Publicado em

6º Aniversario do Núcleo de Reiki de Penafiel

Haveria muitas mais imagens para partilhar, muito para dizer. 

Mas neste nosso Aniversário só tenho a Dizer OBRIGADO, GRATIDÃO, a Ti que fizeste ou continuas a fazer com que o reiki chegue mais longe e a todos . seja por Voluntariado ou simplesmente Dias Abertos com vários temas. 

PARABÉNS a ti que és praticante de Reiki , continua ; 

OBRIGADO a ti que não és praticante de Reiki , mas que nos procuras para estar connosco e sentir tranquilidade. 

PARABÉNS a ti Voluntário que tens feito um trabalho FANTÁSTICO e com esforço consegues sempre arranjar tempo para o outro. 

Que este ano seja um diferente mas ao mesmo tempo de introspecção, para que novos dias virão. 

<3 <3 <3 <3 Só por Hoje …. GRATIDÃO  

Nuno Miguel Moreira Nunes

Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel 

Associado APR-000652-PT

Claudia Magalhães Duarte

Co-Coordenadora Nucleo Reiki Penafiel

Associada APR-003345-PT

2014 logo do núcleo
2015
2016 S. Mamede
2017 Dia Aberto
2017 Dia do Animal
2018 dar com Coração
2018 dia 15 Agosto
2018 Castelo Paiva
2019 Cuidar quem cuida SCMP
5º Aniversario

Publicado em

Entrevista à primeira associada de 2020

Vera Lobo é natural de Guimarães, Agrónoma e também praticante de Reiki, além do interesse que tem pela Cristaloterapia, Ho’Oponopono, Karuna e ainda vários retiros. Em 2020, foi a primeira associada da Associação Portuguesa de Reiki. Queremos agradecer-lhe fazendo uma pequena entrevista, para que partilhe connosco a sua vivência e sonhos para futuro com a prática de Reiki.

Continuar a ler Entrevista à primeira associada de 2020
Publicado em

Testemunho de voluntários do Núcleo de Reiki do Fundão

Partilhamos o testemunho de quatro voluntárias do Núcleo de Reiki do Fundão, que estão no projeto de Reiki no Centro Hospital Universitário Cova da Beira, Hospital do Fundão.

Continuar a ler Testemunho de voluntários do Núcleo de Reiki do Fundão
Publicado em

Testemunho de voluntariado Reiki em Seniores – Núcleo de Reiki de São Pedro de Sintra

O núcleo de Reiki de São Pedro de Sintra, da Associação Portuguesa de Reiki, tem vindo ao longo dos anos a fazer várias iniciativas de esclarecimento e, mantém sempre uma atividade base – o voluntariado em Seniores. Partilhamos o testemunho da Coordenadora e voluntária, Paula Baúto e da voluntária Ana Nascimento.

Continuar a ler Testemunho de voluntariado Reiki em Seniores – Núcleo de Reiki de São Pedro de Sintra
Publicado em

As recomendações de Tadao Yamaguchi, Mestre de Reiki Tradicional Japonês, para estes tempos

Estás a praticar Reiki todos os dias?
O coronavirus tem causado grandes problemas em todo o mundo desde o final do ano que passou. Notícias de todo o mundo são transmitidas diariamente no Japão.

Continuar a ler As recomendações de Tadao Yamaguchi, Mestre de Reiki Tradicional Japonês, para estes tempos
Publicado em

2020 – Ano da Saúde Mental, Meditação e Consciência Ecológica

Hoje, dia da mulher, partilhamos um artigo que saiu na edição de março da revista “Business Portugal” com os testemunhos de algumas mulheres, órgãos sociais da APR. Deixamos também o link com a revista completa:
https://issuu.com/revistabusinessportu…/…/marco_smallquality

Continuar a ler 2020 – Ano da Saúde Mental, Meditação e Consciência Ecológica
Publicado em

Testemunho de um praticante de Reiki brasileiro como voluntário em Portugal

Renato Velasco é brasileiro, atualmente a residir em Portugal e voluntário em terapia Reiki na sede da Associação Portuguesa de Reiki. Este é o seu testemunho e também indicação para outros praticantes de Reiki que venham para Portugal de como se podem juntar à Associação para realizar voluntariado.

Continuar a ler Testemunho de um praticante de Reiki brasileiro como voluntário em Portugal
Publicado em

Seminário "Desperte para a vida… há sempre uma esperança!"

“Um seminário tão especial “Desperte para a vida… há sempre uma esperança!” com a participação de diversos convidados, neste Dia Mundial da Luta contra o Cancro realizado nas instalações do IEFP do porto. Um dia repleto de emoções, sensibilização e muitas partilhas de testemunhos. Um especial Obrigado a todos os que fizeram com que este seminário fosse possível e tão maravilhoso, Obrigada Filó Pessanha em representação do Nucleo do Porto APR a partilha e pela entrega e paixão que nos deliciou a todos na abordagem do tema Terapia Reiki.”🙏❤

Publicado em

Aulas Práticas de Reiki – Porto

Gratidão a todos os alunos que ao longo destas aulas se fizeram presentes.

Coordenadores do Núcleo do Porto APR

Filomena Pessanha

Armando Ferraria

“Este curso foi um refresh dos conhecimentos adquiridos, também novos conhecimentos adquiridos nestas ações, principalmente porque contamos com o contributo pró ativo de todos os praticantes com a partilha das suas experiências e de momentos da sua jornada, o que foi francamente enriquecedor e motivador…

…Muito grata por toda a disponibilidade e oportunidade.”

testemunho de uma aluna

Alexandra Augusto

Publicado em

Testemunho da apresentação de Nina Leconte sobre a Cercimont no Seminário Reiki na Saúde Mental

A 5 de Janeiro de 2020 realizou-se o Seminário de Reiki na Saúde Mental e a coordenadora de Montalegre, Nina Leconte, realizou a apresentação do seu trabalho de voluntariado Reiki com a Cercimont. Nina partilha connosco o testemunho sobre este seminário.

Eu gosto muito de frequentar um seminário de Reiki porque me nutro de mais conhecimentos e gosto muito de saber os trabalhos maravilhosos que Portugal tem com Reiki.
Acho muito interessante os seminários percorrerem vários pontos do nosso país porque isso ajuda a divulgar mais o Reiki e dá a oportunidade às pessoas que não têm por hábito deslocarem-se poderem assistir ali mesmo na sua região.
Os trabalhos apresentados com Reiki inspiram-me:) Nos seminários recarrego-me de energias e saio sempre de lá com aquele “potencial” interior ainda mais ativo.
Quando vejo  os trabalhos apresentados tomo ainda mais consciência do quanto vale sempre a pena e que vale sempre mais fazer pouquinho do que nada.
Muito obrigada à APR aos oradores e aos participantes, precisamos de todos nós para que tudo aconteça.
Namastê.

Nina Leconte

Publicado em

Testemunho de Paulo e Lara Roseta sobre o Seminário Reiki na Saúde Mental e o trabalho em Barcelos

É sempre um prazer partilhar experiências e receber experiências que são partilhadas por coordenadores e terapeutas. Dão mais ênfase ao Só por hoje sou Grato!

A realidade de verificar a aplicação do Reiki nas diferentes áreas sempre com o intuito de ajudar é uma tónica que torna muito preciosa o depoimento dos palestrantes.

É um incentivo a fazer mais e melhor!

Por isso é tão importante eventos deste género para desmistificar e traduzir-se à simplicidade do Reiki na prática e na experiência de cada um.
Muito grato por poder ter partilhado as experiências tidas neste voluntariado com a instituição APACI.

Com esta apresentação pretendeu-se demonstrar a capacidade polivalente do Reiki nos diferentes quadros clínicos dos pacientes e os efeitos do Reiki nestes mesmos.

Espero sinceramente que seja para repetir eventos desta índole que permitem servir de complemento à formação de cada um e ao seu próprio enriquecimento.

Mais uma vez muita gratidão!
Um grande abraço,
Lara e Paulo Roseta

Publicado em

Testemunho de Laurinda Madaleno, oradora no Seminário Reiki na Saúde Mental

Dia 5 de Janeiro de 2020 realizou-se em Guimarães no Hotel Guimarães o seminário Reiki na Saúde Mental, ao qual assisti e também me foi dada a oportunidade de participar e falar um pouco da experiência como terapeuta de Reiki, na APPACDM da Covilhã em regime de voluntariado, pelo Núcleo de Reiki da Covilhã da APDR.

Foi um dia muito enriquecedor, na medida em que coordenadores/terapeutas e terapeutas de Reiki partilhamos conhecimentos e experiências vividas em situações e realidades diversas.

O testemunho apresentado por cada um de nós, para alem de nos acrescentar conhecimento e valor, aproximamos e também nos fortalece. A partilha é sempre bem-vinda!

A base nos cinco princípios do Reiki “SÓ POR HOJE” ajuda-nos a viver o momento presente, com calma, confiança, gratidão, com honestidade e bondade!

Acredito que num futuro próximo o Reiki enquanto filosofia de vida e terapia complementar, seja reconhecida legalmente pelo SNS!

O terapeuta de Reiki é a imagem do Reiki! É importante que sejamos todos nós, cada um por si, um testemunho vivo dos benefícios do Reiki, levando-o com amor, simplicidade, sabedoria e honestidade ás instituições, e a todos os que o procuram.

Acredito que com a contribuição e empenho dos Mestres, Terapeutas, Núcleos e com o apoio incondicional da APDR, seja possível!

Na certeza que nos voltaremos a encontrar para mais patilhas, deixo a todos os que estiveram presentes um abraço grande de GRATIDÃO e de LUZ pelo dia bom e gratificante!

NAMASTÉ,

Laurinda Madaleno

Publicado em

Sábados Voluntários em Guimarães, um testemunho da coordenação de voluntários

Rita Guimarães trabalha na área da saúde e tem ao longo destes últimos tempos orientado e organizado os Sábados Voluntários no Núcleo de Reiki de Guimarães. Aqui fica a sua entrevista.

Entrevista a Rita Guimarães sobre os Sábados Voluntários em Guimarães

O que te levou a procurar formação de Reiki?

Procurar reiki foi uma curiosidade. Resolvi fazer uma consulta de reiki para experimentar, segui um conselho, e quando o fiz senti que deveria procurar mais. Perceber os sentimentos que estava a sentir naquele momento. Depois disso nunca mais deixei o reiki e de uma forma ou de outra o vou ter sempre presente para a minha vida.

Rita Guimarães

Achas que o voluntariado é importante?

Sim, muito importante. Porque? Porque na vida é importante fazermos algo de coração. Porque acho que quando se faz voluntariado (não se receber nada em troca, na teoria) se recebe e se aprende muito. E penso que todos os praticantes de reiki devem passar por um processo de voluntariado antes de o fazerem como terapeutas profissionais. O voluntariado é uma grande aprendizagem.

Abraças te o projeto “sábados voluntários “, o que sentes em relação ao mesmo?

Sinto que em todos os sábados voluntários aprendo algo novo para a minha vida e que em algum momento tanto eu como os voluntários fazem mudar, o pouco que seja, a vida de alguém. Por vezes ver (os nossos voluntários), e mesmo dar um abraço, um sorriso, uma palavra a quem já não recebe à muito tempo, de uma forma sincera e de coração é o melhor que há. E existem pessoas que procuram os sábados voluntários para se sentirem bem e sentirem que quem está ali, está naquele sítio e naquele momento de coração, para aquela pessoa. É lindo.

Rita Guimarães, Núcleo de Reiki de Guimarães.

Publicado em

Mimar Autismo – um projeto em voluntariado Reiki

Os voluntários Cristiano, Carlos, Marta, Ângela, Sandra, Ana Antunes, Ana Menezes receberam no dia 18 de Dezembro, sete jovens da Unidade de Autismo de São Martinho do Campo, a pedido da Câmara Municipal de Santo Tirso, para realizar sessões de Reiki.

Pelo quarto ano consecutivo realizamos este projeto de voluntariado Reiki, uma parceria com a Câmara Municipal de Santo Tirso.

A energia ajuda os jovens a acalmar, serenar a sua forma de estar, um dos resultados visíveis é o fato de todos ficarem em silêncio passado cinco minutos de entrarem na sala.

Testemunhos dos voluntários no projeto Mimar Autismo

O nosso agradecimento à Câmara Municipal de Santo Tirso, à Unidade de Autismo de São Martinho do Campo e a todos os excelentes voluntários deste incrível e tão positivo projeto.

Publicado em

Testemunho de voluntários do Núcleo de Reiki de Braga

Partilhamos convosco alguns testemunhos dos voluntários do Núcleo de Reiki de Braga.

Na minha opinião o voluntariado é muito importante para quem procura ajuda e sem possibilidades financeiras para usufruir de ajuda que tanto necessita, assim como a doação também é importante quando é de coração. Sou imensamente grata por poder ajudar aqueles que necessitam de ajuda, é muito gratificante, pois ao doar sinto-me de coração cheio, sem palavras para explicar  o sentimento que sinto. Como voluntária tem sido uma experiência muito positiva, pois é muito gratificante ver a evolução das pessoas que procuram ajuda, que chegam sem sorriso muito abatidas e depois começam a sorrir e a ver a vida com outra perspectiva, com mais amor próprio. Com a prática do voluntariado fui crescendo e evoluindo, aprendendo com a vivência das experiências pelas quais passei, trazendo mais paz e serenidade para a minha vida.
Concluindo poderia contar muitas histórias que me ajudaram no meu crescimento e evolução, mas seria um texto muito extenso quando posso resumir em poucos palavras, que são Paz e Amor. Doar enche-me o coração, sempre que doo sinto-me de coração imensamente cheio.

Rosa Ferreira

O voluntariado é, para mim, uma forma de retribuir ao Universo os dons recebidos.
Como voluntária de Reiki, eu consigo vibrar na energia universal, treinando técnicas e procedimentos, tanto a nível terapêutico como interpessoal.
Mas, acima de tudo, o voluntariado cria em mim uma imensa alegria.

Rosa Rei

Em 2013 surgiu o projeto de Reiki na delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro na sequência da vontade de disponibilizar às pessoas que estão em sofrimento esta terapia e, volvidos estes seis anos de dedicação e empenho, a palavra que espontaneamente surge à mente é gratidão. Gratidão pelo voto de confiança, pelo conhecimento, pela aprendizagem, pela partilha e pelo enorme carinho. É extremamente gratificante poder fazer a diferença na vida dos outros pro bono e receber tanto em troca, os abraços, a alegria nos seus olhares, a esperança nos rostos de quem desaprendeu a sorrir e ficar de coração cheio, embora por vezes, contendo as lágrimas por empatia pela sua dor. O que esta experiência trouxe à minha vida? Maior consciência e aceitação do outro, mas sobretudo a experiência de um amor maior.

Bem hajam a todos os que acreditam no Reiki como uma mais valia para superarem a doença e a todos os que confiam em nós!

Sofia Vilas Boas

Ao longo da minha caminhada tornar-me reikiana foi o maior reconhecimento pessoal! Falar de amor parece uma emoção inata, contudo é um sentimento que se constrói ao longo de um processo de vida, com a aplicação dos cinco princípios do reiki Agora sei, o que é o amor incondicional… e o que é partilhar-lo com os outros! Vivemos num mundo onde falar de direitos humanos, relações e emoções é fácil e banal, mas só com o reiki eu atingi a minha hemóstase e deixei de sentir um vazio emocional.

Falando um pouco do meu trabalho como voluntária… Bem, ser voluntária é um fator benéfico para mim, sinto que há medida que sou canal evoluo muito mais,

é como parte de mim seja segregada em vértices que me ligam ao universo e a um corpo. Realmente, é muito difícil dar uma definição do que é ser canal… não existe terapias homogéneas, em cada uma delas desenvolvem-se experiências únicas e transcendentes. Se pudesse descrever ser voluntária de reiki com uma imagem, era da seguinte forma: uma fonte de água que nasce num cima de uma falésia e que passa por várias transformações, mas há medida que vamos cuidando dessa água e limpando todas as impurezas ela se transforma em vitalidade. Assim caracterizo o voluntariado, algo que nos faz crescer e evoluir mas também que partilhamos nossos conhecimentos e energia com alguém que na maior das vezes é descentre no reiki, não sabe explicar as mudanças de humor, bem como as alterações da personalidade, onde muitos estão naquilo que designamos de “estado limite” e com as terapias recuperam o seu equilíbrio.

Nas minhas terapias o ponto central é eu ser um bom canal e a terapia ser para o bem supremo da pessoa, de resto deixo fluir e a energia vai sempre para onde é mais necessária. Penso que a fórmula mágica é respeitar a evolução de cada um e mostrar as várias passagens secretas que existe no seu interior para a busca do seu “eu interior”.

Sou muito grata por todas as aprendizagens como voluntária de reiki! Namastê

Adélia Meireles
Publicado em

Testemunho de voluntária no cuidado da demência

O meu nome é Joana Pinhão. Sou membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Sou Reikiana desde 2002, terapeuta de Reiki desde 2003 e professora independente de Reiki desde 2004, estou inscrita na Associação Portuguesa de Reiki e na Associação Portuguesa de Reiki Essencial, sou curadora com Magnified Healing ® professora credenciada, terapeuta do Sistema Corpo Espelho, faço regressões com Reiki, ensino e aplico técnicas japonesas de Reiki e dou consultas de Reiki, Florais de Saint Germain e de Essências Vibracionais d`água.

Atualmente estou a frequentar Pós-Graduação em Psicogerontologia e estou a fazer formação de Snoezelen. Sou pós-graduada em gestão empresarial, psicóloga das organizações e do trabalho e também sou gestora e auditora de qualidade. Fiz formação em animação sociocultural para idosos, frequentei workshops na Alzheimer Portugal para cuidadores de doentes com demências e fiz o curso intensivo em Psicogerontologia. Em 1998 fiz voluntariado com doentes de saúde mental, enquanto estudante de psicologia.

Em 2005 fiz voluntariado com doentes paliativos de oncologia, no Hospital Curry Cabral Em 2019 comecei a fazer voluntariado como Psicóloga no Serviço de Apoio Domiciliário e voluntária de Reiki no Lar da Casa do Alecrim.

Como é que fui para a casa do Alecrim? Um dia estava a ter formação na Alzheimer de Lisboa e a Dra. Margarida disse que a Casa do Alecrim trabalha com muitos voluntários, no final do curso ofereci-me para fazer voluntariado como psicóloga e como praticante de Reiki. A Dra. Margarida aceitou logo a minha proposta e pediu-me que no dia seguinte levasse os meus CVs convencional e complementar e assim o fiz. No meu meu CV complementar consta que sou associada da Associação Portuguesa de Reiki e como a APR já estava na Casa do Alecrim a Dra. Margarida contatou a Associação e disse que gostava eu integrasse na equipa de Reiki da Casa do Alecrim e assim foi, a Isabel ligou-me, a pedido da Dra. Margarida, e convidou-me para fazer parte da equipa de voluntárias da Associação. Aceitei de imediato, claro, e fui com a Cristina e com a Isabel à Casa do Alecrim. Foi fantástico!

A Casa do Alecrim é uma casa feita a pensar nas pessoas com demência e nas suas características muito próprias, preocupa-se com a promoção da qualidade de vida das pessoas com demência, dos seus familiares cuidadores e com os trabalhadores.

Quando faço voluntariado, na Casa do Alecrim, venho para casa tranquila e com a sensação de missão cumprida. Esta Casa é maravilhosa, as pessoas que nela trabalham são fabulosas e estão sempre sorridentes, todos os dias acontece magia nesta casa. Quando faço Reiki às pessoas com demência o efeito e o agradecimento é imediato, como é que sei? Esboçam um sorriso. No lar há um senhor que não fala mas que mexe com as mãos na cabeça quando lhe ponho as mãos na careca, ele sente a energia passar. Um dia uma senhora, do lar, estava receber a visita do filho e da irmã enquanto recebia Reiki e os familiares disseram-me que a senhora ficou muito mais feliz após ter recebido o meu tratamento. Há tantas histórias destas para contar.

Quando faço voluntariado dou amor e o que recebo é uma dádiva. Sou muito grata por ser voluntária!

Publicado em

Dia Internacional do Voluntariado – Um agradecimento aos voluntários da terapia Reiki

O voluntariado é uma ação necessária da sociedade para a sociedade, uma intervenção direta nos mais variados campos de ação, dentro das necessidades das várias comunidades e indivíduos, pelas mais diversas características.

Também na prática de Reiki temos uma profunda tradição de voluntariado, criada pelo próprio fundador do Método, Mikao Usui, após o grande terramoto de Kanto a 1 de Setembro de 1923, onde acorreu a milhares de pessoas.

Hoje em dia, temos o voluntariado presente em vários pontos do país e ilhas, promovendo o bem-estar da pessoa, quer sejam doentes oncológicos, seniores, pessoas com necessidades especiais, crianças e até mesmo animais.

Hoje e sempre, agradecemos de coração aos nossos voluntários, pela sua doação, carinho e prática de Reiki.

Testemunhos dos nossos voluntários

Ser voluntária é um compromisso que me enriquece como pessoa. Acredito que cada um de nós pode fazer a diferença neste nosso Mundo. Lindo sermos modelo e exemplo para os mais novos… como avó adoro ouvir os netos a dizerem que logo que possam querem fazer voluntariado. GRATIDÃO por este sentir, em que o Reiki tanto contribuiu.

Ana Lopes – Voluntária na sede da Associação Portuguesa de Reiki

Não precisarei de muitas palavras para descrever o que tenho sentido e aprendido, durante a minha experiência no voluntariado de Reiki. Pois resume-se a uma só palavra: “AMOR”. Amor esse, que incrivelmente, conseguimos sentir por pessoas que não conhecemos, mas que nos procuram, às vezes sem elas mesmas saberem porquê… Umas para terem a primeira experiência e nem sabem bem o que é o Reiki, outras para alívio das suas dores por doença crónica ou temporária, outras por se sentirem deprimidas, tristes ou com alguns sintomas de ansiedade… Mas, a maioria delas, seja qual for o motivo por que procuram o Reiki, no final da sessão, o que eu sinto é que no fundo, o que realmente procuram é o AMOR, o ACONCHEGO, o sentir alguém dizer: “EU ESTOU AQUI, PARA TI”, “EU ESTOU AQUI PARA TE OUVIR E TE SENTIR”… E não são os símbolos, as posições instituídas, ou não, onde se colocam as mãos, aquela técnica que aprendemos ou lê-mos em algum livro, que vai fazer com que aconteça essa magia que acontece no Reiki, essa energia de cura, de alívio, de paz e de amor, é sim, a intenção e o amor que sentimos e colocamos em tudo o que fazemos. Não querendo com isto dizer, que essas técnicas não façam sentido e não sejam funcionais, mas sinto que elas, por si só, podem não funcionar.
Por isso, aproveito para incentivar a todos os iniciados em Reiki, terem esta experiência de voluntariado de Reiki, sem receios e bloqueios por não se sentirem capazes ou por não terem experiência suficiente, pois basta agirem com o coração, nada mais é pedido do que isso… boa intenção e estar de coração. Não sei se tenho dado mais, do que o que tenho recebido, talvez esteja equilibrado, pois mesmo naqueles dias em que talvez não me sentisse nos melhores dias para dar Reiki, ao iniciar a sessão, essa sensação se dissipa completamente, como se recebesse essa procura de amor pela pessoa que está a receber, e por um instante durante o processo vou começando a sentir um Amor e um Carinho especial por aquela pessoa, e um Desejo que ela fique bem, sem saber muito bem de onde essa calorosa e reconfortante compaixão… Como é maravilhoso sentir isto, por alguém que simplesmente não me é nada… ou será que é?…
Estou, por isto, grata a todos os que se cruzaram neste caminho, e que ainda se irão cruzar.
Namasté

Susana Saavedra – Voluntária na sede da Associação Portuguesa de Reiki

Foi o voluntário que fiz durante mais tempo na mesma instituição (18 meses) na Cercimont. Eu acho que o voluntariado permitiu me deixar umas sementinhas de Reiki que se calhar não teria sido possível se não fosse nesse contexto. Amei fazer porque aprendi muito tomei ainda mais consciência do quanto o Reiki flui independentemente da natureza física ou mental da pessoa (não há limitação) e que ele se adapta completamente a cada necessidade pessoal. Tive o privilégio de poder assistir às várias maravilhosas transformações no ser humano fruto do Reiki. Namastê

Nina Leconte, voluntária na CERCIMONTE, coordenadora do núcleo de reiki de Montalegre

Sou voluntária há uma boa dezena de anos. Neste momento, há cerca de 4 anos, faço voluntariado na instituição acima referida. A minha doação serve para mim, como um aprendizado diário, uma realização pessoal, receber informação dos problemas das pessoas visadas, doando com todo o amor a energia e o amor incondicional que temos com a nossa filosofia de vida do Reiki. Aqui, na sua maioria são idosos, embora haja pessoas ainda relativamente novas, com todos os seus problemas. Sabe sempre bem, porque no final de cada sessão sentimos o nosso coração cheio e saímos dali com alegria.

Maria José Carvalho, voluntária no Centro Social Caminho de Bem Fazer, Montijo, coordenadora do núcleo de reiki do Montijo

Fazer voluntariado permitiu-me crescer enquanto pessoa, entender que enriquecemos muito mais quando damos do que quando recebemos. Fez-me perceber que a gratidão e alegria de quem recebe é igual à minha alegria por ser abençoado e poder partilhar Reiki com os utentes da SCMC, o voluntariado veio complementar uma lacuna que existia em mim tornando-me ainda mais grato todos os dias. Namastê

Francisco Santos, voluntário na Santa Casa da Misericórdia da Covilhã

Tornou-me um ser humano melhor , mais rico. É doar o que de melhor temos , de coraçao aberto. Amor ao outro

Eugênia Seabra, voluntária no EMAUS, Penafiel

O Reiki para mim, como filosofia de vida, trouxe-me toda uma alegria de viver, de renovação, o queimar as más lembranças do passado, foi o meu renascer para a vida.
Quando iniciei o voluntariado, há cerca de 3 anos, foi como um complemento de vida. levar a quem necessita toda a energia e amor incondicional que o Reiki nos dá, para transmitir aos outros um pouco da calma e da solidariedade no dia a dia, que todos nós necessitamos, além de recebermos também em troca todo o carinho de quem está connosco. No final sinto-me sempre cada vez mais completa na minha vida.

Maria Nazaré Antunes, voluntária no Centro Social Cantinho de Bem Fazer, Montijo

O voluntariado é essencial para a nossa evolução espiritual. Assim se vive intensamente o amor incondicional

Álvaro Gonçalves, voluntário no Centro Comunitário e de Dia da Junta de Freguesia de Moscavide e Portela , coordenador do núcleo de reiki de Moscavide

Iniciei o voluntariado na SPEM em Dez /2016 e no Centro de Dia em Moscavide, em out /2018. O voluntariado na SPEM é extremamente gratificante, porque apesar das limitações físicas das pessoas que se disponibilizam para receber Reiki, elas não têm qualquer limitação à demonstração do Amor e Gratidão sempre que recebem aquela Energia de Cura.
No Centro de Dia, também tem sido uma experiência muito gratificante, ver semana após semana, o entusiasmo, a alegria e a vontade das Senhoras utentes, em receberem Reiki e que no final de cada sessão de tratamento ficam sempre muito calmas, em paz e reconfortadas para mais uma semana (dizem elas!)
Quer seja na SPEM ou no Centro de Dia, fico sempre de “coração muito cheio” porque é indescritível ver as expressões naqueles maravilhosos rostos sempre muito gratos e amorosos!
É o Amor!!

Graça Maranho, voluntária na SPEM e Centro de Dia Social e Comunitário da Junta Freguesia de Moscavide e Portela

Desde que iniciei o voluntariado de Keiki, para além de ajudar os outros,também me fez enriquecer como pessoa. Sinto-me bem a ajudar os outros, contribuindo assim para um mundo mais justo e solidário,sou muito feliz a fazê-lo. Sinto-me grata por puder fazer voluntariado.

Anabela Jesus, voluntária no Núcleo de Reiki Penafiel. JFP. JFB

A minha experiência de voluntariado começou com o Núcleo de Reiki de Santo Tirso e um projeto com seniores. Posteriormente, e agora já com o Núcleo de Alfena, continuei e continuo com um projeto sénior. Sempre me perguntei que teria eu para “ensinar” a pessoas com uma vivência muito maior do que a minha. Para além do Reiki, os 5 princípios não podem faltar no atendimento e tem sido muito enriquecedor ver como as pessoas reagem, os adotam, começam a percebê-los e introduzi-los na sua vivência diária. Quando se poderia pensar que as pessoas nesta idade estariam numa fase mais calma da sua vida, muitas vezes as questões de saúde e as preocupações com filhos e netos são uma constante. Tenho notado que o Reiki e os cinco princípios fazem uma diferença grande na vida destas pessoas, levando-as a compreender e alterar a sua postura perante as suas dificuldades. A nossa doação enquanto voluntários é importante não só em termos daquilo que lhes podemos ensinar, mas também por estas pessoas saberem que, por alguns minutos, alguém está ali para tratar delas, para lhes dar atenção, para terem uns momentos que são só delas e lhes dar uma palavra amiga.
Não sei se sou eu que ensino ou se sou ensinada. Tenho aprendido tanto ao longo destes anos: formas de estar, vivências, usos e costumes, histórias e estórias e perceber que os nossos seniores são fontes inesgotáveis de conhecimento. O ano passado pelo Natal fizemos uma partilha de “avós emprestados” com um grupo de jovens e foi fantástico perceber como as pessoas de mais idade se sentiram importantes por terem vivências para contar aos mais novos. Engane-se quem pensa que estar na terceira idade não tem qualquer utilidade. O voluntariado possibilitou a existência de uma atividade diferente para todos, beneficiando jovens e menos jovens. Foi delicioso.
É delicioso também ouvir coisas como: “o Santo Reiki” e “não importa o que dizem, eu é que sei que me faz bem”. São estas situações que me tornam uma pessoa mais rica, pois posso aprender com cada pessoa a sua própria forma de perceber, interiorizar e até de simplificar o Reiki e vai muito além daquilo que pode ser aprendido nos livros. É bonito perceber que não há erros de terminologia mesmo que não chamam as coisas pelo nome correto, não há preocupações relativamente ao que os outros dizem, não há medo de experimentar e vivenciar, e, no fim, conseguimos ajudar as pessoas.
É esta dualidade de viverem com alguns problemas mas por outro lado conseguirem simplificar a visão de outros assuntos que, sem dúvida, sei que recebo muito mais do que aquilo que dou.
Haveria muito mais a dizer mas quero apenas terminar dizendo que sou grata ao programa de voluntariado da Associação Portuguesa de Reiki, ao Reiki e às “minhas meninas” que me “aturam” todas as segundas de manhã por me ter possibilitado este crescimento, enquanto pessoa e terapeuta.
Só por hoje sou grata.

Carla Sousa, voluntária na Plataforma Solidária de Alfena, coordenadora do núcleo de reiki de Alfena

O voluntariado é importante, porque é uma ação solidária para com o próximo.
Para mim é uma dádiva fundamental para alegria, e um sentimento de agradecimento de coisas boas que o Universo me proporciona.
Na minha vida trouxe me pensamentos positivos (O Mundo é grande e muitas coisas ainda precisam de ser resolvidas.)

Dália Rocha, voluntária no Centro de Dia de Moscavide

O Voluntariado e sempre muito compensador.

Maria Luisa Lima, voluntária no Centro de Dia de Moscavide

Cura para a minha doença oncológica, partilha de bem estar com os outros, reconhecimento da vida amorosa do ser humano….

Sandra Pinto, voluntária na LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO EM BRAGA

A minha doação dá-me felicidade de partilhar o amor incondicional com àqueles que precisam de afectos e carinho.

Raquel Raminho, voluntária na SPEM

O voluntariado desperta em mim a satisfação do bem fazer a alguém de mofo incondicional. Neste caso específico, representa a doação de amor em modo de partilha e compaixão a seniores.

Vanda Jacinto, voluntária na Associação Caminho do Bem Fazer, coordenadora do núcleo de reiki do Montijo

Sendo o Reiki uma terapia energética, na minha ótica sinto que é uma energia de compaixão, ou seja, a compaixão de Deus para com Todos nós, deixada pelos Divinos Mestres Ascencionados, temos todos igual direito de sentir/familiarizar-nos com esta energia e o voluntariado para mim é poder dar a conhecer/presentear/apresentar/ desmistificar/ fazer chegar mais o Reiki e a sua filosofia aos outros que procuram e chegam ate nós voluntários, no meu caso na APR (Associação Portuguesa de Reiki), ser “condutor/canal/ki de energia reiki” faz com que eu me envolva/familiarize cada vez mais, faz-me entender/compreender, ser mais sensível e querer sentir a energia na íntegra, porque para mim o Reiki ajuda-nos também a potencializar o nosso trilho/caminho/dharma do despertar Interior.

Então basicamente é por estas razões/motivos que me tornei e sou voluntária desde o ano passado e sou grata a Deus, ao meu Eu muito Sutil, à Associação, aos voluntários como eu e às pessoas que recorrem/chegam até nós voluntários, para conhecerem/experienciarem o que é Reiki, porque Reiki é realmente um método tão simples e tão prazeroso/relaxante de se sentir, eu sinto e acho que é ótimo e nobre na nossa jornada enquanto Seres Humanos sermos voluntários “condutores/canais/kis de energia reiki”pelo menos uma vez por mês, é importante relembrar que “dar/partilhar” aos outros é “dar/partilhar” a nós próprios já diziam os grandes Mestres Espirituais e pessoas Sábias, ganhamos muitos méritos, porque o importante é fazer chegar o Reiki com a atitude correta, postura correta, compreensão correta, Reiki é Reiki.

Reiki faz-me sentir…sentir estados emocionais de Amor, Compaixão, Gratidão, Compreensão, Equilíbrio energético, Tolerância,Carinho, Empatia…e mto mto mais, para isso na minha ótica basta estarmos receptivos/de Coração aberto com muita positividade dentro dele e na nossa mente. Gratidão,Paz, luz mto Reiki para nós Todos.

Marta Melo, voluntário na sede da Associação Portuguesa de Reiki

Iniciei a minha prática como voluntária em finais de 2016, na SPEM – Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla, onde permaneci até meados de 2018, altura em que passei para o Centro de Dia Social e Comunitário da Junta de Freguesia de Moscavide e Portela.
Enquanto na SPEM a experiência foi bastante desafiante não só porque estava a iniciar esta prática, tinha na altura o 2º nível de Reiki, como também pelas características dos utentes (patologia associada, diferentes fases da doença, na sua generalidade em cadeiras de rodas), o que implicou a adaptação de posturas de mãos e de técnicas.
Mas foi também para mim muito gratificante aperceber-me no decorrer das sessões da evolução de alguns dos pacientes, principalmente a nível emocional e de bem-estar.

Decorridos estes 3 anos de prática de voluntariado nestas duas Instituições, e em jeito de balanço, posso dizer que têm sido experiências que me têm enriquecido interiormente, que me têm ajudado a evoluir e a amadurecer espiritualmente e a aumentar a minha conexão com a energia Reiki.

E por isso sou grata por me ser concedida a possibilidade de a par do meu enriquecimento interior poder contribuir para o bem-estar de cada utente que participa nas sessões, recebendo a alegria e gratidão que me é demonstrada após cada sessão, através de um olhar, um abraço ou um gesto de carinho.

Lurdes Fonseca, voluntária no Centro de Dia Social e Comunitário da Junta de Freguesia de Moscavide e Portela

Dou o que tenho e recebo em troca uma experiência inexplicável. Amor, gratidão, sentimento de utilidade.

Gabriel Ferreira, voluntário no Núcleo reiki Penafiel; junta freguesia de Penafiel; mafagafinhos;

Uma maior noção de compromisso . Necessidade de acção concreta na promoção do bem estar físico e anímico de quem mais necessita.

Maria José Marques, SPEM

Sou praticante de Reiki há uns anos, mas apenas há cerca de três, que faço voluntariado.
Sinto neste trabalho uma alegria enorme quando estou a interagir com as pessoas, neste caso aqui são idosos, com todos os seus problemas. mas a nossa energia e amor do Reiki é-lhes transmitido, pelo que me sinto extremamente feliz e realizada quando regresso a casa.

Orlanda Capitão, voluntária na SPEM

Faço Voluntariado de Reiki há três anos e tem sido maravilhoso e muito gratificante.
Aprendemos a desenvolver o amor incondicional, o prazer de dar sem condições e sem olharmos a quem. Aprendemos com esta partilha a sentirmo-nos gratos ao receber um sorriso e um abraço. Quando venho voluntariado, sinto-me com mais energia, com mais amor próprio e com vontade de viver, de fazer mais pelo mundo.

Dulce Dias, voluntária no Centro comunitário e de Dia de Moscavide e SPEM Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla, coordenadora do Núcleo de Reiki de Moscavide

Doar reiki é oferecer carinho e amor acima de tudo. Um aconchego na alma de parte a parte. Recebemos muito mais do que o que doamos.

Joana Cavaco, voluntária na Associação Caminho do Bem Fazer

É com uma grande satisfação que reservo um dia para fazer voluntariado junto da população do bonfim/ porto. É um voluntáriado aberto a população residente naquela área. Já lá estou a um ano e é extremamente importante este protocolo entre APR e a junta do Bonfim, pois combate o isolamento da população envelhecida nesta área.
É muito gratificante o que aprendemos nos dias de voluntariado, praticamos a compaixão. O coração fica preenchido de tal grandeza que não existem palavras para descrever.
Ser voluntário é uma aprendizagem constante.

Bruno Dias, voluntário na Junta de Freguesia do Bonfim, coordenador de Ermesinde

O Voluntariado Reiki em Animais em Abrigos e a Animais de companhia resgatados de situações de risco, tem-me dado a oportunidade de viver experiências lindíssimas, que me emocionam há mais de 5 anos.
A aplicação de Reiki a Animais tem inúmeros benefícios, mas o que eles me dão enquanto pessoa é muito mais do que alguma vez conseguirei traduzir em palavras.
Apesar de muitos deles terem passados difíceis, abrem o seu coração e confiam que estou ali para lhes fazer bem.
Acredito que é esta recetividade que faz com que a aplicação de Reiki a Animais seja tão poderosa e eficaz, traduzindo-se em resultados muito positivos.
Este voluntariado trouxe à superfície situações que careciam ser identificadas, compreendidas e tratadas dentro de mim.
Desenvolveu ainda qualidades como a paciência, a humildade e a tolerância, tornando-me sem dúvida uma pessoa melhor.

Fátima Cunha Velho, voluntária em Vários Abrigos de Animais

A realização do voluntariado no Lar da Santa Casa de Misericórdia da Covilhã tem sido uma oportunidade excepcional para a prática do Reiki e da solidariedade. O trabalho voluntário baseia-se nos cinco princípios do Reiki e visa melhorar a vida dos utentes que vivem no Lar, de modo a promover um estado harmonioso e saudável dessas pessoas, tanto nas dimensões física, emocional e mental, quanto energética. Além disso, em cada sessão tenho a possibilidade de praticar a doação, com vista ao meu crescimento pessoal. Como estrangeira, sinto-me fortalecida a casa semana, tendo a oportunidade de retribuir com a cidade que me acolhe tão bem. Para mim, o voluntariado em Reiki através do Núcleo da Covilhã é acima de tudo uma oportunidade para partilhar e receber energia divina de amor incondicional!
Namasté

Mónica Santos, voluntária na Santa Casa da Misericórdia da Covilhã

Ser voluntária é crescimento, compromisso, aprendizagem, alegria, ajuda, sentimento de partilha, aliviar de alguma forma sofrimentos e melhorar qualidades de vida. Saber que faço a diferença na vida dos outros. Colaborar para o bem comum preenche-me e realiza-me enquanto pessoa.

Isabel Couto, voluntária na Casa do Alecrim

É um privilégio poder constar a diminuição do sofrimento dos nossos utentes, quer seja ele físico ou emocional com o Reiki. No final de cada tratamento assistimos muitas vezes a sorrisos que retribuem toda a nossa compaixão!

Cláudia Santos, voluntária na sede da Associação Portuguesa de Reiki

Ser praticante em voluntariado de Reiki ajudou a solidificar os meus conhecimentos mas também me auxiliou a saber quem sou. Todos os sentimentos que senti ao longo deste este tempo foram muito enriquecedores, apesar de nem todas as sensações terem sido de alegria! Fui descobrindo uma parte de mim, que talvez estivesse um pouco adormecida. Ser voluntária e ajudar foi sempre algo com que sonhei, e assim sendo, este voluntariado fez-me sentir que estou a cumprir a minha missão, o que me deixa muito feliz.

A vida é uma caminhada de aprendizagem… e o reiki é a energia que me fez e faz “caminhar”.

Sónia Morais, voluntária núcleo de Reiki de Penafiel

Voluntariado para mim, no Reiki, é a disponibilidade de doar, amor incondicional, a qualquer pessoa ou outro ser vivo, sem esperar nada, sem expetativa. Pode ser presencial, ou a distância, a pedido ou sermos nós a oferecer. Também é possível doarmos em situações em situações de crise. Com a intenção do Bem supremo, harmonia, enviamos através dos olhos ou do terceiro olho, por exemplo a uma criança que faz uma birra em público, aos pais que estão a perder o controle, etc. A doação tem implícito o máximo respeito pelo ser a que se destina. Abraço

Graça Duarte, voluntária núcleo de Reiki de Penafiel

Desde que iniciei o voluntariado de reiki, para além de ajudar os outros, também me fez enriquecer como pessoa. Sinto-me bem a ajudar os outros, contribuindo assim para um mundo mais justo e solidário, sou muito feliz a fazê-lo. Sinto-me grata por puder fazer voluntariado.

Anabela de Jesus, voluntária no núcleo de Reiki de Penafiel

Antes de mais sou grata à vida que me ofereceu o Reiki que tanto me tem ajudado.
Sei que o meu contributo é pequeno mas fico  feliz por poder minimizar o sofrimento daqueles que nos procuram .

Manuela Jorge, voluntária na SPEM
Publicado em

Testemunho de voluntária de Reiki no Lar da Santa Casa, na Covilhã

Minha experiência como voluntária no Lar da Santa Casa, através do Núcleo de Reiki da Covilhã da Associação Portuguesa de Reiki, tem sido de especial partilha e de grande valor para mim. Sentimentos de acolhimento e muito amor fizeram-se presente desde o primeiro momento que conheci a Laurinda, coordenadora do Núcleo.

Fui muito bem acolhida e envolta num ambiente de muito amor, carinho e compaixão. Sinto-me igualmente acolhida pelos utentes e toda equipe da Santa Casa da Misericórdia da Covilhã.

Sou grata a energia maravilhosa e curadora do Reiki por poder colaborar com o bem estar de cada utente que participa nas sessões e de todo o bem estar da casa. Só por hoje, Sou Grata!

Namasté

Monica Santos

Publicado em

Testemunho de voluntário no Núcleo de Reiki da Covilhã

Olá o meu nome é Francisco Santos, fui voluntário  no Núcleo de Reiki da Covilhã da APDR, na SCMC, durante aproximadamente 7/8 meses.
O voluntariado permitiu-me descobrir outra dimensão do Reiki…
Uma dimensão em que através da ajuda e da partilha com o próximo evoluímos e amadurecemos espiritualmente de uma forma desapegada sem esperar nada em troca, ficando e sendo gratos ao receber um sorriso e um abraço.
Acredito que quanto mais Reiki partilharmos melhor se irá tornar o mundo, com mais amor e respeito por todos os seres .
É me impossível falar da minha experiência/ vivência no Reiki sem ter uma palavra de apreço e amizade pela minha/ nossa querida Laurinda Madaleno, pois foi graças ao seu convite que descobri esta “vertente” que deve ser sempre uma constante em nós.
Namastê.

Publicado em

Testemunho de Teresa Susana Barros sobre o X Congresso Nacional de Reiki e Reiki na Escola

No passado mês de Outubro, tive oportunidade de participar no X Congresso de Reiki, organizado pela Associação Portuguesa de Reiki,que decorreu no Algarve. Não posso deixar de ficar profundamente grata pelo convite para participar como oradora, mas também não posso deixar de sentir a mesma gratidão por ter tido a oportunidade de testemunhar e escutar sobre tantos projetos que cada vez mais chegam a todo o mundo…foi um privilégio estar e fazer parte!
No que diz respeito à minha participação, tive a oportunidade de juntamente com Sílvia Oliveira, apresentar o que tem sido feito pela ARCJ a nível de escolas e mostrar como todas as sementes são necessárias e começam a dar lindos frutos,não só junto das nossas crianças e jovens,como de toda a comunidade escolar. Tive a oportunidade não só de falar da ARCJ enquanto associação, mas também dos vários projetos em que a mesma está envolvida, sempre com a colaboração da Associação Portuguesa de Reiki. Foi possível apresentar já o nome das várias escolas onde a ARCJ está a chegar, principalmente com um Projeto que nos tem enchido de orgulho – o Projeto Aprender a Ser. Este protejo visa essencialmente fazer chegar o Reiki, técnicas de relaxamento, meditação, o Super Reikinho e o seu livro, entre outras atividades a escolas, centros de estudos e instituições. Somos vários facilitadores já a trabalhar a nível nacional, mas no que a mim me diz respeito, pude apresentar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo segundo ano consecutivo em Fafe, na escola ACR Fornelos. Contamos já com 200 alunos inscritos neste protejo que decorre semanalmente em aulas de 45 minutos. Mas não ficamos por aqui, continuamos com o Gabinete de Reiki que teve aprovação no ano letivo anterior, como continuamos apostar no trabalho com toda a comunidade escolar, desenvolvendo workshops para professores e auxiliares e este ano uma formação para pais e encarregados de educação com o tema ” Pais atentos, filhos presentes”. Tive também a oportunidade de apresentar em primeira mão, o Curso sobre Inteligência Emocional, que a ARCJ em parceria com Didáxis iniciou este ano para professores. Um curso inserido no Poise  e financiado pelo programa Portugal 2020.
Foi muito bom chegar a todos com estas noticias, e principalmente com o trabalho sério e estruturado que a ARCJ tem vindo a desenvolver. Numa sociedade em que a burocracia impera, a ARCJ tem vindo a dotar-se e a dotar todos que dão a cara pelos seus projetos de instrumentos necessários para que possamos dar resposta, não só aos inúmeros pedidos que nos são feitos, mas dar essa mesma resposta de forma séria e credível.
 É urgente chegar às nossas crianças e jovens, é urgente chegar aos locais onde os mesmos passam maior parte do seu dia a dia, é urgente mostrar que o Reiki sendo algo tão simples auxilia todos a desenvolver a suas competências socioemocionais, trabalhando a calma, a harmonia, a empatia,de forma a que todos possam ter uma vida mais pacífica e feliz!

Resta-me dizer que continuo acreditar que é possível fazer diferente, continuo acreditar que é possível o Super Reikinho ajudar cada vez mais crianças, continuo acreditar, que com seriedade, simplicidade e progressividade as sementes vão sendo lançadas!

Só por hoje, sou grata!

Teresa Barros – terapeuta/formadora/Responsável Arcj escolas

Publicado em

Testemunho de Teresa Queiroz Barros sobre a participação no X Congresso Nacional de Reiki

Em nome da Lux Vitae e no meu próprio, gratidão pelo privilégio e oportunidade de podermos divulgar o nosso Projeto que vamos, em conjunto, construindo dia a dia e onde podemos dar o melhor de cada um.
Faltou-me referir a questão da ligação ao corpo clínico da Pediatria do IPO, com o qual iremos reunir em breve para trabalhar o tema referido por alguns oradores relativo aos cuidados a prestar aos cuidadores; noutra ocasião teremos certamente essa  oportunidade.

Um agradecimento especial pelo Prémio atribuído ao nosso Projeto. Um reconhecimento que vai servir de impulsionador para uma sempre mais intensa participação e abertura ao que a vida tiver para a Lux e que sempre será por nós motivo de um orgulho são.

Obrigada ao  Fernando e ao João por nos acolherem e pelo consciente trabalho de divulgação de tantos e tão interessantes trabalhos que já se fazem um pouco por todo o País e de toda a informação reunida no vosso site.

Todos os Lux´s que estiveram presentes saíram de coração cheio, e essa energia ainda perdura em nós  motivando-nos a continuar a fazer sempre mais e melhor.

Contem connosco sempre que vos parecer oportuno

Bem hajam pela luz e pela oportunidade única que nos deram.

Um grande abraço de Lux, extensivo a toda a Organização.

Teresa Queiroz Barros, Presidente, Associação Lux Vitae

Publicado em

Testemunhos sobre a Psicomotricidade

Às Actividades da ARCJ aqui em Penafiel, juntamos a Psicomotricidade.

Ficam aqui alguns testemunhos sobre o que sentem os Jovens 😁😍

” No meu ver, isto é bom, porque isto ajudamos a sentir o nosso sorriso verdadeiro, rir como uns perdidos. Para terapia de riso é muito bom, para a nossa saúde e estado espiritual.”  Miguel Ferreira

“Gostei muito da terapia. Senti boas energias or parte de todos é bom rir. Fazer as atividades com todos bem dispostos e com muita motivação. Ajuda a esquecer as coisas lá fora e ter um bom momento de plena descontracção e felicidade genuína. Obrigada.! “

” Eu gosto muito das atividades que fazem. E faz-me muito bem á minha autoestima. Muitos Parabéns a todos.”  Marta Ribeiro

” Estou a gostar bastante destas aulas de não sei bem o nome, acho uma boa atividade de interagimos com este grupo social, apesar de termos  as idades completamente diferentes. Acho que esta sociedade deveria de aprender mais com estas aulas, porque é uma maneira de aprendermos novas atividades., melhora a relação interpessoal e recomendo a toda a gente a experimentar.”  Rui Silva

” Ola sou a Eugénia Rocha participei hoje nesta aula. Adorei a Terapeuta , a aula em tudo o que incluiu diversão em todas as atividades. Muito boas., excelentes para o corpo e a alma.” 

” Achei as atividades divertidas e interessantes. Porém, não estou muito habituada a este tipo de terapia e talvez seja por isso que não participo muito. Gostei e espero repetir.”  Maria

Nuno Miguel Moreira Nunes

Terapeuta e Formador de Reiki 

(Método Usui Reiki Ryoho)

Cenif Penafiel

Edificio Ribeiro AG 46, Urbanização Cedro

( junto ao Estádio de Penafiel )

4560-501 Penafiel

Publicado em

Dedicatórias de praticantes de Reiki

” Que seja um dia em plena Alegria, Partilha, Amor.

Obrigado Mestre Mikao Usui <3

Nuno Nunes

Mikao Usui está de Parabéns pelos ensinamentos que nos transmitiu. Hoje Só por Hoje será um dia alegre e pleno de energia positiva, fazendo de nós seres mais felizes e para todo o mundo geral.

Jose Paulo

O Reiki para mim tem sido complemento sensacional e já faz parte de mim. Como Voluntário, farei por gosto para ver todos as pessoas a sorrir e felizes. Portanto, com a minha Gratidão farei esse dever para espalhar a Paz e manifestar a energia de Reiki para que haja um Equilíbrio no Universo.

Miguel Ferreira

Parabens Mikao……

Obrigado pelos teus 5 princípios. Só por hoje, aqui, agora, sou grata.

Ana Santos

Reiki é Amor Incondicional é doar o melhor de nós. Parabéns Mikao e a todos os reikianos.

Anabela Jesus

Parabens Mestre Mikao

Todos juntos aqui estamos

a festejar o teu dia

TU nos dás e nós doamos !

Maria Ester (MEL)

Parabéns, Obrigado pelos teus ensinamentos. Reiki Amor Incondicional, doar o melhor, de nós, todo Amor sem esperar nada em troca.

Eugénia Seabra

Ao Mestre Mikao sou muito Grata por todos ensinamentos e com Alegria do poder energia dar-nps bons momentos.

Apesar do calor dava por sorrir, epá tava fixe, Parabéns Reiki 😀

J. J.

Obrigado pelo teu dia, está muito calor mas deu para aproveitar e nos divertir.

Nuno Miguel Moreira Nunes

Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel 

Associado APR-000652-PT

Claudia Magalhães Duarte

Co-Coordenadora Nucleo Reiki Penafiel

Associada APR-003345-PT

Publicado em

Poema do Aniversário do Nucleo de Reiki de Penafiel

Dia 26 de Julho,

è um dia especial.

Nasceu um núcleo, um orgulho,

composto por gente leal.

Há uma energia, um objectivo,

Em que cada um é capaz!

Não só ser criativo, mas também de construir a Paz.

O símbolo é um girassol.

Nuno é o seu mestre.

è assim como um farol…

cada um se sente como um “extraterrestre”!!

Sente-se muita União,

cada um ergue sua voz,

cada qual com sua emoção,

Formamos um grande NÒS.

È o quinto aniversário

Prima muita Alegria!

Porque sem ser revolucionário!

sentimos e vibramos harmonia.

O trabalho é árduo,

O “pessoal” resistente!

Há respeito mútuo,

E gente sorridente.

è dia de Parabéns,

de sintonia e de Luz!

Mantemos as nossas origens

E as bênçãos se faz Jus!

Manuela Nunes 

🙏

Nuno Miguel Moreira Nunes

Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel 

Associado APR-000652-PT

Claudia Magalhães Duarte

Co-Coordenadora Nucleo Reiki Penafiel

Associada APR-003345-PT

Publicado em

Se começamos nosso voluntariado junto dos cães do canil municipal de Olhão, integrados no Grupo Strolling For Strays In Olhão Portugal / Animais do Canil Municipal Olhão, em Março de 2018, passeando com os cães e fazendo Reiki nestas ocasiões, foi a partir de finais de Agosto 2018 que o Reiki “ganha” outra envergadura, como à frente explicado. E grato, Mikao Usui! E grato, Energia Reiki pelo bem que tens feito a estes belos seres.

O que se segue são publicações na página do Grupo (Strolling For Strays In Olhão Portugal / Animais do Canil Municipal Olhão), e que podem ser consultadas, e se se fizerem amigos do Grupo 🙂 melhor será, dão apoio à causa e seguem os feitos do Reiki nestes belos seres. Pois como diz Teixeira de Pascoaes: “Os animais são pessoas, como as pessoas são animais”.

 

Cães que não saiam do canil por se recusarem a fazê-lo e que, com a Terapia Reiki, estão prontos para adoção, os que já não foram adotados :

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado em

Muito bons resultados em inquérito ao Voluntariado Reiki na A.D. Belhe de Penafiel

Na A.D. Boelhe , realizamos Reiki para Seniores, contamos com 4 voluntários de Reiki que :

– Cuidam no Nucleo de Reiki de Penafiel quinzenalmente 3 utentes;

– Cuidam de Quem Cuida 1 X mês no Espaço da Junta de Freguesia de Boelhe.

Avaliação esta em anexo e claro vamos continuar. 💑

Agradecimento aos Voluntários: Anabela de Jesus, Manuela Nunes e Luis Américo. ❤

Nuno Miguel Moreira Nunes

Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel 

Associado APR-000652-PT

Claudia Magalhães Duarte

Co-Coordenadora Nucleo Reiki Penafiel

Associada APR-003345-PT

Publicado em

Testemunho de voluntariado em lar de terceira idade

Quando vamos a uma instituição fazer voluntariado, nunca sabemos como vai correr. Sabemos que, enquanto voluntários, temos que nos ajustar às condições da mesma e às necessidades dos utentes. Também não sabemos como vamos ser recebidos pelos utentes nem a reação deles à terapia Reiki – muitos nem sequer sabem o que é.

Comecei a fazer voluntariado num lar de 3ª idade. No primeiro dia, tinha que explicar o que é o Reiki, os cinco princípios e a terapia.

Enquanto explicava, olhava para aquelas cinco utentes e percebia, pelos seus olhares, que não estavam a entender muito bem do que eu falava.

Não é fácil explicar a pessoas com mais de 80 anos, que somos energia, que temos centros energéticos – chacras – e que as minhas mãos vão ajudar a que se sintam melhores…

Tentei uma forma mais fácil e quando comecei o tratamento, explicava que iam sentir um calorzinho das minhas mãos e esse calorzinho era muito bom e ia ajudar a ficarem mais tranquilas, promovendo o bem-estar.

A primeira senhora a quem fiz o tratamento, teve alguma dificuldade em descontrair, não fechava os olhos e sempre que olhava para ela, ria-se. A certa altura disse-me “Acho isto um disparate” e continuava a rir. Eu pensei “Não é um disparate, mas a senhora não conhece, não consegue explicar e não está a aceitar”. Então, perguntei se não sentia um calor a sair das minhas mãos. Respondeu-me que sim e voltei a dizer-lhe que esse calor fazia bem, acalmava.

Quando terminei a sessão, perguntei se na semana seguinte queria que lhe fizesse Reiki outra vez, respondeu afirmativamente, mas sem grande convicção.

Na semana seguinte, enquanto me preparava com a outra colega para iniciarmos o voluntariado, aquela mesma senhora (sentada perto de mim) tocou-me e disse “Oh menina, dói-me um bocadinho este joelho (tocando no joelho direito). Ontem caí e fui com o joelho ao chão”. Perguntei se queria que eu lhe fizesse um bocadinho de Reiki e ela anuiu, desta vez com mais vontade.

Reiki é assim, acontece sem muitas vezes conseguirmos uma explicação fácil. Aquela senhora que no primeiro dia não sentia nada nem acreditava, foi a primeira a abordar-me porque precisava que a ajudasse com Reiki.

Só por hoje, confio muito!

Paula Baúto, coordenadora do núcleo de São Pedro de Sintra.

Publicado em

Inquérito sobre o Voluntariado Reiki

Nós Praticantes/Voluntários de Reiki, também somos avaliados nas sessões de voluntariado nas Instituições. fica o nosso registo, em anexo. 👪🌻

🙏

Nuno Miguel Moreira Nunes

Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel 

Associado APR-000652-PT

Claudia Magalhães Duarte

Co-Coordenadora Nucleo Reiki Penafiel

Associada APR-003345-PT

Publicado em

Testemunhos doentes oncológicos

No dia 15 de Junho o núcleo de Guimarães da APR promoveu uma partilha de testemunhos com doentes oncológicos que recebem Reiki e os seus terapeutas que de uma forma voluntária fazem Reiki.
Durante cerca de 3 horas estivemos em silêncio a ouvir cada palavra, cada olhar de cumplicidade entre terapeuta e paciente, a controlar um misto de emoções que todos estávamos a sentir. A força destas pessoas e o Amor que estes terapeutas tem por aquilo que fazem, dá-nos a nós também, uma força incrível e faz-nos ver que é possível irmos mais longe! Reiki é mesmo muito bom e deveria ser para todos!!
Um grande obrigada a todos!! Que estes testemunhos sirvam para que mais pessoas possam usufruir da terapia Reiki.
Sílvia Oliveira

Testemunhos doentes oncológicos do núcleo de Guimarães

No dia 15 de Junho o núcleo de Guimarães da APR promoveu uma partilha de testemunhos com doentes oncológicos que recebem Reiki e os seus terapeutas que de uma forma voluntária fazem Reiki.Durante cerca de 3 horas estivemos em silêncio a ouvir cada palavra, cada olhar de cumplicidade entre terapeuta e paciente, a controlar um misto de emoções que todos estávamos a sentir. A força destas pessoas e o Amor que estes terapeutas tem por aquilo que fazem, dá-nos a nós também, uma força incrível e faz-nos ver que é possível irmos mais longe! Reiki é mesmo muito bom e deveria ser para todos!!Um grande obrigada a todos!! Que estes testemunhos sirvam para que mais pessoas possam usufruir da terapia Reiki.Sílvia Oliveira

Publicado por Associação Portuguesa de Reiki em Quarta-feira, 27 de junho de 2018

Publicado em

Testemunho de voluntariado Reiki na Covilhã

O que posso dizer sobre o que tem sido o Reiki para mim…
digo-lhe que todos os dias sou grata por todos os benefícios sentidos na minha vida pessoal e por ter diariamente a oportunidade de contribuir para o bem estar de todos os que me procuram, e são muitos acredite, desde 2013 até a data presente, como Canal/Terapeuta de Reiki.
Faço por semana cerca de 20 sessões de Reiki, mais o voluntariado na APPACDM na Covilhã, Terça e Quinta feira das 13h às 15h . Nas duas horas que lá estou, sou canal para três pessoas o que faz o total de 6 sessões, estou com cada pessoa 30 minutos,  isto no voluntariado… o tempo tem de ser muito bem gerido e aproveitado.
É maravilhoso  ver como depois da terapia as pessoas ficam mais calmas, numa harmonia interior que não conseguem exprimir com palavras, dizem que o Reiki lhes ilumina a alma, e  manifestam enorme gratidão. Desde setembro de 2016, faço domicilio também uma senhora que tem esclerose múltipla, não tem mobilidade física, faleceu recentemente o único filho, com 30 anos, com um temor no cérebro. Esta senhora  diz que  o contacto com o Reiki é o abrir caminho para uma vida de luz. Foi ela quem pediu o Reiki, irei todas as vezes que ela quiser, é uma honra sempre.

Publicado em

Testemunhos de voluntários na instituição Páginas da Vida em Viana do Castelo

De 2014 a 2017, quatro voluntários, terapeutas de Reiki, do núcleo de Reiki de Viana do Castelo, aplicaram Reiki regularmente na instituição Páginas da Vida, partilhando connosco o seu excelente trabalho e dedicação, esperando também motivar a outros na prática da doação.
O seguinte texto é da autoria de Vitor Cabral, ao qual é acrescentado o imprescindível testemunho dos voluntários do Núcleo de Reiki de Viana do Castelo, sob a orientação de Jorge Viana e Mónica Maciel.

Voluntariado em Viana do Castelo nas Páginas da Vida

Num Protocolo entre a Methamorphys – Núcleo de Reiki da Delegação de Viana do Castelo e o Grupo Quércia – Páginas da Vida (Esta Instituição acolhe Idosos e é representante da Alzheimer Portugal), em Abril de 2014, ficou estabelecido que o grupo de voluntariado de Reiki,  efectuasse sessões, uma vez por semana naquela Instituição, a todas as pessoas que estivessem disponíveis para o receber.
O grupo de Voluntariado, que se ofereceu para esta iniciativa, foi composto pelos Voluntários/Terapeutas na área de Reki, designadamente:

  • Vítor Cabral
  • José Franco
  • Laura Chivarria
  • Teresa Couteiro

Este grupo de Voluntários, doaram Reiki, durante 3 anos, uma vez por semana, nesta Instituição, desde Abril de 2014 até Julho de 2017, (à excepção nos meses de Agosto que encerravam para férias)…..
As pessoas que o receberam, foram praticamente idosos, alguns com doença de Alzheimer, e uma pessoa jovem com “Trissomia-21”. Durante todo este período, foram passando por entre as nossas mãos pessoas com vários problemas físicos e mentais.
Estamos conscientes que recebemos mais do que demos.
O nosso lema foi seguir os 5 princípios e só por isso somos muito gratos a todos os que se disponibilizaram a receber Reiki.
E passo a citar os testemunhos de cada Voluntário, do que sentiram, enquanto terapeutas de Reiki e voluntários de coração aberto, por esta primeira experiência.

Testemunho dos voluntários nas Páginas da Vida

 

Testemunho de José Franco:

 Os utentes foram espectaculares, esta experiência foi gratificante para mim, e para todos nós, tenho a certeza disso…
Doei Reiki, mas também recebi muito em troca….

Testemunho de Teresa Couteiro:

Eu estive com uma utente, com Trissomia-21, foi uma experiência agradável, trabalhar com esta miúda de 28 anos. No início da prática de Reiki, esta utente, tinha uma maneira de estar, muito ansiosa e frenética, com o tempo foi acalmando e só costumava repousar quase no fim de cada sessão. Curioso, foi o Pai querer que ela fizesse Reiki, pela diferença que ela começou a ter em relação aos familiares em casa depois de algumas sessões de Reiki.

Testemunho de Laura Chivarria:

Foi agradável, muito positivo…
Uma lembrança que não esqueço, foi de uma utente com Alzheimer, me reconhecer ao fim de algum tempo. Foi um trabalho generoso, onde trabalhei com muito agrado. No decorrer deste tempo, ganhei experiência e recebi algo de todos os utentes…

Testemunho de Vítor Cabral:

Não tenho palavras para descrever todo o entusiasmo como decorreu todo este processo.
Tive a oportunidade de conviver, com mais de 3 pessoas, a quem fazia Reiki, desde uma pessoa idosa com 87 anos, que sofria de bronquite e problemas nos membros inferiores, outras pessoas com Doença de Alzheimer, assim como, uma jovem com Trisoma-21.
Neste período de 3 anos, estive mais tempo com uma senhora idosa com 87 anos, que sempre que lhe perguntava como se sentia, me respondia que estava muito melhor da respiração, já não tossia tanto….
É claro, que o Reki, não curou os seus problemas, mas proporcionou a esta senhora uma maneira diferente de encarar a sua doença crónica e os seus problemas de saúde…
Na jovem com o Trisoma-21, era diferente, recebia-nos sempre bem, como se fossemos os seus amores, a quem lhe dávamos uma hora de relax e carinho, que por vezes terminava com um sono reparador.
Para finalizar, sinto-me muito grato, não só ao Reiki, como ao Mestre Mikao Usui, pela transmissão da sua sabedoria, à energia Universal e ao meu Mestre Jorge Viana, por tudo o que me ensinou, e, por fim a estas pessoas que me adoraram por esta experiência, mas principalmente a elas estou muito grato, pelo bem que me fizeram… ser Bondoso…

Testemunho da Instituição Páginas da Vida

Páginas da Vida
Testemunho APReiki

Publicado em

Testemunho de Voluntariado na Covilhã

Aqui partilho a minha felicidade em fazer parte do voluntariado de reiki (embora neste momento por questões de saúde de minha mãe, tenha interrompido).
Fiz voluntariado no Lar da Santa Casa da Misericórdia da Covilhã, e ter tido essa experiencia com os idosos com menos saúde, foi muito bom. Saber que esta maravilhosa energia lhes deu uns momentos de conforto, nem que tenha sido na fase final de suas vidas. Aquele olhar terno e de agradecimento; aquele beijo nas mãos acompanhado de um obrigado; aquelas cantigas que cantavam enquanto lhes fazia as secções; aqueles passeios pelo Lar com idosos que não conseguiam ficar sempre sentados… enfim, EU SOU MUITO GRATA a eles todos por ter tido essas experiencias e imaginação para lhes aplicar Reiki em situações “menos normais”.
O REIKI É INTELIGENTE E MARAVILHOSO, APLICADO EM QUALQUER SITUAÇÃO, EM QUALQUER SITIO E POR QUALQUER MOTIVO.
Namasté
Helena Reis

Publicado em

Testemunho de voluntariado para crianças em Tavira

Conforme me colocam o desafio, alinho logo, pois a mensagem tem e deve ser passada em prol do Amor universal, ou seja Reiki Universal…
Tal como tantas vezes já o disse o Reiki é, para mim, em primeiro lugar, Amor, é dar sem esperar, é partilhar, sejam partilhas de Reiki, sejam partilhas de conhecimentos que vamos adquirindo até com a nossa própria experiência de vida, porque quando se fala em Vida, fala-se num conjunto de fatores onde, para mim, entra partilhar, dar sem esperar nada em troca, falo em respeitar a mim e o todo, falo em deixar cair por terra preconceitos e inseguranças que durante anos os Seres Humanos são formatados para que neles acreditem…
O Reiki é para mim tanto mais quantas palavras eu possa empregar.
Partilho convosco um voluntariado que eu, Ana Patrícia Mendes, junto com um dos voluntários que me apoiam e ajudam, Carlos Pinto, estamos a levar a crianças que vivem histórias de vida marcadas pela sua retirada da família base, ou seja, que vivem num centro de acolhimento, o qual não vou revelar o nome, pois não me é permitido…
São 4 jovens com 11, 12 e 15 anos, com sonhos de vida roubados momentaneamente, mas com a revolta do que lhes aconteceu e os porquês de ter acontecido com eles. Entre gritos, pesadelos, noites mal dormidas e medicamentos para os ajudar a controlar uma raiva que mora lá dentro, começaram a fazer Reiki connosco no dia 13 do mês de Julho. Posso dizer que a Raiva caiu logo ali, na 1ª sessão, posso dizer que os sonhos esquecidos criaram novas cores e o que no dia anterior era o caos e este virou Felicidade. Utilizando palavras deles no inicio da 2ª sessão de reiki, onde se trabalha primeiramente a filosofia de vida e depois a terapia em si:
– Sinto-me mais Feliz…
– Durmo muito melhor…
– Nunca mais tive pesadelos…
– Não tenho discutido com nenhum colega…
– …
Entre outra frases que foram dizendo e que nos encheu o coração, pois aqueles 4 jovens chegaram a nós por serem os mais “complicados” casos desse centro de acolhimento, e que após uma 1ª sessão onde lhe introduzimos motivação, confiança e que dismistificámos o facto de estarem ali naquele sítio como fazendo parte da aprendizagem deles, mas também de cada uma das famílias deles… contornando a cor obscurecida e dando-lhe Luz…
Luz que levamos a eles e trazemos deles durante esta manhã em que tudo é falado e percebido… pela positiva… porque ninguém nasce ensinado… é preciso partilhar.
Não resisti a vos oferecer este testemunho marcante, de jovens que ali estão uns há 2, outros já há 5 anos…
O Reiki para mim e para o Carlos Pinto é isto… não é mostrar nada é fazer e partilhar.
Sou muito grata a vocês porque me mostraram este caminho no Reiki e com o Reiki, em prol do Amor que ele representa.
Ana Patrícia Mendes
Publicado em

Testemunho de voluntariado no IPO

Fazer voluntariado é algo que me preenche o coração. Ser voluntária no IPO do Porto através da Liga Portuguesa Contra o Cancro – NRN, no serviço de Pediatria, é muito gratificante.
Sou voluntária há dois anos e 4 meses e, desde que entrei, pratico Reiki em crianças, desde os primeiros meses de vida, a jovens adolescentes e seus familiares.
A situação em que se encontram não é fácil; Vêm-se dentro de uma casa especial que, para muitos, se torna na sua segunda casa. Num contexto familiar, o mundo desaba e tudo passa a ser vivido de uma forma muito particular e intensa. Os mais pequenos podem sentir a falta de casa, mas estando com a mãe por perto…sentem-se seguros. Podem ter dores fortes, efeitos secundários dos diversos tratamentos que fazem, mas…são crianças. Continuam a ter alegria de viver e há lugar para a brincadeira e momentos lúdico-pedagógicos, dependendo apenas da sua disposição no momento. Para os jovens, a situação é diferente. Há noção do que têm, do que estão a sentir, do que vão ter de fazer, do que estão a perder “lá fora” e esse choque de realidade fá-los sentir revolta, medo, ansiedade, insegurança, desânimo.  Para os familiares que os acompanham, a sensação é de impotência completa. Põe um “pause” nas suas rotinas diárias e reajustam-se à nova e dura realidade.
O Reiki funciona como uma bomba de oxigénio.
Os adultos, na sua maioria, conseguem relaxar completamente; sair de onde estão indo para um lugar tranquilo, tendo muitas vezes dificuldade em despertar. A maioria dos jovens/adolescentes sentem curiosidade em saber o que é o Reiki e como “funciona”. Conseguem sentir um maior relaxamento do corpo e a mente mais tranquila. Podem eventualmente adormecer, contudo o bem-estar é notório. No que diz respeito aos mais pequenos (0-10 anos)… gostam do Reiki mesmo sem saber o que é. Sentem o calor das mãos, o corpo começa a relaxar e a respiração fica mais pausada e profunda. A maior parte dos pacientes adormece, outros ficam mais bem-dispostos e faladores.
Também já dei tratamento de Reiki a adultos, com problemas oncológicos, e o resultado é igualmente compensador. O paciente fica mais relaxado, pode adormecer e há uma sensação de bem-estar, comum a todos os que recebem Reiki.
Como terapeuta e voluntária dou o meu tempo, amor e carinho, sentindo uma enorme responsabilidade e orgulho, por poder contribuir para um maior bem-estar destes pacientes.
 
Ana Margarida Ladeira, 34 anos, Porto.

Publicado em

Reiki NO TEMPO DA DOENÇA DE ALZHAIMER não é o fim, mas o principio

Partilhamos convosco a experiência da Filomena Pessanha, coordenadora do núcleo do Porto e do Reiki no tempo da doença de Alzheimer.
Observando a resposta de quem tem a mente mais liberta, pela detiorização de capacidades cognitivas.
Uma esponja de casa de banho que limpa sanitas acabar na banca da louça.
Que mal tem morreu alguém?
Sentiste-te mal?
Realmente entre um pequeno enjoo ninguém morreu e as lágrimas que correram no fundo limparam a alma.
Os principios na cuidadora  e a praticante de freiki não foram postos na prática e no iluminado mesmo sem ser praticante foram dignas de aplauso no meu  coração pela capacidade de reverter situações e fizeram-me sorrir.
Ao mesmo tempo convivendo com a realidade da morte de um amigo que para a além de estar nas suas perfeitas capaciadades cognitvas, pega numa escada sozinho para podar arvores cai, bate com a cabeça num paralelo e tem morte quase instantânea.
Afinal quem está certo???
Pois é Alzaimer e o Só Por Hoje
Tudo é uma questão de ponto de vista,mesmo que já tenhamos perdido faculdades.
E só Por Hoje sou Calma
Confio
sou Grata
Trabalho honestamente
Sou bondosa
Viver crescendo mesmo com a doença  alzaimer a  viver a meu lado.
Hoje foi só isto quis partilhar o que não se aprende nos livros.
Beijinhos  Filó
Feliz Natal com muito Reiki

Publicado em

Ser voluntária no Centro de Dia da Cruz Vermelha de Caselas

Isabel Antunes é Mestre de Reiki e voluntária na Associação Portuguesa de Reiki já há 4 anos, realizando um bonito trabalho de compaixão na Cruz Vermelha de Caselas. Aqui fica o relato das suas experiências, de coração.

Testemunho de 4 anos de voluntariado

Em Novembro de 2013, iniciei o meu voluntariado nesta instituição. Já lá vão 4 anos e não consigo tomar a decisão de interromper. De cada vez que penso fazê-lo, lembro-me daqueles que todas as semanas me esperam e para quem aqueles trinta minutos de Reiki são importantes. Porquê? Não sei, mas sei que me esperam e sentem a minha falta quando vou de férias.
Há quem tivesse querido experimentar e desistisse. A esperança de que o Reiki desse movimento a um braço tolhido por uma trombose era grande, mas como tal não sucedeu, o interesse desapareceu.
Mas o senhor M. nunca deixou de vir. Algumas vezes era o único, mas assim que me via, de imediato se levantava para se dirigir ao espaço onde a sessão ia decorrer. Outros até tinham ciúmes de que ele fosse sempre o primeiro. Um dia, o senhor M deixou de aparecer, esteve muito tempo hospitalizado, mas quando voltou, acompanhado de um aparelho de oxigénio quis voltar a receber Reiki. As funcionárias da instituição não queriam, tinham medo de que alguma coisa lhe acontecesse, mas ele queria tanto que foi preciso a mulher do senhor M. escrever um papel a responsabilizar-se para ele poder voltar às sessões de Reiki. Até que um dia ele me disse que já não conseguia deslocar-se e passado algum tempo partiu. O senhor M. tinha mais de 90 anos e para ele o Reiki significava muito. Deitava-se na marquesa e assim que começava a receber Reiki adormecia. Para ele aquele tempo era mais importante do que qualquer filme ou qualquer sessão de animação que estivesse a decorrer no Centro de Dia.
Conhecer o senhor M, fazer-lhe sessões de Reiki foi importante para mim. Ele foi a primeira pessoa como voluntária a quem fiz Reki. Sentia-me insegura, não sabia se iria conseguir passar energia, se ele ia gostar. Quando a sessão acabou, ele olhou para o relógio e disse-me que não tinham sido bem trinta minutos. Mas, desde esse primeiro dia, nunca mais faltou e despedia-se sempre com um beijo ou um abraço caloroso e dizia frequentemente que gostava muito de mim. Liguei-me afectivamente a ele e tive pena quando partiu.
Tinha dito a mim própria que quando tal acontecesse, deixaria o voluntariado em Caselas.
A verdade é que, a certa altura, começaram a surgir outras pessoas e passei a ter que ficar mais tempo para corresponder à procura. Algumas dessas pessoas também adoeceram e já não vão ao Centro de Dia tal como a senhora F. que , na primeira vez , se sentia muito nervosa, mas  no fim da sessão me disse que tinha ficado muito calma e com uma grande sensação de bem estar. Essa era como o senhor M., assim que me via, levantava o dedo e dizia de imediato que queria ir e isso aconteceu até ao dia em que deixou de frequentar o Centro por estar gravemente doente.
Agora, tenho a senhora L. que substituiu o senhor M. na pretensão de ser o primeiro. Aliás, quando ainda o senhor M. estava  vivo, batiam-se os dois para ver quem era o primeiro.
A senhora L., tal como o senhor M., adormece assim que começa a sessão. Desde há uns tempos que prefere receber Reiki sentada, mas mesmo sentada adormece. O Reiki não a cura dos efeitos da ciática na sua perna esquerda, mas relaxa-a e fá-la sentir-se bem.
A senhora F. esteve também no primeiro dia, depois do senhor M. Foi fazendo com irregularidade até que, há algum tempo atrás, decidiu que de 15 em 15 dias ia ter uma sessão.
Conversa todo o tempo, mas vem na procura de que o Reiki a ajude nas suas dificuldades físicas. Um dia, surpreendeu-me ao dizer que eu a tinha curado de uma dor que a atormentava na altura. Ela acredita ou diz acreditar que eu e a terapeuta da fala somos peças fundamentais para o seu bem estar.
Seria capaz de deixar estas pessoas? Acho que não.
E termino, afirmando: Só por hoje sou grata por me ser concedida a possibilidade de poder ajudar os outros.
Isabel Antunes

Publicado em

10 anos de prática de Reiki, um testemunho da Coordenadora do núcleo de Reiki do Porto

Aceitando o desafio de escrever um pouco sobre os meus dez anos com Reiki, apesar de gostar de fazer sem dizer.
Caminhando desde os 21 anos como peregrina da vida, apareceram reforços para continuar o caminho com mais leveza ao  abraçar  o Reiki.
Em agosto de 2007, fui despertada por uma amiga para toda a vida Ana Maria Sécia professora de Matemática para a terapia de auto cura e de cura para os outros.
Minha Mãe estava bastante doente nessa altura e durante uns anos mais  e tudo foi feito, pois o universo conspirou sempre a seu favor e a favor de mim e de toda a família que também a cuidava.
Unida ao Universo, tudo foi feito, pois ele conspirou  para o seu bem supremo.
Diariamente eu que  desde menina pensava, quando me entristeciam:
Não desistirei de ser feliz. sorria quando pensava na frase  do Mestre Mikao Usui “Reiki é a arte secreta de  convidar a Felicidade” e cada vez ia descobrindo mais sobre esta arte transformadora.
Confesso que não imaginava a dimensão de me poder dizer praticante de Reiki e mais tarde Terapeuta. Como Mãe, como filha como irmã, como amiga, como voluntária como pessoa.
Não restavam dúvidas entrando para o Reiki,foi é e será um continuar da minha fé da minha crença.
Vivemos todos para Sermos felizes e a energia maior é o Amor que tudo pode.
Não  me restavam dúvidas .
Ser exemplo é uma exigência pessoal,sem receio de mostrar as minhas imperfeiçõese fragilidades ,mas fazendo o possivel por ser coerente e honesta no que digo ,fazendo.
Em 20008 a transformação começar a ajudar melhor os outros,por estar unida ao Universo.
Minha filha tinha ido dar aulas para a Nigéria dois anos e mais tarde um ano para África do sul.
O que fazer para a ajudar com tanta distância?
O envio era feito,até para amigas/os que necessitavam e ambas  ficavamos felizes.por poder ajudar.
A frase Felizes juntas começou a fazer parte dos nossas partilhas diárias.
Comecei a fazer tratamentos a pacientes, mal senti o apelo.
Escutar o que cada um  em partilha  diz, após uma ou mais sessões e constatar  os benefícios, ainda hoje me encanta.
2010 questionei a minha Mestre se achava bem eu ser professora da primária de Reiki.
Sorriu, concordou e passou-e os ensinamentos para eu poder ensinar também.
A cana iria continuar a ser dada também por mim para que cada aluno aprendesse a pescar.
Nunca faltará alimento se o trabalho for feito  com persistência , coragem e determinação.
Os alunos  vão aparecendo  no seu tempo e naturalmente .
Há 5 anos entro como coordenadora,primeiro Núcleo Bonfim.
Mas como juntos fazemos mais e melhor juntei-me ao Núcleo do Porto, para poder ajudar a divulgar, esclarecer sobre a Terapia Reiki e a sua filosofia, dando a conhecer a nossa associação, com a certeza que um dia esta Terapia vai ser certificada, por tudo que vai sendo comprovado por ser uma Terapia de Prevenção  da Saúde , e de complementariedade  para a cura do ser humano no seu todo.
Confesso que ainda hoje o primeiro principio  Só Por Hoje Sou Calma é o que me desafia mais a alterar e a retificar os meus comportamentos,para viver em harmonia.
Quero continuar a con Viver com todos, pondo-me no lugar de cada um ,acreditando que todos nós  merecemos  ser felizes.
Cuidar com Reiki, família, amigos e pessoas que me pedem ajuda tem sido muito bom e cada vez o resultado me fascina mais.
A  bússola está sempre a indicar:
Cuida primeiro de ti, só assim chegas a bom porto.
Meu pai acabou a vida terrena há um mês aproximadamente e foi maravilhoso tudo que ambos vivemos, partilhamos  e sentimos com a ajuda do Reiki.
Vivemos tempos de muita fragilidade,mas nunca desistimos de lutar pela vida  enquanto foi o tempo . Tudo se cumpriu.
Ajudar a viver e a partir com serenidade  tem sabor a paz.
O Bem tem sempre lugar.
Os nomes não são essenciais.
Só Por Hoje
Sou Calma
Confio
Sou Grata
Trabalho Honestamente
Sou bondosa
Nesta minha peregrinação pessoas maravilhosas, continuam a ajudar  o meu coração consertado ter a batida certa.
Que a humildade, a serenidade, a alegria, a gratidão e  o Amor, continuem a iluminar o meu caminho e o caminho de todos.
Com Reiki todo o dia é Natal
Filomema Pessanha
(Filó)

Publicado em

Testemunho de participação no VIII Congresso Nacional de Reiki

Bom dia João,

Como sabes este foi  o meu primeiro congresso , e não queria deixar passar a oportunidade de agradecer a ti como Presidente, e a todos que colaboram para que este congresso se torna-se possível, e se realizasse.

Foi um evento importante, do ponto de vista, informativo, e como de partilha.

Pudemos constatar que  estavam presentes  elementos de vários  pontos do país, alguns com algum esforço.

Agradeço a todos os participantes do congresso , que partilharam connosco a boas experiências que tem tido, e acima de tudo, nos abrem portas à nossa motivação para os seguir e espalhar por este país a fora a projetos como os deles tão úteis , e de cariz humanitária.

temos que começar a dar mais as mãos , deixar de viver nas nossas ilhas, e ajudar os que precisam, e que querem a nossa ajuda, sei que não será fácil, mas tudo se consegue, com um sorriso nos lábios e com a colaboração de todos, exemplo disso foi este congresso.

Sei que a nossa sociedade é muito materialista, preconceituosa, mas está na altura de olharmos para nós, cuidarmos de nós… para depois em unidades ajudarmos aqueles que precisam.. muitas vezes, não é materialmente, e é isso que eu tenho encontrado… muitas pessoas com necessidades de equilíbrio emocional, harmonia e paz interior , apesar de não terem falta de bens materiais..

Este sábado vi , pessoas, lindas, com um coração grande, bom, predisposto a ajudar o próximo, com compaixão, e ricas, pois eram pagas com o sorrisos de crianças, o bem estar, um aperto de mão…

Está na altura de nós todos , deixarmos de olharmos em frente, e passarmos a olhar, somente 1 hora, para o lado, para o nosso vizinho, para aquele que precisam de nós..Talvez eu queira viver uma utopia… mas vale a pena tentar… julgo que não estou sozinho.

Contudo, na minha perspetiva, a pessoa, para ajudar o próximo, primeiro tem que estar bem consigo própria, tem que se encontrar, saber o que quer, o que procura, e para onde quer ir, ter uma grande satisfação com ela própria.. como foi demonstrado pelos os trabalhos apresentados, acredito, que todos tenham os seus problemas pessoais, do seu dia a dia, contudo, conseguem ultrapassar, e na globalidade vivem no estado de satisfação.

A vida nada é mais do que um rio, onde nós navegamos,com intensidade, por vezes, ele é calmo, outras, é agitado, nele encontramos náufragos, e temos 2 opções, ou viramos a cara ou salvamos , vivemos tempos bons , tempos menos bons, mas tudo se ultrapassa, tudo a seu tempo..

Um dia esse rio vai dar a uma foz, e a força que trazia vai diminuindo, até que entra num mar calmo, e ai tudo acaba, entramos noutra dimensão.

o que ficou para trás…. ? nada.. as opções de vida.. que não pudemos mudar.

Bem meu bom amigo, fica aqui o meu agradecimento a ti e a toda a equipa que promoveu e participou neste congresso, e tenham confiança , gratidão e emprenho para desenvolver mais eventos como este.

Fica desde já a minha gratidão convosco, abraços,

Rui Frade
Publicado em

Testemunho de voluntariado a pacientes com doença oncológica

Com muito amor, faço terapia a doentes oncológicos no Ponto Clínico em Vila Flor.

Tenho constatado que as minhas pacientes, estão bem mais confiantes com mais auto-estima, mais tranquilas e, como uma delas me diz; “estou sempre desejosa destas consultas. Durante muitos dias sinto-me como se não suportasse nenhum peso do passado e do presente.”

Neste momento, não posso estar em Vila Flor, mas já hoje, me telefonaram do Ponto Clínico, para saber quando regresso porque já estão a sentir a falta dos tratamentos Reiki. Claro que vou ajudar as minhas amigas enviando-lhes Reiki à distância.

Constato, que embora no Concelho de Vila Flor, existam doentes oncológicos do sexo masculino, nenhum se dispõe a fazer a terapia mesmo sendo totalmente gratuito.

Sou imensamente grata e a minha própria vida parece ser bem mais abundante e feliz e, tenho a percepção que, quanto mais dou, mais recebo.

Clotilde Morais

Publicado em

Testemunho de voluntariado em Évora também para amigos e familiares

Partilho convosco que conheci o Reiki em 2014, foi um ano repleto de informação nova e transformações. Realizei o 1° e 2° níveis e Karuna 1 com a Mestre Fernanda António e o curso de voluntariado de reiki ministrado pelo Mestre Valter Jacinto também em Évora.

Sou uma voluntária de Reiki, membro da enorme família que é a Associação. Ainda não fiz voluntariado integrada num projeto da associação mas estou disponível. Entretanto faço aos amigos e familiares quando sou solicitada.

Sei que tudo faz parte de um imenso processo de aprendizado e o Reiki, ser terapeuta, levar a cura onde faz falta, faz parte do meu ser.

Bem-hajam pelo trabalho de conhecimento e consciencialização que fazem. Com gratidão, com respeito, um abraço de luz a todos.

Cristina Malarranha

Publicado em

Reiki, mais do que uma terapia – testemunho de um voluntário

Em Maio de 2015 iniciei o meu percurso como praticante de Reiki, Lembro-me que na sintonização do primeiro nível senti coisas diferentes a minha volta, que na altura não conseguia entender. Mas com o passar da formação e com a formação de nível 2 e nível 3, compreendi o que é Reiki e sobretudo o que é ser praticante de Reiki.
Reiki é mais que uma terapia, é mais do que energia, é o sentir, sentir o nosso corpo e a nossa mente cada vez mais desperta, para nós e para os outros.
O reiki fez-me perceber que quanto mais se da mais se recebe, e foi quando como voluntário fui fazer reiki aos utentes da Cercigui, esses jovens especiais que dão sem nada pedir em troca, e de cada vez que saia de la, depois de uma sessão de reiki, vinha com o coração cheio.
e com eles fui aprendendo que Reiki é acreditar, é simplicidade, e o saber abraçar, e todas estas sensações multiplicaram quando participei no projeto “Arte de ser Feliz na Cercigui”, que foi um projeto em que se formou jovens adultos com deficiência no Nivel 1 de reiki.  Este projeto, único no mundo, foi uma experiência e uma aprendizagem fantástica. Ver jovens que nunca tinham ouvida falar de Reiki, a dedicaram-se de coração e com uma alegria que por vezes me fazia inveja. Em cada sessão eles vinham e contavam como tinham feito reiki a eles e a outros e que no final se tinham sentido bem, um dos jovens dizia que quando se sentia mais agitado, dizia os cinco princípios, colocava as mãos no coração e que depois ficava mais calmo. Sempre que tinham duvidas perguntavam, e por vezes diziam como faziam para saberem se tinham feito bem.
Depois da formação continuam a se reunir e a fazer reiki aos colegas, a fazerem reiki a eles próprios quando necessitam.
Foi esta simplicidade esta entrega destes jovens tanto nas sessões como depois em casa ou com os colegas, foi o sentir no final que eles estavam diferentes, que me faz perceber que reiki pode ser a diferença para muita gente, como foi para estes jovens e para mim.
Carlos Dias, voluntário do Núcleo de Reiki de Guimarães

Se és voluntário de um núcleo de Reiki, envia o teu testemunho para eventos@montekurama.org

Publicado em

Voluntariado para Seniores na A80 – um testemunho

A Dª A.  tem 62 anos e vive numa instituição. Sofre de demência (sem diagnóstico da sua origem), suspeitando-se de um episódio deveras traumático.
Por sugestão da diretora da instituição, a Dª A. recebe semanalmente terapia de Reiki.
Chegou muito agitada, no primeiro dia. Ainda hoje (depois de 8 sessões), a sua mente “regressa” ao passado a uma velocidade alucinante. Fala da M.E. (sua irmã), da mãe e da “menina, tão querida”, está focada no passado e raramente a encontramos no presente.
O tratamento, tem a duração que a Dª A. nos permite. Não tem tempo certo! As nossas sessões são feitas a três: A Dª A., eu e uma acompanhante que a vai acalmando. As sessões variam entre momentos de acalmia, choro e muita agitação. Varia entre um tom de voz mais forte e murmúrios impercetíveis. Fala muito, sempre com os “fantasmas” do seu passado e o olhar vazio. 
Não vemos resultados!
Durante os tratamentos, surgem as dúvidas se a estou a ajudar da melhor forma. Não sei se estou a fazer bem, não sei como tratá-la melhor, não sei o que sente, mas quero muito dar o meu melhor…
Reforço, com muita “força” a intenção colocada para o seu tratamento, recito em silencio, vezes sem conta, os cinco princípios, que me dão algum alento, calma e confiança para continuar.
Soube que nos dias em que recebe Reiki, fica mais calma e vejo uma esperança que estou, de facto a ajudar, nem que seja só por momentos. E mesmo que seja só por pouco tempo, vale a pena continuar. Vale a pena dar o meu melhor e ajudar nem que seja só por momentos.
Paula Baúto,
Coordenadora do núcleo de São Pedro de Sintra

Publicado em

Testemunho de uma nova Associada

São os associados que fazem uma associação e cada um de vocês tem uma história muito própria e bonita sobre o percurso com Reiki. A Cátia Matos partilha connosco a sua experiência e porque se associou. Aqui fica para ti as suas palavras e energia, com muito Reiki.
O Reiki despertou em mim uma maneira diferente de olhar para o universo. Iniciei esta jornada pelos caminhos do Reiki há mais ou menos 4 anos atrás, numa fase da minha vida em que me sentia perdida. Dizem que quando o aluno está pronto o mestre aparece. E assim foi!
Após várias sessões de Reiki acabei por fazer o 1° nível. A sintonização abriu-me para um mundo diferente, no meu peito o meu coração encheu-se de luz. Apesar de ter sentido tudo isto nem tudo foi um mar de rosas quando regressei a casa inspirada para fazer direitinhos os 21 dias de autoterapia. Iniciei os 21 dias umas 3 ou 4 vezes no espaço de 2 anos. Perdia-me do rumo que traçava e desistia. Entrava numa luta comigo mesma, culpabilizava-me por todas estas paragens. Mas aprendi a respeitar-me, a aceitar e esperar, todos temos ritmos diferentes.

Foi nessa altura que consegui terminar a autoterapia dos 21 dias. Tomei consciência que a decisão e disciplina são essenciais. Para obtermos um resultado diferente temos de dar um passo diferente, acreditar e ter fé.
Neste momento tenho o nível 2. Com o Reiki na minha vida, cada dia que passa é uma descoberta. O universo é magnifico e maravilhoso. Tudo mudou, tudo se tornou mais fácil e encantador, mais intuitivo e tolerante. Continuo o meu caminho um passo de cada vez pois a vida é movimento e estamos sempre em constante crescimento e aprendizagem.
Entretanto tornei-me sócia da Associação Portuguesa de Reiki, hoje é com bastante orgulho que faço parte desta “família”! Família em que todos trabalhamos para um objetivo comum, o Reiki. Fazer com que o Reiki chegue a tudo e todos, que o amor incondicional do Reiki ilumine mente e coração de quem cruza o nosso caminho. Para além disto, ser associado trás-nos também benefícios e vantagens, como poder participar em palestras, workshops, atividades, ter acesso a artigos, pesquisas e partilhas sobre o Reiki e descontos em várias entidades que se associaram à Associação Portuguesa de Reiki.
Só por hoje, sou grata! ♡
Cátia Matos

Publicado em

Inquérito sobre Voluntariado Reiki , APDSMP

Durante mais de 1 ano de voluntariado na Associação Para o Desenvolvimento de São Miguel de Paredes, o inquérito traz optimos resultados. Forma colocadas 3 questões aos 16 utentes pela Tecnica Isabel:
– “O que acham dos meninos do Reiki? Sobre o seu trabalho? se gosta de usufruir da terapia?”
As respostas foram diversas e de coraçao vou transcrever e partilhar algumas:
” são muito boas pessoas e isso já vale muito, ultimamente até tenho ps pés mais quentes.”
 
” são pessoas 100%, o trabalho que fazem…são muito úteis, com muita educação. lá dentro a gente não entende muito daquilo, mas é muito bom para nós.”
 
” é porreiro, gosto.”
 
Bom Trabalho aos Voluntários , + 1ano: Ascensão, Sandra, Patricia, Filomena
_/|\_
Publicado em

Núcleo de Braga – resumo de 2016

Núcleo de Braga da Associação Portuguesa de Reiki​ 2016

​Gratidão a todos aqueles que passaram por este Núcleo de Braga da Associação Portuguesa de Reiki​ neste ano de 2016. Trouxeram um bocadinho deles, levaram um bocadinho de nós. Um agradecimento especial: aos nossos voluntários que viabilizaram os nossos projetos; aos utentes que confiaram no nosso trabalho; àqueles que ainda não são reikianos, porque nos escolheram para se informarem; à APR por ter confiado em nós para representar a  Associação Portuguesa de Reiki​ em Braga; a todos os que colaboraram connosco para ajudar e que nos permitiram ter um ano tão rico de afetos, partilha, crescimento e dádivas. MUITO OBRIGADA. Contamos convosco para continuar a difundir o Reiki de uma forma credível, sempre com o coração predisposto. Feliz 2017.
 

Publicado em

Voluntariado Reiki

Sou voluntário de Reiki desde que realizei o nível 2 de Reiki (Okuden) em 2012. Tornar-me voluntário na Associação Portuguesa de Reiki foi a forma que encontrei para combater os medos e inseguranças que tinha ao estar em contacto com a energia do Reiki. Está a energia de Reiki mesmo a fluir por mim? Estará a pessoa que a recebe a sentir alguma coisa? E o que sinto durante uma sessão é real, faz sentido ao consulente ou é apenas fruto da minha imaginação?
Ser voluntário fez com que aos poucos estas dúvidas fossem colmatadas e resolvidas. Sem qualquer problema. Fez-me perceber melhor o mundo do Reiki. Permitiu-me estar em contacto com as pessoas e deu-me segurança no trabalho que faço como Terapeuta. O meu trabalho como voluntário permitiu-me validar o que faço e o que sinto como terapeuta, permitiu-me crescer e evoluir, mas acima de tudo permitiu-me começar.
Acho o voluntariado uma mais-valia em vários sentidos. Primeiro acho que é uma óptima forma de iniciar o trabalho como terapeuta. Estar em contacto com as pessoas e as situações do dia-a-dia, de forma voluntária, permite-nos ganhar segurança e confiança no trabalho terapêutico que estamos a fazer, e isso é certamente muito positivo. O voluntariado também permite a que pessoas que desenvolvem o mais variado trabalho profissional no dia-a-dia, possam ter contacto com a energia do Reiki e possam ajudar e apoiar aqueles que precisam. Pois acredito que seguir o caminho do Reiki é ter um dom, que nos leva a querer ajudar o próximo. Ser voluntário permite equilibrar esse desejo na nossa vida.
Também vejo o voluntariado em Reiki como um oportunidade de passar a mensagem e dar a conhecer a energia do Reiki a cada vez mais pessoas e ajudá-las a perceber as vantagens que esta energia tem a nível físico, emocional e espiritual no corpo da pessoa.
Cada vez mais as terapias holísticas estão mais divulgadas na sociedade. A internet permite uma divulgação rápida e fácil de qualquer terapia. O que a meu ver é uma excelente mais-valia. Lembro-me de, em 2012 quando iniciei o meu caminho com o Reiki, tinha grandes «discussões» com o meu grupo de amigos pouco crentes e pouco virados para a abordagem energética do ser humano. Quatro anos depois já dou por mim em amenas conversas de café ou em torno de uma mesa de jantar a falar sobre o Reiki e outras terapias holísticas e verifico que realmente está a haver uma mudança de mentalidade. Que as pessoas já procuram outro tipo de respostas e caminhos para o seu bem-estar físico, espiritual e mental.
Por isso espero que as pessoas cada vez mais experimentem o Reiki e o contacto com a Energia Universal sobre qualquer meio. Pois acredito que assim possam aos poucos elevar a sua vibração energética. Acredito que se cada um de nós, aos poucos e ao seu ritmo, for elevando a sua vibração conseguimos, semente a semente (em nós), contribuir para um mundo cada vez melhor…
Um grande bem-haja.
Ricardo Venâncio

Publicado em

Inquério Voluntariado Projeto HAR

Olá Amigos 🙂
O Projeto HAR ( Happy Abraço Reikiano)) começou há 6 meses e o resultado é positivo da parte dos utentes. Obrigado aos 4 voluntários que têm desempenhado um trabalho fantástico.
” O Voluntariado é um bem precioso nos dias de hoje, em que a sociedade caminha pela vida em completa desarmonia. No Reiki, como outras áreas essenciais á vida, os utentes podem usufruir do bem estar que tanto necessitam nas suas batalhas diárias.
Nós Casa Amiga, estamos gratos pelo privilégio de poder usufruir desse dom generoso e voluntário, que encontramos nos terapeutas e no seu desempenho. E como ninguém pode dar  o que não tem, é nesse bem estar e equilíbrio trazido até nós para complemento da nossa missão que encontramos a paz de espirito que tanto queremos.” Bé Pinto
Ao longo destes 6 meses foram realizadas 36 sessões de Reiki com o objetivo de difundir o Reiki como terapia complementar que é e como filosofia de vida.
A grande maioria das pessoas cuidadas apresentavam índices de depressão e/ou fadiga. As dores musculares também foram uma constante.
Preocupações com questões laborais também foram casos que tentam os ajudar com harmonização através do Reiki.
Sendo uma associação de apoio aos desfavorecidos através da doação de bens alimentares foi possível constatar que a bagagem que traziam de todas essas vivências lhes tinham causado muito desgaste emocional.
Ponto este onde insistimos de forma mais acentuada.
É com grande satisfação que acompanho a evolução deste jovem projeto e a transformação que vai ocorrendo na vida dessas pessoas e na nossa
(voluntários) também, e maior gratidão sinto quando mo fim de cada sessão recebo aquele abraço caloroso e ouço um “Obrigado por tudo” repleto de carinho.
Coordenador do Projeto HAR Joel Pacheco
_/|\_
Nuno Miguel Moreira Nunes
Coordenador Nucleo  Reiki Penafiel e Vale do Sousa da APRMK
Associado APRMK 00652
Associado ARCJ 0009
 
screen-shot-12-06-16-at-08-57-am
 
 
 
 
 
 
 
 
screen-shot-12-06-16-at-08-57-am-001
 

Publicado em

Dia do Voluntário – Fundão

No dia 5 de dezembro celebrou-se o Dia Internacional do Voluntário e o Núcleo do Fundão da Associação Portuguesa de Reiki pretende homenagear as nossas voluntárias terapeutas de Reiki que tanto fazem para que o Reiki chegue cada vez mais longe e apoiem de coração quem precisa.
Um profundo agradecimento pelo tempo e dedicação.
Patrícia, Andreia, Fátima, Helena, Maria João, Liliana, Helena, Anabela, Inês, Andreia, Paula.
Fica o testemunho de algumas pessoas que se disponibilizaram para deixar o seu agradecimento pelo vosso empenho.