Frank Arjava Petter é sem dúvida o maior investigador sobre a história do Usui Reiki Ryoho e, pela sua forma de ser, respeito pela cultura e bondade, trouxe-nos muitas respostas, factos e exemplos da vivência de Reiki como o Mestre Usui ou Hayashi ensinaram.

Em 1997 lançou o seu primeiro livro “O fogo do Reiki” e após vários livros sobre as origens e história da prática de Reiki, surge em finais de 2020 um novo título – One with Reiki, literalmente, “um com Reiki”. O que parece ser um livro simples, é na verdade uma “arte de convidar a felicidade”.

Frank Arjava Petter

Entrevista a Frank Arjava Petter sobre One With Reiki, o seu novo livro

O que é este livro e como sentiste a necessidade de escrevê-lo?

Comecei a escrever o meu primeiro livro, The Reiki Fire, em 1994, a pedido de uma editora japonesa. Depois de publicado, eu esperava muito feedback positivo, mas os primeiros leitores ficaram furiosos. Muito desapontado, disse ao meu editor que não escreveria outro livro sobre Reiki. Agora, vinte e sete anos depois, são dez livros e cada um que escrevo é ”o último”. “Isto é Reiki” foi escrito como um livro abrangente de Reiki que cobre a história e a prática. O meu objetivo era combinar todos os outros livros que escrevi num só volume com a ideia de que os meus leitores não precisariam comprar todos os livros, mas apenas aquele.

Alguns anos depois, pensei que seria divertido ter um livro que iluminasse as raízes japonesas do Reiki, para falar sobre porque Usui Sensei ensinou Reiki da maneira que ele fez, qual era a formação filosófica e social, religiosa e espiritual do Reiki . Isso tornou-se “Um com Reiki”. O título veio ao meu editor quando estávamos sentados no Templo Koryu Ji em Kyoto, a meditar perante a incrível estátua do futuro Buda, Maitreya.

A maioria das coisas que faço surgem do momento, sem propósito ou motivos ocultos. Algo me move e o trabalho começa. Por exemplo: Fui à nossa plantação de oliveiras há algum tempo e pensei que a horta poderia ser maior. Eu nunca tinha pensado desta forma antes. Três horas depois, havia desenterrado mais 50m2 de jardim, feito canteiros elevados, fertilizado com esterco e estava pronto para o plantio.

Não havia nenhum plano, nenhum motivo, apenas fazer as coisas para o seu próprio bem. Mas essa não é toda a verdade. A maioria das pessoas parece pensar que um escritor escreve algo porque sabe algo. O oposto é verdadeiro no meu caso: escrevo porque não sei nada e anseio por clareza. No processo de escrita, essa clareza é felizmente encontrada e então compartilhada com os leitores.

Capa do Livro One With Reiki.

Reiki aconteceu ao Usui Sensei no Monte Kurama, então essa era a percepção de energia e como ele conectou os preceitos que escreveu para o seu método? Porque ter preceitos para trabalhar com energia? Ou o conceito de energia é algo mais profundo do que parece?

Pelo que sabemos, Usui Sensei acrescentou os princípios do Reiki, ou Gokai mais tarde. Ele tinha apenas quatro anos para desenvolver a sua arte e, em algum momento, deve ter percebido que as pessoas precisavam de algumas diretrizes éticas para sua vida diária. Sim, o Reiki aconteceu com o Usui Sensei enquanto jejuava no Monte Kurama, ele não estava à sua procura.

Depois da sua iluminação, procurou uma forma de transportar o que havia experimentado para os seus semelhantes. Mas se disseres “Então, não precisas procurar a iluminação, já és o que anseias” todos vão concordar e dizer: mas…

Como todos sabemos muito bem, a mente pode ser muito destrutiva. Precisa ser refreada como um cavalo, disciplinado para trabalhar por nós em vez de contra nós. Se acreditas que estamos aqui apenas por uma vida, considera quanta dor, tristeza e mágoa nós experimentamos nesta vida. Muitos eventos traumáticos aconteceram e atuam profundamente no inconsciente, fazendo-nos pensar, sentir e fazer coisas sobre as quais não temos controle. Toda esta negatividade está alojada no corpo e no coração / mente. É necessário identificar tudo isto primeiro, reconhecê-lo e depois encontrar uma forma de deixá-la ir.

Agora, se considerares várias existências, como as culturas asiáticas e muitos de nós o fazem… imagina a confusão em que estamos! Tudo isto precisa de algum tipo de método de geração de consciência. Se alguém está incrivelmente sintonizado, natural e não traumatizado, ele não precisa de nenhum método – mas quem está nessa situação?

Os Gokai são exatamente para isso: aprender a identificar as vozes interiores do passado e deixá-las ir de uma vez por todas.

Anjin Ritsumei, nossa iluminação, é algo que acreditas ser possível com a prática? Porquê?

A prática de Reiki ou Meditação é a iluminação. Se a iluminação é uma cenoura à frente dos teus olhos, por definição, nunca poderás alcançá-la. Por um lado, o desejo de libertação deve estar presente, mas no momento em que começas a prática, é melhor deixá-lo para trás. Apenas faz a tua prática. Senta-te, fecha os olhos ou deixa-os abertos, está presente. Faz Reiki, toca-te a ti mesmo ou ao teu cliente com a maior devoção e consciência. Não há necessidade de projetar a tua atenção num futuro que nunca virá. Tens apenas este momento. Este momento é a iluminação, não há mais nada.

O Reiki é realmente para todos? Mas como ser um com o Reiki?

Usui Sensei afirma nos materiais do workshop que o Reiki é para todos os que têm uma alma. De acordo com a crença Shinto, todos os seres humanos recebem a sua parte de uma alma comum enquanto estão no ventre da mãe. Todos podem fazer Reiki, é a nossa habilidade natural, o nosso direito de nascimento. Qualquer animal sabe curar-se e não somos diferentes. Ser um com o Reiki é a coisa mais simples. Basta colocar as mãos num corpo e esquecer todo o resto.

O conceito byosen é realmente importante para a nossa prática? Se sim… o que podemos aprender com isso?

Byosen é o cerne da aplicação prática do Reiki. Byosen significa duas coisas: uma, a toxicidade do corpo do cliente, e duas, a reação do corpo à energia que chega.

O byosen diz onde está o problema no corpo, quão grave é e quando está resolvido.

A arte de Byoson começa ao tornar as mãos sensíveis para que possas sentir a energia subtil. Depois, aprendes os seus diferentes níveis e, mais tarde, permite que te oriente durante o tratamento ou série de tratamentos. A arte do byosen requer prática ao longo da vida, ela nunca pode ser dominada. No mínimo, permitimos que ele nos domine! Escuta o corpo do teu cliente!

És um Mestre de Reiki há muitos anos e tens muitos alunos. Como achas que alguém vai ser um bom professor e aconselhas algum tempo de prática antes de cobrar pelos cursos? Qual é a responsabilidade de um Mestre de Reiki?

Eu não me chamo de mestre. Somos todos iniciantes no caminho e é útil manter essa atitude, especialmente como professor. A humildade não é apenas boa, mas necessária! Pensa que sais numa noite clara a olhar para o céu límpido da noite portuguesa longe das grandes cidades. Verás milhões de estrelas, a Via Láctea estendendo-se daqui até ali e então considera se realmente sabes alguma coisa. Não sabemos de nada, tudo o mais é auto-engano.

A responsabilidade de um aluno é estudar e aprender todos os aspectos do byosen, continuar a fazer tratamentos e viver os Gokai da melhor forma possível. A responsabilidade do professor inclui todos os itens acima e adiciona uma outra dimensão. Como professor, a tua vida torna-se serviço. Não vives para os outros, mas a serviço dos outros.

No entanto, a tua pergunta é multidimensional. Quais são as responsabilidades do professor, depende muito do aluno e do professor.

Supõe que o aluno quer apenas aprender Reiki como uma modalidade de cura. Nesse caso, um professor técnico de Reiki, que adquiriu certa habilidade técnica, é suficiente. Se o aluno está à procura de um professor que possa orientá-lo com Reiki e questões psicoemocionais, a escolha do professor torna-se mais ténue. E se o aluno deseja um professor que o ajude no Reiki, nas questões psicoemocionais e na espiritualidade, há ainda menos opções.

Se observares no campo da autoajuda, todas as opções acima são possíveis, mas muitos dos professores conhecidos são bons apenas em marketing e não têm muita substância. Sugiro que procurem um professor que se adapte às suas necessidades. Para mim, os requisitos necessários em ambos os níveis são honestidade, integridade, reflexão, humildade, amor e compaixão. Mas essa é apenas minha preferência pessoal.

Qual é a grande lição que Reiki pode nos dar neste momento de sofrimento e como devemos agir em relação a nós e aos outros?

Percebo que este é um momento de grande mudança e revelação. Tudo o que se esconde sob a superfície da mente consciente está fadado a surgir. Quer os teus problemas sejam medo ou raiva, tristeza, insegurança ou falta de amor-próprio, certamente os enfrentarás durante a atual situação de bloqueio. Aqueles de nós que se sentem ameaçados por teorias da conspiração, cenários do tipo “nós e eles” ou qualquer outro medo em relação à proteção e segurança estão fadados a ser confrontados com isso. Todos nós temos karma, ou questões que precisam ser trabalhadas, feridas do passado que clamam por cura, além de todo um conjunto de coisas não resolvidas das quais podemos nem estar cientes.

Com o Reiki, temos a oportunidade de trabalhar tudo o que a vida nos oferece, nos espelha e nos acena. Todos os nossos desafios são uma grande oportunidade de fazer o nosso dever de casa, de completar o que viemos fazer aqui – para encontrar, nas palavras de Usui Sensei: A arte secreta da felicidade e o remédio espiritual para todas as doenças.

Poderás adquirir o livro One With Reiki através da Amazon, por exemplo.

Poderás ler também em português o livro O Espírito do Reiki.

O meu profundo agradecimento aos ensinamentos do Frank Arjava Petter Sensei, pois é verdadeiramente alguém que expressa Reiki em tudo o que faz. Sem ele ainda pouco perceberíamos sobre a profundidade de Reiki.