Graça Luís é praticante de nível 2 de Reiki e teve uma experiência muito interessante com o Matley, um cão que aceitou receber Reiki.

Em visita a casa de amigos, constatei que o cão deles de 4 meses, se encontrava absolutamente prostrado. Num momento em que fiquei a sós com ele, após ter pedido a sua permissão, resolvi passa-lhe reiki.

Logo após ter iniciado. comecei a sentir intenso formigueiro nos dedos e lembrando-me de uma orientação das aulas, comecei a limpá-lo. A limpeza durou muito tempo e nunca deixei de sentir o intenso formigueiro nos dedos. Após algum tempo, voltei a passar-lhe energia reiki.

Durante todo esse tempo ele ficou muito quieto e muito encostado em mim.

Em dada altura fui chamada pelos anfitriões e terminei o tratamento.

Passados alguns minutos, o Matley levantou-se e foi vomitar, tendo ficado mais activo.

Em conversa com os donos, informaram que suspeitavam de envenenamento.

Esta história faz-nos lembrar a crise de cura, que tantas vezes “assusta” as pessoas. A crise de cura é uma reacção natural do corpo para que este encontre o seu equilíbrio. No caso do Matley, foi vomitar para libertal algo que lhe estivesse a fazer mal. Na prática de Reiki temos sempre que nos lembrar que o processo de cura depende de quem recebe e das condições que tem para tal, também nos animais observamos as mesmas questões e reacções que nós temos.

images (2)

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 841 times, 1 visits today)