Estava na APCA no dia em que o Dino chegou, muito assustado, magro e com uma doença nos olhos.
Foi um Domingo à tarde.
Quando entra um animal novo no canil, imediatamente imensos cães o seguem e cheiram, o que
amedrontaria qualquer um…
Ao longo do tempo e de algumas sessões de Reiki, revelou-se um cão muito meigo, que nos recebe na sua
box com um salto, põe as patas nos nossos ombros e nos dá imensas lambidelas, como que a dar-nos as
boas vindas.
Já sabe o que vamos lá fazer, pelo que vem a correr, faz um movimento acrobático, que faz lembrar um
mortal, e fica deitado na caminha à espera que lhe façamos Reiki.
Vira-se de barriga para cima e faz uma expressão do mais doce que já vi.
É um cão de porte grande, mas tem uma agilidade fantástica.
Quando nos vamos embora, dá outro salto e mais lambidelas.
O voluntariado no canil, substitui qualquer máscara de beleza, porque as lambidelas dos cães devem conter uma substancia qualquer que hidrata a pele e que, conjugadas com um sentimento de carinho franco e verdadeiro, nos enche o coração.

cronicas do canil 1

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 167 times, 1 visits today)