o Reiki não tem culpa delas nem é uma prática que as incentive. os problemas estão nas pessoas. Observa as seguintes palavras do Mestre Usui:

Em primeiro lugar temos que curar nosso espírito. Em segundo lugar, temos de manter o nosso corpo saudável. - Mikao Usui

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 3.640 times, 1 visits today)