Mais um dia de voluntariado Reiki animal na UPPA! Os animais recebem-nos com a emoção de ver alguém que lhes dá carinho, atenção e um dia diferente com brincadeira, passeio, piscina, escovagem, banho e Reiki, é esta a receção que todos os voluntários da UPPA recebem ao entrar no albergue.

Lambidelas, turras e latidos fazem parte da vida do voluntário, as emoções que revelam tiram o véu à perceção que quase todas as espécies animais têm vidas emocionais complexas.

E, quem lida com eles diariamente sabe que riem, choram, amam e têm dor, têm os seus humores, mas o seu coração está sempre aberto ao amor, à compaixão. Nós cuidadores temos uma grande amostragem de sentimentos que os nossos animais exprimem que revelam que eles são sencientes e que por detrás do brilho do seu olhar há muito mais que um cão, um gato, um pássaro, etc.

Estudos recentes provam que os animais sentem curiosidade, solidão, alegria e nostalgia. Têm saudades, culpa, constrangimento mas também são tomados por raivas e medos. Têm acessos de fúria e precisam de momentos de descompressão. Tal como Charles Darwin escreveu em 1872 no livro “A expressão das emoções no homem e nos animais”, ninguém pode negar que as reações dos animais têm um lado emocional.

E, estas emoções podem ser extravasadas de uma forma mais evidente, com gemidos, choro e lágrima, uma verdadeira crise emocional, com latidos de alegria e com olhos de meia-lua de arrependimento e doçura.

É esse testemunho que trago hoje na tentativa de mudar consciências sobre o reino animal, e sobre a perceção que temos dele e, no fundo é uma partilha e uma aprendizagem para todas as pessoas e para todos os praticantes de Reiki em Animais.

O testemunho que prova que até um animal pode ter uma crise emocional, por estar triste e se sentir perdido e desamparado.

Foi no dia de voluntariado Reiki animal que fomos à UPPA e lá estava um novo membro da família Uppaliana, o Amarelinho. Este amiguito encontrava-se a vaguear sozinho e sem rumo numa grande cidade da área metropolitana de Lisboa. Não conhecemos a sua história de vida, não sabemos se foi um cão amado ou desprezado, cão de casa ou de quintal, sabemos apenas que é mais um sem história para contar mas com muito sentimento no coração, sentimento de quem foi posto de parte e na rua e que perdeu o seu porto de abrigo.

Foi recolhido pela UPPA há uma semana e meia e agora tem tudo aquilo que merece, mas claro que procura uma família que lhe dê um cantinho quentinho e confortável num lar cheio de amor, carinho e respeito. É um cão muito meigo e sensível, que se sente perdido e desenraizado e, que tenta se adaptar à nova vida no albergue.

Este pequenote foi referenciado como um animal a precisar dos cuidados do Reiki, por se encontrar há pouco tempo no albergue e por ser um pouco temperamental com outros cães.

Iniciei a sessão de Reiki com o amarelinho dentro da box e terminei fora do albergue num grande passeio, pois no decorrer da sessão este menino relevou-se de uma sensibilidade ímpar e sedento de afeto e contato, de tal forma que se emocionou chiando baixinho até que pequenas gotinhas lhe saltaram dos olhitos redondos e doces fazendo um rio que ficou marcado no seu pelo.

Foi uma sessão cheia de emoção e aprendizagem que nos ensina o quão importante são estes momentos de dádiva e partilha, e nos ajudam a colocar em prática os 5 princípios do Reiki: Só por hoje sou … grata, confio, trabalho honestamente, agradeço todas as bençoes e amo todos os seres vivos…

Carla Brito

Mestre de Reiki e Coordenadora do Grupo Voluntariado Reiki Animal da Região de Lisboa da APR

Juntos em prol da mudança de consciência sobre o reino animal!

CARLA BRITO

 


 

associacao_portuguesa_reiki_redondo_120 Descobre os conteúdos exclusivos para os associados no nosso site www.associacaoportuguesadereiki.com

 

(Visited 558 times, 1 visits today)