Publicado em

FELIZ DIA INTERNACIONAL DO ENFERMEIRO – A GRATIDÃO DE TODOS NÓS

Os enfermeiros sempre tiveram um papel de grande destaque no coração de todos nós. São os que cuidam, o que acompanham, os que estão ao lado, que conhecem a dor e as necessidades daqueles a quem prestam cuidados.

São também pessoas, que sofrem, que choram, que sentem em si a pressão do querer melhor, mas que também dão força, fazem rir e ter esperança.

Continuar a ler FELIZ DIA INTERNACIONAL DO ENFERMEIRO – A GRATIDÃO DE TODOS NÓS
Publicado em

Lidar com o momento presente pela prática de meditação e filosofia de vida – um agradecimento a todos por nos ajudarem em tempo de pandemia

De Março a Maio de 2020, em Portugal, no mundo, todos tiveram que fazer um esforço para conter a pandemia do COVID-19. Uns recolhidos em casa, mas muitos continuaram no seu serviço – Médicos, Enfermeiros, Profissionais de Saúde, Distribuidores, Transportadores, Supermercados e tantos que fazem parte do nosso quotidiano para que todos pudéssemos ter o essencial para viver.

Continuar a ler Lidar com o momento presente pela prática de meditação e filosofia de vida – um agradecimento a todos por nos ajudarem em tempo de pandemia
Publicado em

Covid-19: HUB cria projeto para cuidar da saúde mental dos profissionais

Hospital Universitário de Brasília (HUB) criou um projeto para apoiar os profissionais de saúde durante a pandemia da Covid-19. Como forma de acolhimento desses trabalhadores, o Projeto Cuidar oferece atendimentos presenciais e virtuais para todos os prestadores de serviço do hospital. 

Continuar a ler Covid-19: HUB cria projeto para cuidar da saúde mental dos profissionais
Publicado em

Reiki e Saúde Mental na Clinica Psiquiátrica de São José

No passado dia 29 de Março realizou-se uma apresentação da abordagem de Reiki e Saúde Mental a profissionais da Clínica Psiquiátrica de São José.

Desde a abordagem da atenção plena aos conceitos dos cinco princípios na nossa forma de observar e estar na vida, encontraram-se bons momentos de partilha e sabedoria, com profissionais de longa experiência no cuidado aos outros.

O meu muito obrigado à Drª Inês Guedes pelo convite e a toda a acolhedora equipa da Clínica Psiquiátrica de São José, em Lisboa.

Publicado em

Projeto – Cuidar de quem Cuida – Centro de Saúde de Montalegre

O Núcleo de Montalegre da Associação Portuguesa de Reiki abraça agora um novo projeto intitulado Cuidar de quem Cuida destinado aos profissionais do Centro de Saúde de Montalegre. O Núcleo vai disponibilizar um dia por mês onde 6 profissionais terão a oportunidade de vivenciar um momento tão maravilhoso como é o de receber Reiki. O primeiro dia iniciou já no passado dia 24 de janeiro e foi um dia maravilhosamente bem passado! Foi possível a concretização deste projeto devido ao grande apoio do Exmº Diretor do Centro de saúde de Montalegre, da Enfermeira Ester e da Enfermeira Florentina Santa a quem devo o meu muito obrigada! Agradeço também a cada profissional que se disponibilizou para experimentar esta terapia, foram mesmo pessoas muito queridas 🙂 

O Núcleo agradece também à APR por todo o apoio, incentivo e exemplo.

Saudações Reikianas 🙂

Nina Leconte

Publicado em

Workshop "Stress e Burnout: Identificar sinais e gerir recursos"

Realizou-se no dia 21 de Novembro o Workshop “Stress e Burnout: identificar sinais e gerir recursos”, destinado a técnicos e dirigentes das Instituições parceiras da CSF Mina de Água.
Dinamizado pela Cristina Belém, Psicóloga e membro dos Órgãos Sociais da Associação Portuguesa de Reiki, este workshop contou com a presença de 14 participantes, os quais avaliaram de forma bastante positiva esta manhã de trabalho.

Publicado em

Apresentação e demonstração sobre Reiki no IEFP

No passado dia 26 de Junho estivemos presentes no IEFP, onde fizemos uma sessão de esclarecimento sobre o que é Reiki, a cerca de 15 participantes. Tivemos ainda a oportunidade de realizarmos a todos os participantes uma sessão de Reiki, para sentirem, de forma simples, a aplicação de energia.
O nosso agradecimento à Drª Manuela Tinoco e ao Dr. Frederico Costa, pelo simpático convite e por proporcionarem este bom momento aos colaboradores.
Um grande obrigado às voluntárias Isabel Couto, Raquel Correia, Alexandra Rodrigues e Tina Silva, pela sua presença e incrível apoio com muito Reiki.

Publicado em

Projeto MAIS Abragão ( Movimento, Autonomia, Inclusão e Saúde)

sattva-reiki
A convite da Equipa técnica do Centro Social e Cultural de Abragão, o Núcleo de Reiki de Penafiel e Vale de Sousa foi realizar uma sessão de esclarecimento sobre o reiki para se juntar neste Projeto MAIS Abragão, na área da Saúde,  aos mais idosos.
Este projeto vai começar em Agosto, com um período de 3 meses, incluindo o Cuidar de Quem Cuida, para com os técnicos.:))))
Grato pelo convite _/|\_
Colaboradores neste Projeto Vitor Sousa e Rosário Castanheira e Nuno Nunes do  NRPVS.
_/|\_ as imagens falam por si <3
” foi a melhor hora passada, para esquecermos tudo o resto.” (utente)
13672396_1341266409221022_204193781_n 13735294_1341267079220955_1498703829_n 13874541_1341266482554348_1440224043_n 13874762_1341266322554364_1607186918_n
DSCN1317 DSCN1334
Publicado em Deixe um comentário

Arranca projeto de voluntariado Reiki para técnicas em Sintra

No dia 16 de Maio, o Núcleo de Reiki de São Pedro de Sintra, coordenado por Paula Baúto, iniciou o projeto de voluntariado na casa de acolhimento Obra do Padre Gregório, com os voluntários Raquel Correia, Patrícia Branco e Júlio Costa.

O projeto decorre, inicialmente,  com a duração de aproximadamente dois meses,  às cinco técnicas sendo, posteriormente, direcionado às jovens da instituição.
Grego03_wideS
Publicado em Deixe um comentário

Voluntariado Reiki na CASP com avaliação muito positiva

O Centro de Apoio Social do Pisão, da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, acolhe em regime de internamento adultos com patologia psiquiátrica de ambos os sexos (275 homens e 65 mulheres), cujo quadro psicossocial requer cuidados básicos de subsistência e de saúde integral que engloba aspectos físicos, psíquicos, sociais, ocupacionais e de reabilitação.
O projecto de voluntariado Reiki iniciou em Fevereiro de 2015, com a coordenadora do núcleo de Cascais, Cidália Godinho e conta com dois voluntários na instituição. Estão 57 colaboradores inscritos para receberem Reiki. Este é um caso de sucesso para o projecto Cuidar de Quem Cuida.
Segundo a instituição, «as sessões de Reiki constituem uma mais valia para todos os colaboradores, proporcionando um momento de paragem para relaxamento, alívio de stress e ansiedade, funcionando como um factor motivacional no desempenho do seu trabalho». O voluntariado teve uma avaliação de “Muito bom”.

Se quiseres apoiar esta iniciativa inscrevendo-te como voluntário, contacta directamente o núcleo de Cascais, aqui…
vamos ser voluntários

Publicado em Deixe um comentário

Workshop Cuidar de Quem Cuida CHTVS

Conseguimos mais um objetivo do Núcleo de Reiki de Penafiel.
realizamos o Workshop Cuidar de Quem Cuida, desta vez na sala da Casa do pessoal e Amigos do Centro Hospitalar do Tâmega e Vale de Sousa ( Hospital Padre Américo),
Cuidamos dos colaboradores de algumas áreas deste Hospital , que dão tanto deles em prol de outros.
GRATO aos presentes, assim como aos Voluntários APR :
Ascensão Costa; Sandra Poiares e Vitor Martins. <3
p3 p4
_/|\_
Nuno Miguel Moreira Nunes
Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel da APR
tlm : 934 181 584
 
Publicado em Deixe um comentário

Reiki na Alzheimer Portugal, em Lisboa

Daniel Azevedo é Mestre e Terapeuta de Reiki, é o responsável pelo projecto na Alzheimer Portugal que arrancou oficialmente, com uma sessão de esclarecimento a 29 de Setembro de 2015. Este projeto inicia com o Cuidar de Quem Cuida, no apoio aos técnicos da instituição, indo futuramente passar para utentes. O projeto iniciou-se em 2015 com a Ana Santos, membro dos Órgãos Sociais da Associação Portuguesa de Reiki e é agora continuado pelo Daniel Azevedo.
terapia-ocupacional-alzheimer-portugal-47-728
Em que consiste este projeto com a Alzheimer Portugal, em Lisboa?
Este projeto visa levar à Associação de Alzheimer as potencialidades do Reiki enquanto terapia natural, complementar e integrativa. Proporcionando numa primeira fase o cuidado a quem cuida procurando com isto levar um maior equilíbrio e bem-estar aos seus colaboradores, que lidam com uma condição tão complexa como é o caso do Alzheimer, o qual é preciso uma atenção e dedicação constantes. Para que tal resulte é importante um bem-estar geral, equilíbrio energético e pessoal e é isso que pretendemos levar.
Numa fase posterior, o objetivo passa por levar o reiki aos doentes de forma a proporcionar uma melhor qualidade de vida. Enquanto que nós voluntários, dá-nos este projeto a possibilidade da prática, da doação e do contacto com outras realidades, pessoas e conhecimento.
Que tipo de dificuldades, enquanto terapeuta, encontras num projeto deste tipo?
A primeira dificuldade é a clarificação e desmistifica do que é o Reiki, do que ele representa, como funciona, os seus objetivos e benefícios, especialmente estando este projeto ligado a uma área tão ligada à ciência e à psicologia.
Enquanto prática é conseguir responder de forma adequada ao desgaste emocional, físico e acima de tudo mental que está associado não só à doença mas também a quem lida com ela. São as questões mentais e o desgaste que mais são notórios e os quais é preciso responder com equilíbrio e serenidade.
O voluntariado estará agora orientado ao Cuidar de Quem Cuida, achas que faz sentido?
Faz todo o sentido, porque são eles que tratam e acompanham os doentes e é muito importante que estejam bem de modo a conseguirem prestar um maior e melhor auxílio, tendo maior disponibilidade e capacidade de resposta às situações.
Estando os cuidadores bem automaticamente esse bem-estar e condição é alastrado aos doentes,  ao trabalho e às suas responsabilidades.
Será este tipo de projeto um exemplo para muitas outras instituições e para os seus profissionais?
É sem dúvida um exemplo para outras instituições pois tendo em conta a complexidade da doença e das necessidades da Associação ter recetividade a uma terapia como o Reiki permite um maior conhecimento e visão mais alargada da totalidade e complexidade do ser humano, uma maior abertura às alternativas de tratamento e uma maior troca de conhecimento.

Sendo que a Associação de Alzheimer conta com psicólogos é sempre positivo a recetividade enquanto tratamento complementar que é o Reiki, que visa proporcionar a todos bem-estar e equilíbrio. Sendo uma área ligada à ciência e à psicologia é sem dúvida um exemplo de abertura e recetividade desde projeto que espero servir de exemplo e se consiga chegar a mais lugares.

Daniel Azevedo, Mestre e Terapeuta de Reiki
Daniel Azevedo, Mestre e Terapeuta de Reiki
Publicado em Deixe um comentário

Cuidar de Quem Salva – Reiki para bombeiros voluntários

Cuidar de Quem Salva é um projeto de voluntariado Reiki, criado por Paula Baúto para a Associação de Bombeiros Voluntários de São Pedro de Sintra. Cuidar daqueles que nos ajudam, salvam, é um ato de amor incondicional e um merecido “só por hoje, sou grato”.
No dia 30 de Setembro o projeto arrancou com uma sessão de esclarecimento a 7 pessoas, propostas ao projeto, que depois receberem Reiki. Este dia contou com o apoio das voluntárias Paula Baúto, Teresa, Raquel, Lina e Isabel.
 

cuidar de quem salva
As voluntárias, Paula, Teresa, Raquel, Lina e Isabel.

Cuidar de quem salva é um projeto dentro do âmbito de 2015 Ano de Cuidar de Quem Cuida.

Publicado em Deixe um comentário

Núcleo de Reiki da Guarda divulga terapia junto de doentes, idosos e cuidadores

No dia 18 de Março realizamos uma sessão de Voluntariado no Centro de Dia de Maçainhas, desta vez para os cuidadores a quem enviamos a nossa profunda gratidão pelo seu trabalho.
Foi para nós um privilégio partilhar Reiki com estes cuidadores que tornam o dia a dia dos nossos idosos menos solitários e contribuem para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias. Enviamos a toda a equipa um profundo agradecimento pela forma gentil como nos acolheram.
 aldina
Reiki no noticiário da SIC :
“…O núcleo de Reiki da Guarda está a divulgar a terapia junto de doentes, idosos e cuidadores. Já em aplicação nos hospitais da Covilhã e do Fundão, o grupo também quer alargar o trabalho ao Hospital da Guarda e aumentar o número de voluntários…”
grata _/|\_
Aldina Santos
Publicado em Deixe um comentário

Reiki na Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches

Realizou-se no dia 10 de Fevereiro um seminário sobre “Recursos da Comunidade de Marvila”, na Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches, organizado pelos alunos da escola. A Associação Portuguesa de Reiki esteve presente, onde João Magalhães apresentou vários projetos sobre Reiki para Seniores (Viver + Energia) e ainda o projecto Cuidar de Quem Cuida, neste caso orientado para enfermeiros. O nosso muito obrigado ao Juan Dias pelo convite na participação deste Seminário, à Drª Maria João Sousa Fernandes e a todos os alunos participantes, pela atenção e participação activa.
Continuar a ler Reiki na Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches

Publicado em Deixe um comentário

Aplicação de Reiki e cromoterapia em colaboradores do conjunto hospitalar do Mandaqui

INTRODUÇÃO:
O corpo do voluntariado do Hospital do Mandaqui foi criado para prestar um serviço social e de humanização aos pacientes de todas as áreas do hospital. Sua atuação compreende todas as áreas hospitalares, incluindo o Ambulatório de Especialidades. Neste, iniciou-se um trabalho de aplicação de Cromoterapia e Reiki em pacientes ostomizados, obesos mórbidos, portadores de hepatite C e seus familiares. Diante dos resultados positivos relatados pelos mesmos, decidiu-se ampliar o atendimento também aos colaboradores desta unidade. O Reiki é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde como prática terapêutica vibracional. A Cromoterapia é uma ciência que usa a cor para estabelecer o equilíbrio e a harmonia do corpo, da mente e das emoções.
JUSTIFICATIVA:
O estresse vivenciado dia-a-dia pelos profissionais da saúde, acabam comprometendo seu desempenho profissional e, também, sua saúde sob vários aspectos. Os resultados positivos alcançados através do Reiki e Cromoterapia com os pacientes e familiares do Ambulatório, desencadeou essa proposta de trabalho voltada aos colaboradores do C.H.M.
OBJETIVO:
Oferecer aos colaboradores a possibilidade de utilização de terapias alternativas complementares nos tratamentos de saúde.
METODOLOGIA:
Os colaboradores são encaminhados por médicos ou psicólogos do C.H.M. e agendam horário, num total de 10 sessões. Foi criada uma sala especialmente ambientada para a prática dessas terapias, com som ambiente, essências de aromas suaves, macas e cadeiras visando o conforto e relaxamento dos colaboradores.
CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Espera-se que os funcionários possam equilibrar as energias do corpo, gerando um bem estar físico e emocional e, com isso, lidar melhor com o estresse vivido no ambiente de trabalho.
Fonte: redehumanizasus
f_93312

Publicado em Deixe um comentário

Reiki na Liga Portuguesa Contra o Cancro – uma sessão de esclarecimento

Cuidar de quem cuida é importante. Este foi um dos temas dos benefícios sobre Reiki, apresentados à unidade de psico-oncologia – Pólo de Braga, a cargo da Liga Portuguesa Contra o Cancro.
A 26 de Junho, foi realizada uma sessão de esclarecimento sobre o que é Reiki e os seus benefícios para os cuidadores, funcionários e utentes da unidade de psico-oncologia do Pólo de Braga. A apresentação ficou a cargo de Sílvia Oliveira e de Sofia Vilas Boas a impulsionadora deste projeto de voluntariado em terapia Reiki.
Os nossos agradecimentos à Drª Fátima Soeiro e a todos os participantes desta sessão.
Entrevista realizada a Sofia Vilas Boas
De onde surgiu esta iniciativa?
Esta iniciativa surgiu depois de a Sílvia Oliveira, num workshop, ter lançado o repto a solicitar voluntários para encabeçar o projeto  Reiki ao domicílio a doentes oncológicos, e de imediato manifestei o meu interesse.  A uma dada altura li um jornal local a notícia de que a Liga Portuguesa contra o cancro iria abrir uma unidade de psico-oncologia em Braga na sede de uma Junta de Freguesia. A partir daí entrei em contacto com a responsável, que no logo primeiro contacto telefónico ficou bastante entusiasmada com a ideia e, assim que a unidade começou  a funcionar em pleno fui contactada para iniciar um ciclo de formações, tendo a entidade escolhido o ‘Reiki na doença oncológica’ como tema de abertura.
Porquê o querer trabalhar com a Liga?
Por razões pessoais a  área de oncologia é uma área na qual eu gostaria de poder fazer a diferença para alguém.
Qual a receptividade a um tema como o Reiki?
Considero que a receptividade foi bastante boa, porque todas as participantes no final da sessão de esclarecimento não só se prontificaram para receber tratamento com o objetivo de perceberem um pouco melhor o Reiki e como atua, como também mostraram interesse em receber uma iniciação.
Como vês a importância de um voluntariado terapêutico a técnicos da liga?
Julgo que é de vital importância cuidar de quem cuida, pois os técnicos da liga são as pessoas que mais próximas estão dos doentes e das suas famílias, por isso é importante que também eles possam beneficiar do bem-estar e equilíbrio que o Reiki proporciona, para assim também eles melhor poderem ajudar os seus utentes.
Qual o teu sonho para este projecto?
O meu sonho para este projeto é que ele flua, sem criar muitas expectativas desejando que traga muitas alegrias a todos aqueles que nele participam, bem como a todos que dele vão usufruir e, que esta seja a semente que vai germinar muitos frutos.
P1060749
Sílvia Oliveira e Sofia Vilas Boas
A partir do próximo dia 3 de Julho irão ter início as sessões de terapia Reiki aos voluntários da Liga.
Sofia Vilas Boas ficará à frente deste projeto de voluntariado no âmbito de Cuidar de Quem Cuida e do Ser e Viver, Reiki para a pessoa com Doença Oncológica, com o apoio do Núcleo de Guimarães da Associação Portuguesa de Reiki.
Publicado em Deixe um comentário

Enfermeiro da APR defende integração do Reiki no SNS

Bruno Azevedo Enfermeiro Reiki
Iniciamos hoje uma série de entrevistas aos elementos que compõem os Órgãos Sociais da Associação Portuguesa de Reiki (APR). O objectivo é apresentá-los, revelar os seus trajectos e de que forma constituem uma mais-valia para a missão da APR. Começamos por dar a conhecer Bruno Azevedo, vice-presidente do Conselho Fiscal. É enfermeiro de profissão e defende a integração do Reiki no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Há quanto tempo estás ligado ao Reiki e à Associação Portuguesa de Reiki?

Fiz o meu primeiro contacto com o Reiki (nível I) em Agosto de 2009. Posteriormente, contactei com a APR em finais de 2010 e como sócio estou inscrito desde 10 de Janeiro de 2011 com o numero APR 000864-PT. O voluntariado que tenho feito é sobretudo na Casa Coração e em situações solicitadas, bem como em contextos de comunidades onde estou inserido.

O que é que te motivou a aceitar o convite para integrares os Órgãos Sociais da APR?

O que me motivou foram os benefícios e a eficácia da terapia complementar Reiki, bem como a possibilidade de participar na sua divulgação e aumentar o meu aporte teórico-prático desta terapia maravilhosa .

És enfermeiro e mestre de Reiki. O que é que leva um profissional de Saúde a dedicar-se a uma terapia complementar como o Reiki?

Actualmente temos uma saúde fragmentada, em que não prevalece uma visão holística e direccionada para o utente em todas as vertentes que possam contribuir para o seu equilíbrio. Falo certamente com conhecimento de causa. A Medicina convencional é fantástica em casos agudos, mas muito precária no que se refere à responsabilização e capacitação pessoal no processo de cura. Se existem outras ferramentas viáveis com resultados comprovados, por que não incluí-las? Posso dizer que a minha mente é bastante “científica” e que os resultados que tenho tido com a terapia Reiki superam em muito as minhas expectativas.

A integração do Reiki por parte de profissionais de saúde, nomeadamente médicos e enfermeiros, é vantajosa?

Certamente. Em primeiro lugar, permite um auto-cuidado, que é essencial ao bem cuidar dos outros. Actualmente, isto não acontece. Os profissionais estão exaustos, com excesso de horas de trabalho e não respeitando os ciclos naturais do organismo, com dúbias alimentações e uma cultura do “fast”. Coloco esta questão: quem cuida de quem cuida?
Em segundo lugar, com certeza que criaria uma saúde mais equilibrada, uma perspectiva mais completa do ser humano e mesmo uma mudança de paradigma da saúde, no sentido de um sistema que concilie todos os aspectos disponíveis para o máximo de equilíbrio no ser humano.

Acreditas que é possível a integração do Reiki no Serviço Nacional de Saúde (SNS)?

Completamente. Hoje até vivemos uma dúvida relativa à própria sustentabilidade do SNS. Tenho a profunda convicção que o Reiki diminuiria custos económicos, humanos, ambientais e sociais.
Tomo a liberdade de referir algumas conclusões de estudos efectuados para avaliar a eficácia do Reiki e que apontam, nomeadamente, para a diminuição dos níveis de hormonas relacionadas com o stresse; melhoramento dos indicadores imunitários e da tensão arterial; melhoramentos em aspectos de ansiedade, dor e fadiga; diminuição da frequência cardíaca; melhoramento no humor e funcionamento de doentes com depressão; aumento geral do bem-estar e aumento da vitalidade. Estas conclusões falam por si. E coloco mais uma pergunta: quanto custa ao SNS atingir as conclusões previamente referidas?
De referir que não existem contra-indicações médicas relativamente ao Reiki, não tem efeitos secundários adversos e não interfere com nenhum procedimento médico ou de enfermagem.

O que é que a APR pode fazer para facilitar essa integração do Reiki no SNS?

A APR tem um papel crucial no estabelecimento de bases, bem como na apresentação e divulgação de estudos que permitam uniformizar e sustentar a terapia Reiki. Isto é especialmente importante para a implementação no SNS. A APR tem também o papel de representante de uma terapia com um aumento bastante significativo em todo o mundo e que permite constituir uma estrutura de diálogo e divulgação com os representantes do SNS e os praticantes /terapeutas de Reiki.

Como analisas o projecto do Grupo de Debate para a Formação em Reiki (GDFR), que procura estabelecer linhas orientadoras para os diversos níveis de ensino?

O GDFR é importante. Temos um objectivo comum e estamos unidos para o atingir. É importante que isso fique claro. Obviamente que a uniformização e a criação de linhas orientadoras, tal como o Código Deontológico já implementado, criam a estrutura que permite mais facilmente sermos reconhecidos oficialmente.
[box type=”info”]
Bruno Azevedo vai participar no 3.º Congresso Nacional de Reiki, no dia 27 de Outubro, em Guimarães, com a palestra Reiki na Saúde – Perspectivas de Acção. Em análise estará a importância e o papel do Reiki na Saúde, abordando a possibilidade de integração das terapias complementares na Medicina convencional.[/box]
[box type=”info”]

Bruno Azevedo

Função na APR: Medicina e Terapias
Cargo nos Órgãos Sociais: Vice-presidente do Conselho Fiscal
Tarefas:
— Produzir materiais de formação e esclarecimento dentro da sua área de especialidade para apoio aos terapeutas complementares de Reiki;
— Criar uma lista de definições onde a Medicina e o Reiki se possam cruzar;
— Promover um grupo de trabalho para estabelecer a ponte entre a Medicina Convencional e as terapias complementares, nomeadamente, o Reiki.
[/box]

Publicado em Deixe um comentário

Reiki nos aspectos comportamentais que regulam o estilo de vida dos discentes da faculdade de enfermagem

Reiki Comportamental
Neste artigo do 45º congresso científico do Hospital Universitário Pedro Ernesto, encontramos a posição do Reiki nos “aspectos comportamentais que regulam o estilo de vida dos discentes da faculdade de enfermagem” como uma das terapias complementares mais usadas, num universo de 128 entrevistados.
Podem ler todos os artigos deste congresso científico, no site do Hospital Universitário Pedro Ernesto.
 
TÍTULO: Aspectos comportamentais que regulam o estilo de vida dos discentes da faculdade de enfermagem
AUTORES: Mariana N. Giron , Leila da S. Sardinha, Diana da S. Marinho, Verônica dos Santos, Lina Márcia M. Berardinelli
SERVIÇO: Enfermagem
RESUMO:
INTRODUÇÃO: Os aspectos comportamentais referem-se aos hábitos e estilos de vida saudáveis e estão ligados à capacidade de cada pessoa em adotar comportamentos seguros, que a torne menos vulnerável, assim como a capacidade de tomar decisões próprias, segundo Lieber (2002). As questões que envolvem a vulnerabilidade nos motivaram porque a maioria dos alunos do 1º ao 4º períodos encontra-se na faixa etária compreendida entre 16 e 24 anos, ou seja, muitos terminando a fase da adolescência e outros entrando na fase adulta, ainda com muitas dúvidas quanto aos cuidados com a própria saúde, para se manterem saudáveis ao longo do processo de viver. Desta forma, fizemos um recorte do projeto proiniciar cadastrado na FAPERJ, intitulado cuidando e promovendo hábitos de vida saudáveis na faculdade de enfermagem da UERJ.
OBJETIVO: O objetivo proposto foi identificar os aspectos comportamentais que regulam o estilo de vida dos discentes da FE/UERJ.
MÉTODO: Pesquisa de abordagem quantitativa, do tipo descritiva, com freqüência simples e percentual. A fundamentação teórica baseou-se nos conceitos de risco e vulnerabilidade envolvendo o coletivo e individual, nas dimensões socioeconomicoculturais dos sujeitos, interferindo no processo de ser saudável, segundo Lieber (2002). A pesquisa foi realizada no período de maio a julho/2007 na FE/UERJ e os dados foram coletados através de um formulário contendo 15 questões abertas e fechadas, aplicado a 124 discentes de enfermagem do 1º ao 4º período.
CONCLUSÃO: Dos 128 formulários preenchidos, 124 são válidos. Na análise desses 124 formulários no que se refere aos aspectos comportamentais, essa população apresenta o seguinte perfil: 122(96,8%) discentes não são tabagistas. Quanto aos medicamentos, 42(65,8%) discentes fazem uso de algum medicamento, entre os medicamentos mais utilizados estão: os anticoncepcionais e os corticóides. Quanto às terapias alternativas utilizadas, o floral, é utilizado por apenas 14(11,3%) dos pesquisados, 107(86,3%) não utilizam e 3(2,4%) não responderam a pergunta. O Reiki é utilizado como terapia por 26 (21%) discentes, sendo que 22(17,8%) o fazem 1 vez por semana; 93(75%) não o fazem e 5(4%) não responderam a pergunta. A alimentação dos alunos é convencional, somente 3(2,4%) são vegetarianos, 2(1,6%) macrobióticos e 5(4%) fazem outro tipo de alimentação. Outro dado relevante mostra que os alunos em sua maioria representado por 99 (79,8%) não participam de nenhum grupo, seja dentro ou fora da faculdade; somente 5(4%) fazem psicoterapia e 9(7,2%) participam de algum grupo como: dança, unati, igreja e atividade musical. Conclui-se que entre os aspectos comportamentais o que mais se destacou foi o uso das terapias não convencionais. A terapia floral tem a capacidade de reorganizar emoções que possam desencadear doenças. Reconhecida e recomendada pela organização mundial de saúde, tem a finalidade de auxiliar o ser humano na descoberta e compreensão das suas emoções e padrões de comportamento, trazendo um caminho para o equilíbrio pessoal e a cura das doenças. O Reiki abre novos caminhos para experiência espiritual e o aprendizado no sentido de organização dos chacras.
RESPONSÁVEL: Mariana Nepomuceno Giron
[box type=”info”]A Associação Portuguesa de Reiki está a desenvolver projectos com jovens, no âmbito comportamental. Para mais informações, contacte-nos para o email info@montekurama.org[/box]

Publicado em Deixe um comentário

Reiki cuida de técnicos da Cercifaf

Cercifaf - Cuidar de Quem Cuida
No âmbito do projecto Cuidar de Quem Cuida – Reiki para Profissionais e Técnicos de Instituições Sociais, o Núcleo de Guimarães da Associação Portuguesa de Reiki, estará no dia 24 de Setembro na CERCIFAF a realizar sessões de Reiki a 18 técnicos. Para esta missão, a Sílvia Oliveira, contará com o apoio de 12 voluntários deste núcleo.

Quais as vantagens de disponibilizar Reiki aos seus técnicos?

O Reiki tem bastantes efeitos na área do relaxamento, gestão de stress e cansaço, assim, ao dar este apoio extra, as Instituições atingem claras vantagens na produtividade e bom ambiente, com profissionais mais saudáveis e capazes para gerir as exigências e dificuldades do seu dia-a-dia.
 

Publicado em Deixe um comentário

Reiki para Profissionais e Técnicos em Instituições Sociais

Cuidar de quem cuida - reiki para profissionais e técnicos em instituições sociais
As dificuldades sociais e os desafios pessoais são cada vez mais emergentes e preocupantes em Portugal, levando técnicos e outros profissionais de Instituições Sociais a situações de desgaste, de burnout. Querendo auxiliar na prevenção e acompanhamento de tais condições de saúde, a Associação Portuguesa de Reiki desenvolveu um projecto de voluntariado, específico às necessidades destas equipas.

Como pode o Reiki auxiliar?

Esta terapia, de origem japonesa, é realizada através de um toque suave ou a uma curta distância do corpo do paciente, seguindo um rigoroso código de ética, sendo transmitida a “Energia Universal” (Reiki) para as zonas mais necessitadas da pessoa. Esta é uma terapia complementar, ou seja, trabalha em conjunto com todas as Medicinas e outras Terapias, nunca invalidando ou substituindo qualquer uma delas. Acima de tudo o Reiki olha para a pessoa como um todo (um processo holístico), actuando nos campos físico, mental, emocional e energético. Alguns dos seus efeitos são: Relaxamento; Equilíbrio emocional, mental e físico; Redução e alivío da dor; Serenidade; Auto-consciência; Diminuição do stress, ansiedade, sofrimento e medos; Auxilia a melhorar a auto-estima e o comportamento através do processo de equilíbrio interior; Melhora o sono e o repouso.

Onde já foi aplicado?

  • Cruz Vermelha de Caselas, desde 2010
  • Cerciama
  • Cercigui

Quer saber mais?
Veja a nossa página no site da Associação Portuguesa de Reiki sobre “Reiki para Profissionais e Técnicos em Instituições Sociais“, ou contacte-nos pelo nosso email info@montekurama.org