A Associação Portuguesa de Reiki, recomenda que no tempo de emergência e mesmo nos tempos onde ainda existirem restrições em aulas presenciais, que os Mestres de Reiki possam fornecer apoio aos seus alunos.

Este é um tempo de grande exigência para todos e precisamos respeitar decisões quer de Mestres de Reiki quer de praticantes. Muitos preferem recolher-se totalmente, não tendo qualquer contato com ninguém, outros preferem mesmo desistir da prática e outros ainda preferem o acompanhamento, mesmo à distância, da prática.

Em primeiro lugar, a posição da Associação Portuguesa de Reiki é a de não criticar as decisões pessoais de cada um e auxiliar as questões que qualquer Mestre ou Praticante possa ter.

Aqui tomamos sempre em conta que todos estão em distanciamento social e não há encontros presenciais.

Como pode um Mestre de Reiki auxiliar, estando também em recolhimento

Cada um tem a sua forma de lidar com a situação do isolamento social, da quebra financeira, da reflexão necessária para a mudança de padrões. Um Mestre de Reiki é também uma pessoa, tal e qual como os seus alunos são também pessoas. Ambos têm necessidades.

Se és praticante de Reiki e vais recolher-te, informa também o teu Mestre, pois com certeza que também se preocupa contigo e quer o teu melhor. Todos estamos confortáveis quando há comunicação genuína.

Se és Mestre de Reiki e preferes recolher-te totalmente, podes fazê-lo, está no teu direito, mas antes, comunica com todos os teus alunos, esclarecendo a tua decisão e fornecendo algumas indicações sobre a prática. O Mestre de Reiki pode até aconselhar, caso não tenha materiais preparados, aos alunos seguirem as meditações que a Associação vai publicando, assim como os videos de apoio às aulas, ou mesmo indicar o Diário dos 21 Dias, para os praticantes se focarem no seu autotratamento.

Muitas vezes surgem questões, principalmente nestes tempos difíceis, que fazer emergir críticas e apontar de dedos, que muitas vezes são apenas mal entendidos, por isso mesmo, incentivamos a comunicação recíproca entre Mestres e alunos.

Aproveitamos para esclarecer a importância dos Cursos de Reiki com Acompanhamento Diferenciado:

Cursos com acompanhamento – Foi aprovado por unanimidade a indicação de que todos os membros que pertençam a Órgãos Sociais, Grupos de Trabalho, Comissões ou Núcleos Regionais, passem a dar, a partir do presente ano, os seus cursos de Reiki com acompanhamento continuado aos alunos por um tempo considerado adequado. A Associação Portuguesa de Reiki aconselha que estes sejam por um período nunca inferior entre quatro a seis meses, conforme a Assembleia Geral de Outubro de 2018. Exemplo, Curso de nível 1 de Reiki de Janeiro a Junho. Os membros que tenham dificuldade em desenvolver as suas aulas de acompanhamento poderão contactar a Associação Portuguesa de Reiki para esse efeito.

Assembleia Geral de 19 de Janeiro de 2019

E ainda, o esclarecimento do que é um Mestre de Reiki e o Ensino de Reiki:

O que é um Mestre de Reiki – É um praticante de Reiki que cumpriu todos os níveis de ensino ao longo de um período de tempo de pelo menos 28 meses, tendo também prática terapêutica quer ao nível voluntário quer ao nível professional/profissionalizante. É um praticante de Reiki que obteve todos os seus níveis base através de um ensino presencial, individual e que foca a partilha do seu saber nos ensinamentos de Reiki, conforme transmitidos pelo Mestre fundador Mikao Usui e também pelos Mestres Hayashi e Takata. Segue os cinco princípios da filosofia de vida da prática de Reiki. Segue o código deontológico da Associação Portuguesa de Reiki. Sendo submetido a votação foi aprovado por unanimidade.

Assembleia Geral de 14 de Outubro de 2018

A aprendizagem do método de Reiki pode ser feito em vários níveis segundo os diferentes sistemas que existem. Os sistemas de via tradicional têm quatro níveis distintos onde no primeiro o praticante aprende a aplicar Reiki em si, nos familiares e amigos. No nível 2 aprende os três símbolos de Reiki e desenvolve a prática do voluntariado. No nível 3 realiza um trabalho aprofundado de desenvolvimento pessoal e é abordada a perspetiva profissional como terapeuta. No último nível aprende a ensinar outros e a transmitir a sintonização. Em todos os níveis são observados os preceitos, onde estão incluídos os cinco princípios. Nos sistemas de origem Essencial, existem na maioria das escolas três níveis, onde no último é ensinado o aspeto terapêutico profissional e o ensinar a ensinar. Dependerá do Mestre a opção de o fazer. Compreendemos através das necessidades que muitos praticantes apresentam, que o ensino de Reiki deve ser feito ao longo do tempo e com acompanhamento, ou seja, com aulas diferenciadas, que apoiam o aluno no desenvolvimento da sua prática e de todos os conceitos profundos que estão contidos nos ensinamentos que o Mestre Usui nos deixou. O ensino de Reiki deve ser feito preferencialmente e como base, de forma presencial. A aprendizagem à distância poderá ser uma opção para quem já aprendeu todos os níveis e pretende estar em contacto com outro mestre e os seus ensinamentos, sem ter a possibilidade de o fazer no local. Advertimos para os cuidados das sintonizações à distância pois nem o Mestre está a observar o aluno, nem o aluno o Mestre, o que em caso de alguma dificuldade não há possibilidade de auxílio. O ensino de Reiki deve estar fundado no método de Reiki e nos ensinamentos dos Mestres Usui, Hayashi e Takata. Reiki não implica crenças religiosas ou espiritualismo, pelo que acrescentar esses pormenores poderá induzir em erro o praticante. A crença é própria do indivíduo, não do método. A duração de ensino da prática de Reiki é recomendada que seja ao longo de pelo menos vinte e oito meses, desde o início do primeiro nível ao final do último nível. Mesmo a pessoa tendo sensibilidade energética, sendo um profissional que esteja licenciado na área da saúde, a aprendizagem do método de Reiki é vivencial e requer prática. Sem prática não há aprendizagem e crescimento pessoal. Como o Mestre Usui indicava logo ao início dos seus preceitos “Os ensinamentos para a tua evolução”. No ensino e aprendizagem de Reiki devemos sempre promover a mudança de consciência através da filosofia de vida, respeitando todos os praticantes, respeitando todos os seres vivos. Sendo submetido a votação foi aprovado por unanimidade.

Assembleia Geral de 14 de Outubro de 2018

Como pode um Mestre de Reiki auxiliar remotamente

Existem já algumas ferramentas de conferência remota, como o Gotomeeting, Cisco webex, ou outras gratuitas como o Messenger, Skype, etc.. Fica ao critério de cada pessoa escolher a sua melhor ferramenta.

O Mestre de Reiki pode optar por um encontro virtual colectivo para:

  1. Esclarecimento de dúvidas;
  2. Prática de autotratamento;
  3. Prática de Técnicas de Reiki;
  4. Envio de Reiki à distância.

A frequência e a duração de cada momento é da responsabilidade do Mestre e também da forma de organização do grupo.

O Mestre pode também indicar para seguirem as suas publicações no canal que ele tenha disponível.

O importante neste tipo de decisão é haver um processo de comunicação, de escuta e resposta, de atividade, para que não crie um sentimento de abandono ou de falta de prática. Principalmente neste momento, precisamos praticar muito Reiki.

Não recomendamos sintonizações ou consultas à distância.

A opção do recolhimento total e desligamento

O Mestre de Reiki tem o total direito a recolher-se e a desligar-se de atender. Assim como o seu aluno.

Como já referimos anteriormente, queremos reforçar a importância de comunicarem, tanto o aluno como o Mestre, sobre a sua decisão. Principalmente o Mestre de Reiki deverá dar indicações de onde os praticantes poderão encontrar apoio às suas dúvidas caso as tenham, pois elas existirão.

Reiki é Responsabilidade, Respeito e Resiliência. Estes são valores estruturais, tais como os cinco princípios.

Encara este dever de comunicação recíproca como sendo uma forma de cultivar harmonia, confiança, gratidão, honestidade e muita bondade. Só por hoje, vale a pena praticar.