A 9 de Março de 1926, a caminho de Fukuyama, o Mestre Usui faleceu após mais um AVC. O seu legado foi um Método de Tratamento pela Energia Vital do Universo, para a Melhoria do Corpo e da Mente, deixando a esposa Sadako Suzuki e os seus filhos Fuji e Toshiko.

O legado de Mikao Usui 臼井甕男

Cada pessoa nesta vida deixa a sua marca, é a guardiã do testemunho dos seus familiares e de todos aqueles que por ela passaram. Da mesma forma, o Mestre Usui deixou-nos um legado, talvez ainda maior do que aquele que esperava.

A descoberta deste método veio de um tempo de retiro no Monte Kurama, em Quioto, durante o qual teve a percepção da grande energia que tudo percorre. Em conjunção com uma profunda filosofia de vida, criou um método – o Shin Shin Kaizen Usui Reiki Ryoho.

O Mestre Usui dizia:

Nos dias de hoje, as pessoas necessitam de melhorar e de reconstruir, interior e exteriormente, a vida, daí que a razão do lançamento do meu método para o público destina-se a ajudar pessoas com doenças no corpo e na mente.

Mikao Usui

E foi exatamente isso que fez, ao longo dos quatro anos, tendo mais de 2000 alunos e tratando milhares de pessoas, principalmente após o terrível Grande Terramoto de Kanto.

Os ensinamentos do Mestre Usui para a nossa reflexão

Não vivemos o momento de um grande terramoto, mas na verdade, o momento de um terramoto interior e devastador da nossa saúde mental, além do perigo sempre eminente de doença pela COVID-19.

Como olharia o Mestre Usui para estes tempos?

Nós, humanos, detemos o Grande Reiki que preenche o Grande Universo. Quão mais alto elevarmos a vibração do nosso ser, mais forte o Reiki que temos, interiormente, será.

Mikao Usui

Sem dúvida que nos pediria para levarmos uma vida de união. Estando conscientes e presentes em todos os momentos, promovendo a harmonia, confiança, gratidão, diligência e bondade. Em que ponto estamos, cada um de nós e em conjunto?

Será que nós praticantes de Reiki vivemos e aplicamos no nosso dia-a-dia estes preceitos? E como será que nos relacionamos entre nós? Respeitamo-nos uns aos outros ou somos intransigentes e sempre cheios de mágoa?

Para o caso de não estarmos a vivenciar a prática, o Mestre Usui pedia-nos mesmo para fazermos este esforço de elevar a vibração do nosso ser… Não praticamos para ficar cada vez mais sensíveis e delicados, ofendidos e magoados, mas sim para sermos sábios, cultivarmos entendimento e promovermos união harmoniosa, mesmo no meio das nossas diferenças.

Tudo começa de uma forma simples, como o Mestre Usui indicava – Coloca as mãos em gassho…

Que neste dia possamos todos colocar as mãos em gassho e de mente e coração, honrar estes ensinamentos que permeiam a nossa vida.